Black Friday 2020: Compras serão ainda mais digitais neste ano de pandemia

0

Em um ano de incertezas marcado pela pandemia do novo coronavírus e o isolamento social, a Black Friday, que acontece no dia 27 de novembro, tem tudo para conquistar os consumidores.

De acordo com a pesquisa Black Friday 2020, elaborada pela área de Inteligência de Mercado da Globo, 68% dos entrevistados disseram ter o costume de fazer compras nesta data.

Entre os entrevistados, 42% têm planos de fazer compras neste ano. Entre os que não sabem (35%) ou não pretendem comprar (23%), 8 em cada 10 mudariam de ideia se pudessem ajudar a manter empregos.

Em relação aos que pretendem fazer compras, 65% dizem que querem comprar algo para se presentear. Já 51% querem priorizar marcas que fizeram algo positivo na pandemia. A maior parte (55%) também relatou que utilizará canais físicos e digitais para as compras. Outros 29% pretendem comprar exclusivamente pela internet e 16% somente em lojas físicas.

Segundo Felipe Dellacqua, VP de vendas e sócio da Vtex, os consumidores tradicionais de média e alta renda, antes da pandemia, tinham um gasto considerável com entretenimento e turismo indo a restaurantes e fazendo viagens nacionais e internacionais.

“Agora, esse recurso desse consumidor está guardado porque as pessoas não estão gastando muito com isso. Então, acabam investindo mais em produtos”, afirma.

De acordo com o especialista, o clima de insegurança quanto ao futuro devido à pandemia também colabora para que as pessoas segurem os gastos.

Com a segunda onda da Covid-19 na Europa e a falta de vacina, a insegurança aumenta ainda mais. Fica difícil, por exemplo, planejar uma viagem para o carnaval, pois não sabemos como estará a situação até lá.

Então, as pessoas que mantiveram seus empregos e são de média ou alta renda têm guardado dinheiro ou investido na bolsa ou ainda estão se programando para gastar com produtos”, diz.

Segundo Felipe, a Black Friday deste ano será muito mais digital do que as anteriores. “É bem provável que as lojas físicas estejam com limitação de quantidade de pessoas dentro da loja. Muitas pessoas também vão preferir comprar pela internet por receio de aglomerações”, complementa.

Por Felipe Dellacqua, VP de vendas e sócio da Vtex