Balancete contábil: o que é, qual sua importância e o que deve conter?

Veja como o balancete pode contribuir para o crescimento da sua empresa

A rotina contábil de um profissional de contabilidade envolve várias obrigações. Para auxiliar e verificar como vai a “saúde” financeira de uma empresa é necessário realizar de tempos em tempos um balanço.  O Balancete Contábil, também conhecido como Balancete de Verificação, é uma ferramenta importante para auxiliar na contabilidade das empresas. 

O balancete é um relatório de cunho contábil realizado pelas organizações para, através dos saldos de débitos e créditos, apresentar um recorte da sua saúde financeira em determinado período.

O balancete tem caráter opcional, ou seja, a criação do documento não é exigido por nenhuma regulamentação específica ou conselho. O seu objetivo principal é, sobretudo, gerencial, auxiliando os administradores a tomarem decisões mais assertivas com base no desempenho exprimido.

O balancete não deve ser confundido com o balanço patrimonial. Embora sejam dois importantes relatórios da Contabilidade, que utilizam o Livro Razão como fonte, as suas características e requisitos são bem diferentes.

Enquanto o primeiro é um relatório contábil parcial e interno, o segundo é obrigatório para as empresas de capital aberto e se destina ao público externo.

Mas vamos falar melhor sobre o assunto a seguir. Acompanhe

O que é um Balancete Contábil?

O Balancete Contábil é um relatório gerado pelo setor de contabilidade das empresas e encaminhado para os clientes, com o intuito de apresentar as informações das contas e saldo em movimento na empresa.

É a partir dos balancetes que são gerados os demonstrativos de resultados e o balanço patrimonial.

Qual é a importância do balancete?

Conforme mencionamos, o balancete não é um demonstrativo obrigatório, porém é de extrema importância para prevenir erros de crédito e débito da contabilidade de uma empresa, de maneira prévia e atualizada. Este relatório avalia o desempenho e saúde de um negócio e auxilia no crescimento da empresa.

É uma ferramenta essencial para verificar a carga fiscal e o impacto da gestão tributária, para os gestores acompanharem a evolução das receitas, margens de lucro, novas estratégias, cumprimento das metas financeiras, dados e acompanhamento do crescimento do negócio.

Outra função importante é que serve para verificar se o método das partidas dobradas (sistema padrão utilizado para registrar transações financeiras) está sendo observado pela escrituração do negócio. 

Por fim, o Balancete Contábil é a procedência para adotar procedimentos internos e externos e para a empresa reconhecer o que precisa ser feito, seja procurar estratégias para melhorar e qualificar o negócio ou cortar despesas.O documento é de uso interno e pode ser impresso e alterado sempre quando for necessário.

Qual é a periodicidade do balancete?

Não existe um padrão. O balancete pode ser fechado de forma mensal, quinzenal ou até mesmo diário, dependendo da estrutura e do tamanho da empresa. O relatório mostra os saldos e contas em um período de tempo, sendo de uso estratégico para a empresa.

Quais são os tipos principais do Balancete Contábil?

O balancete de verificação possui dois tipos que precisam ser entendidos na hora de elaborá-lo. Conheça:

Ativo: Um dos grupos que dá forma ao balancete, é onde estão informações sobre os bens e direitos da empresa. Também contém o caixa, contas a receber, adiantamentos para futuras prestações de contas, impostos a recuperar e despesas antecipadas.

Estas despesas antecipadas são os valores pagos pelo seguro, como: ativo realizável a longo prazo – valores que podem ser pagos a longo prazo; ativo permanente – bens e investimentos da empresa; e ativo permanente intangível – bens como software, mas que têm valor monetário.

Passivo: Grupo que contém as informações sobre as obrigações, patrimônio líquido da empresa (valores do capital social e reservas), impostos, taxas e salário dos funcionários.

Além destes principais conceitos, no balancete contábil é necessário conter:

  • Despesas, custos e resultado;
  • Reservas;
  • Impostos a recuperar e a pagar;
  • Valor a receber em curto e longo prazo;
  • Valor dos bens e produtos;
  • Receitas;
  • Informações bancárias completas.

Como é o funcionamento?

O Balancete Contábil precisa ser elaborado de forma clara e completa, para assim a empresa avaliar as suas necessidades e o que será cabível em alterar, reduzir ou aumentar.

O modelo mais simples é elaborado em quatro colunas, sendo duas reservadas para o movimento e a outra parte para o saldo. As colunas de movimento são preenchidas com as informações de débito e crédito em cada conta, já as colunas do saldo são calculadas através da diferença entre crédito e débito.

No balancete contábil, existe um crédito correspondente para cada débito, e assim o saldo devedor fica igual ao saldo credor. Além disso, designa-se que para cada lançamento feito no ativo, obrigatoriamente deverá ter o passivo correspondente.

Conclusão

O balancete é uma importante ferramenta da contabilidade usada em prol da gestão das empresas. O ideal é contar com o apoio de um profissional da contabilidade, e usar um bom programa para otimizar tempo e desempenho na emissão.    

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.