Black Friday no varejo: Confira algumas dicas para obter sucesso nesta data

0

Uma das datas mais importantes do calendário comercial está se aproximando: a Black Friday.

Realizada na última sexta-feira do mês de novembro, o evento vem se consolidando no país como sinônimo de compras e economia para os consumidores.

Para as empresas, a data é uma excelente oportunidade de vendas, visto que, no ano passado, o período movimentou R $3,2 bilhões de reais no país, segundo dados do Ebit/Nielsen, número  23,6% maior que no ano anterior.

Para que a sua empresa também tenha sucesso nesta Black Friday, a leadlovers, plataforma de automação de marketing digital e vendas, lista algumas dicas. Confira:

1. A união faz a força

A primeira ação a ser feita é reunir a equipe responsável pela Black Friday, como os times de comunicação (Marketing e Design) e representantes de vendas, pós-vendas, desenvolvimento e financeiro.

Juntos, é possível pensar nos detalhes para que tudo ocorra da melhor maneira possível.  Depois de tudo definido, compartilhe com toda a empresa as decisões, para que cada um possa se preparar para a demanda gerada pela data, que provavelmente será bem alta.

Lojas físicas terão que investir mais na vitrine e apresentação do estabelecimento, contratação de pessoal e capacitação dos colaboradores, enquanto que os e-commerces voltarão sua atenção para a tecnologia de informação e logística.

2. A escolha dos produtos e descontos

Na reunião inicial, determine quais dos seus produtos e/ou serviços irão receber os descontos e qual será a porcentagem aplicada em cada um deles. Esse momento é fundamental: a Black tem que ser boa para você e para o público.

Analise os produtos que são ‘objetos de consumo’ da sua persona, aqueles mais atrativos para o seu público e faça o possível para incluí-los nos descontos.

Para isso, converse com fornecedores e veja o que pode ser feito em conjunto para que todos saiam ganhando. Com o volume maior, as possibilidades de negociar os preços também aumentam.

Feito isso, analise a margem de lucro e chegue a um valor de maneira consciente. Todos os fatores precisam ser levados em conta: custo do produto, embalagem, logística etc.

É um erro olhar apenas para o lucro, a partir do que pagou, sem pensar nos gastos que englobam a venda.

Além disso, é uma ótima oportunidade para vender aqueles itens que estão ‘pegando poeira’ no seu estoque. Pensamento estratégico sempre, ok?

E o mais importante: o desconto precisa ser real. Não entre naquele jargão conhecido aqui no Brasil ‘tudo pela metade do dobro’. Mostre a seu público que você realmente é honesto e se importa.

3. Cuidado redobrado com estoque e logística

Esse é um item que muitos deixam de lado e acabam enfrentando problemas sérios. Não é só a equipe que precisa estar alinhada e reforçada. Faça um bom planejamento de estoque, tenha diversidade de fornecedores e, no caso de e-commerces, transportadoras e correios.

É a hora de unir parcerias e estratégias, para entregar no prazo e com valor de frete justo. O volume maior de vendas demanda mais trabalho e responsabilidade. Não se esqueça disso.

4. Determine o período e o orçamento

Ainda pensando na reunião inicial, é primordial que se estabeleça o período. “Como assim? Black Friday não é um dia só? A última sexta do mês de novembro?”

Sim. Mas as suas campanhas terão que ser veiculadas por um período antes da data em si, certo? Faça um cronograma das ações.

Além disso, a estratégia que seria adotada por você na Black Friday não precisa ser direcionada para um dia. Veja o que é melhor para o seu público, estrutura, equipe e orçamento.

Falando em orçamento, esse é outro ponto que precisa ter bem definido logo no início do planejamento. Aqui eu não estou falando dos produtos, preços e margem de lucro, e, sim, do investimento que será feito nos anúncios.

Se você trabalhou com anúncios para a Black Friday no ano passado, reveja o que foi investido na época para ter uma base e analise os resultados gerados naquele momento.

Fazendo isso, poderá traçar o seu plano atual. É interessante olhar também para os meses anteriores desse ano: “Quanto foi investido em anúncios por você?” “Quanto você pode aumentar nesse orçamento?”

Essa é a hora de investir mais, porém, com consciência. Pense no orçamento do mês todo e distribua-o em semanas. 

