Nos últimos meses, observa-se o aumento no tempo de espera para análise de benefícios previdenciários. Por sua vez, o INSS justifica que tal demora é decorrente da implantação do modelo digital pelo qual as agências previdenciárias ainda estão se adaptando bem como sustenta que a força de trabalho disponível para o exame dos procedimentos é insuficiente mediante o aumento dos pleitos administrativos.

O pior é que o problema não para por aí. Além da demora do tempo de análise cresceu também o número de indeferimentos dos requerimentos administrativos.

Mas afinal, quais os motivos de ter um benefício negado?

Existem diversas razões que podem ocasionar no indeferimento do benefício, algumas com fundamento e outras sem nenhum embasamento legal.

Um motivo muito comum é não cumprimento de exigências no prazo ou falta de atenção do requerente em acompanhar o processo.

Ressalta-se que nos últimos meses foram emitidas exigências absurdas como cópia de documentos que já estavam no processo ou juntada do Extrato Previdenciário (documento emitido pelo próprio INSS).

O que fazer quando se tem o benefício negado pelo INSS?

Caso o seu benefício seja negado, você tem 3 opções:

  1. Ajuizar um novo pedido;
  2. Recorrer da negativa na Junta de Recursos do INSS;
  3. Contratar um especialista no assunto para analisar seu caso e eleger a melhor estratégia de atuação.

Ajuizamento de Novo Pedido

Para alguns tipos de benefício, como por exemplo: salário maternidade, o melhor caminho pode ser ajuizar um novo processo administrativo. Isso porque as análises geralmente são mais rápidas do que o julgamento do recurso. E tempo é dinheiro, concordam?

Para os demais tipos de benefícios previdenciários, um novo ajuizamento só é aconselhável caso o segurado já tenha analisado o motivo do indeferimento anterior e identificado se realmente o INSS teve razão na negativa. Se este é o seu caso, analise se os requisitos foram preenchidos e recomece seu processo.

Recurso administrativo

Esse recurso existe para que uma equipe de especialistas (junta de recursos) analisem suas razões de inconformismo com a decisão do INSS. Logicamente, caso você tenha razão, a decisão do INSS será reformada e o benefício será concedido desde a data de entrada do requerimento. O recurso administrativo deverá ser interposto no prazo de 30 dias, que são contados a partir do momento em que o segurado toma conhecimento da decisão negativa do INSS.

Contratar um especialista no assunto para analisar seu caso e eleger a melhor estratégia de atuação

Em casos de indeferimento do requerimento administrativo, o aconselhável é contratar um especialista para analisar seu caso. Um profissional saberá exatamente como agir, aumentado sua chance de conseguir o benefício e evitando que você perca seu tempo insistindo em algo que às vezes nem tem direito.

Dica extra Jornal Contábil: A APOSENTADORIA é uma das coisas mais importantes na sua Vida e, com a REFORMA DA PREVIDÊNCIA e suas inúmeras regras de transição e mudanças, nada mais importante neste momento do que se planejar e entender com todos os detalhes, e de maneira descomplicada, como será a sua aposentadoria.

É fundamental então fazer um Planejamento Previdenciário para saber quando e com que valor ($$$) você conseguirá se aposentar. Podendo também se planejar para se aposentar dentro daquela regra de transição que melhor atenda aos seus interesses.

Você receberá um relatório detalhado e muito preciso, com cálculos e simulações feitos exclusivamente para a sua situação, com base no seu histórico de contribuições para o INSS, tudo feito com rigor nos cálculos e com toda as explicações detalhadas, clique aqui para saber mais!

Fonte: RealPrevi Assessoria Previdenciária