Benefício Suspenso do INSS: como conseguir recuperar?

0

No Estado do Rio de Janeiro, 24.640 segurados tiveram o benefício suspenso, deixados as pessoas desesperadas e sem saber o que fazer. Mas existe uma maneira de recuperar o pagamento, porém, desde que não tenha sido fraudado.

Serão avaliados: aposentadoria por invalidez e auxílio-doença e que estão há mais de seis meses sem revisão, além de aposentados em geral e pessoas que recebem outros pagamentos como pensão por morte ou o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é pago a idosos e deficientes de baixa renda, e trabalhadores rurais.

Será necessário que cumpram as exigências em 30 dias, já para aposentadoria rural, o prazo será de 60 dias, que serão contados a partir da convocação, ou poderão perder o benefício.

Especialistas indicam, que para evitar a perda do benefício, é deixar a documentação e laudos médicos em dia, atualizar endereços no INSS ficar atento aos canais de comunicação para uma eventual convocação.

Atenção: Os segurados com 60 anos ou mais que recebem aposentadoria por invalidez estão fora do pente-fino.Ao chegar a essa idade, eles não podem mais perder o benefício, e a Medida Provisória 871, que instituiu o pente-fino, não mexeu nesse direito.

“Mais de 1,8 milhão de beneficiários com processos suspeitos estão sendo notificados pelo INSS”, informou o presidente do órgão Renato Rodrigues Vieira. As pessoas chamadas têm 30 dias para comparecer à uma agência da Previdência para prestar esclarecimentos e atualizar os dados cadastrais se for o caso.

“É importante ter os dados atualizados no INSS para não correr o risco de ser chamado e não receber a carta”, alerta Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).

261 mil benefícios foram cancelados em 120 dias em todo o país. 59% eram recebidos de forma irregular pelos representantes legais dos beneficiários falecidos, o chamado pagamento pós-óbito.

Uma outra fraude encontrada foi o recebimento indevido de benefícios assistenciais por servidores públicos.

O INSS informou que, em 92,5% dos casos desse tipo com suspeita de irregularidade foi constatado efetiva fraude. O recebimento de forma indevida do Benefício de Prestação Continuada (BPC), que é pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda foi onde se encontrou mais irregularidades.

Auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez interrompidos pelo INSS o que fazer?

Caso o segurado teve o auxílio-doença ou a aposentadoria por invalidez interrompidos no pente-fino do INSS e não tem como recorrer da decisão. Deverá entrar com um recurso no Conselho de Recursos do Seguro Social (CRSS) respeitando o prazo de 30 dias após o corte do benefício.

O segurado irá preencher um formulário do INSS e deverá reunir documentos e laudos médicos comprovando que ainda necessita do benefício. Será necessário também apresentar um documento com foto e o número do seu CPF.

Agendamento

Para que você possa entregar o recurso, deverá agendar uma data através do telefone 135, pelo site ou direto nas agências do INSS.

INSS

Segundo a presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), Adriane Bramante, o pedido para restabelecer o auxílio ou aposentadoria por invalidez pode ter uma demora:

“O problema é o tempo de espera”. Para se ter uma ideia, somente no Rio de Janeiro, esse prazo é de 146 dias. “E nesses meses o beneficiário não recebe. Tem o benefício cessado”, acrescenta.

O Prazo

Para julgar o recurso do segurado, o CRSS terá 85 dias. Entretanto, a espera pode chegar a um ano ou um ano e meio.

“O segurado vai ser submetido, possivelmente, a uma nova perícia feita por uma junta médica com corpo médico da Junta de Recursos, diferente da qual ele passou no INSS”, avalia Adriane.

Caso, o INSS reconheça que o segurado realmente tem direito e está precisando do benefício, poderá receber inclusive os atrasados.

Fazer novo pedido do benefício

Para quem recebia o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez e foi cortado pelo INSS, deverá fazer um novo pedido do benefício. Exceto o aposentado por invalidez há mais de 5 anos e que esteja nos seis primeiros meses de fim do benefício (quando irá receber 100% do valor).

Ação Judicial

Uma coisa que vem acontecendo é o aumento de ações judicias contra o pente-fino do INSS. Isso porque uma Ação Judicial pode ser o caminho mais rápido para conseguir restabelecer o direito de receber o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

Em alguns casos, o próprio INSS acaba querendo entrar num acordo com o segurado que entrou na Justiça. Sendo o beneficiário ganhador da causa, o juiz poderá determinar que o benefício seja restabelecido imediatamente.

“O aluguel vence todo mês, a pessoa precisa comer, pagar as contas. Ela vai para a empresa, e a empresa diz que não tem condição de trabalhar, o INSS diz que ela tem condição. O melhor é ela procurar a Justiça”, finaliza Adriane.

Advogados

Numa primeira etapa do processo judicial, no Juizado Especial Federal, não será necessário a presença de um advogado. Porém se o perder na primeira instância, irá precisar de um especialista para seguir em frente. O bom, é contratar logo no inicio, um advogado previdenciarista.

Importante:

Tenha sempre exames e laudos médicos atualizados. De seis em seis meses o segurado passe pelo médico para atualizar seus relatórios, menos em casos de exames mais complexos, como ressonância magnética (solicitado anualmente), orienta Adriane Bramante.