5. Estabeleça os canais

Como fazer uma Black Friday sem ter os canais para chegar até os consumidores e mostrar as suas ofertas? No universo digital, esses canais funcionam como vitrines de uma loja física e, portanto, merecem todo o cuidado e planejamento.

Além do e-mail marketing, considere aparecer mais no Google, por meio do Google AdWords e, é claro, nas redes sociais, via posts e anúncios.

Nessa hora basta responder essa questão: Quais redes sociais são relevantes para o meu público? Facebook? Twitter? Instagram? LinkedIn? Pinterest? Reflita e escolha as melhores.

Depois, divulgue em cada uma delas, de várias maneiras. Além de fazer com que o público saiba o que está oferecendo, isso faz com que aumente o interesse nos diferentes momentos do dia.

6. Defina as métricas

Acabamos de falar que é preciso testar para ver quais formatos estão convertendo mais. Para saber isso, terá que pensar em todo “tracking” de suas campanhas: o Google Analytics e os parâmetros UTM são duas alternativas gratuitas de se conseguir isso.

Entretanto, não adianta ter acesso às informações geradas se não souber para onde deve focar os esforços. É preciso escolher os indicadores que serão interpretados continuamente por você.

Logo no início, você e sua equipe precisam definir quais são as principais métricas da minha Black Friday e do meu negócio.

7. Use os gatilhos mentais a seu favor

Não dá para falar de vendas sem pensar nos gatilhos mentais. Utilize o poder deles para fechar a venda.

No caso da Black Friday, os gatilhos mentais que mais têm a ver com a data são os da Escassez e o da Antecipação. 

8. Utilize contadores regressivos

A razão é simples: os contadores regressivos são perfeitos para trabalhar o gatilho da escassez porque reforçam que determinada oferta estará disponível apenas por um período de tempo determinado.

Isso facilita que os consumidores tomem uma atitude de maneira mais rápida, fechando a compra. É possível inserir contadores regressivos nas landing pages, páginas de vendas e até mesmo e-mail.

9. Atenção aos meios de pagamento e segurança

Ofereça o maior número possível de meios de pagamento para o seu público. Além das opções clássicas, como boleto e cartão de crédito, o PayPal é uma ótima opção a ser considerada.

Facilita a compra dos consumidores, condições especiais e parcelamentos sempre foi – e sempre será  – uma excelente pedida. Além do PIX, sistema de pagamentos instantâneos, que iniciará o funcionamento em novembro. 

Faça testes de pagamento, compre com um valor simbólico e veja se tudo ocorre perfeitamente. Atente-se também para que todas as transações sejam concluídas de maneira segura.

10. Pense nos clientes que você já tem

Nessa época da Black Friday é natural que as pessoas se sintam mais atraídas a comprarem de lugares novos.

Afinal, o preço aqui é um fator ainda mais atrativo. Muitas empresas não pensam nisso e colocam todos os seus esforços para conseguir novos consumidores.

Não cometa esse equívoco. Faça a sua parte e valorize os clientes que já possui: ofereça uma vantagem exclusiva a quem depositou confiança e fechou negócio em outra oportunidade.

Pode começar a divulgação da sua Black Friday por eles, ver como se comportam e, assim, saber o que tem mais saída e deve ser reforçado para os novos. Mas seja grato e dê um desconto maior para os clientes existentes.

Isso, com certeza, vai fazer com que a satisfação deles aumentem. E que empresa não quer isso? Um cliente fidelizado pode se tornar um promotor da sua marca, sem contar que custa menos e é ainda mais gratificante.

Usando esse mesmo pensamento, você pode fazer isso também considerando as pessoas que curtem as suas redes sociais ou se cadastraram em materiais desenvolvidos por você.

11. Reforce o Pós-venda e o Suporte

Como falamos antes, com o aumento das vendas, toda a empresa precisa estar preparada para a demanda que virá.

Em muitos casos, a diferença entre um período normal é gigantesca e você não pode pôr tudo a perder, certo?

Isso significa que, além de fatores estruturais e de logística, considere os recursos humanos.

As equipes de Suporte e Pós-Venda precisam estar capacitadas para atender os novos clientes que surgirem, de modo a facilitar a fidelização dos mesmos.

Muitas dúvidas e dificuldades poderão surgir, dependendo do tipo de produto ou serviço oferecido por você.

12. Comece agora

Ainda não começou a trabalhar na sua Black Friday? ‘Dê o start‘ hoje mesmo!