Auxílio Emergencial terá nova prorrogação em 2021?

Governo pretende lançar em novembro o Auxílio Brasil

O Auxílio Emergencial está chegando ao fim, em outubro, será paga a última parcela do benefício. Cerca de 30 milhões de brasileiros em situação vulnerável estão recebendo o auxílio.

Quem atualmente está recebendo o auxílio emergencial teme o encerramento do pagamento do benefício. Muitos deles ficaram esperançosos quando o ministro da Economia, Paulo Guedes disse que há chances de acontecer uma nova extensão do auxílio, que atualmente está pagando entre R$ 150 a R$ 375.

Mas, é bom não ter muita esperança, até porque o governo está focado em colocar em prática o Auxílio Brasil, e já descartou uma possível prorrogação do auxílio emergencial.

Atualmente, os beneficiários estão recebendo a sexta parcela e em outubro receberão a sétima e última parcela do auxílio emergencial.

Auxílio Brasil

O Auxílio Brasil é a grande esperança do presidente Jair Bolsonaro, que não quer nem ouvir falar em prorrogação do auxílio emergencial. O governo deseja que a partir de novembro já esteja em vigor o novo programa que irá substituir o Bolsa Família.

Tudo indica que o Auxílio Brasil atenderá mais famílias que o Bolsa Família, embora o governo não tenha determinado qual será o valor médio do novo programa.

A intenção do governo é elevar a renda de extrema pobreza, passando de R$ 89 para R$ 100. Para isso, o governo vai criar novos benefícios:

  • Benefício Primeira Infância: destinado às famílias com crianças entre 0 e 36 meses incompletos;
  • Benefício Composição Familiar: pago às famílias com jovens de até 21 anos;
  • Benefício de Superação da Extrema Pobreza: direcionado as famílias como complemento financeiro, caso a renda familiar per capita não tenha superado a linha de pobreza extrema após receber os abonos anteriores;
  • Bolsa de Iniciação Científica Junior: concedido por 12 meses a estudantes beneficiários do Auxílio Brasil com bom desempenho em competições acadêmicas e científicas;
  • Auxílio Criança Cidadã: benefício pago aos chefes de família que consigam emprego e não encontrem vagas em creches para deixar os filhos de 0 a 48 meses;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Rural: disponibilizado por até 36 meses aos agricultores familiares inscritos no Cadastro Único;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: pago a beneficiários do Auxílio Brasil que comprovem vínculo empregatício formal;
  • Benefício Compensatório de Transição: destinado as atuais famílias beneficiárias do Bolsa Família que perderem parte do valor recebido devido a migração para o novo programa social;
  • Auxílio Esporte Escolar: direcionado a estudantes entre 12 e 17 anos que sejam membros de famílias beneficiárias e que se destacarem nos Jogos Escolares Brasileiros.

Comentários estão fechados.