Bloco K e eSocial: uma nova oportunidade para os escritórios contabeis

A tecnologia tem sido uma importante aliada da Receita Federal no combate à sonegação fiscal. Com o objetivo de identificar irregularidades, a instituição tem investido em sistemas que garantam a segurança e a veracidade de informações apresentadas. Apesar da boa intenção dessas inovações, é um fato que elas vêm despertando dúvidas entre gestores e empresários. O Bloco K e eSocial costumam estar no centro dessas questões.

Levando em consideração a tensão em meio à implementação dos novos sistemas e a falta de informação de empresários a respeito deles, esse é um momento oportuno para que o contador auxilie nesse processo e, assim, conquiste novos clientes.

Continue a leitura e descubra porque o Bloco K e eSocial são uma ótima oportunidade para seu escritório contábil!

Entenda o que é Bloco K e saiba como ele funciona

O Sped (Sistema Público de Escrituração Digital), implementado pela Receita Federal, tem a prerrogativa de reunir as diversas informações a respeito da situação fiscal das empresas brasileiras. Dentro desse sistema, existe uma área denominada EFD (Escrituração Fiscal Digital). Nela, surgiu um novo bloco que recebeu o nome de Bloco K.

Ele foi instituído com o objetivo de facilitar o acesso do governo a informações referentes ao setor produtivo da empresa. Por meio dele, o Fisco receberá dados a respeito dos materiais adquiridos e o meio como foram utilizados, cobrindo possíveis perdas, o estoque e o produto final.

Como aumentar a carteira de clientes na contabilidade?

Na prática, o Bloco K funcionará como um livro digital de controle de produção e estoque. Um item que já era exigido anteriormente pela legislação.

A relação entre o Bloco K e eSocial se deve ao fato de que, assim como a nova exigência, o eSocial foi criado com a função de eliminar a sonegação fiscal e aumentar a eficiência na arrecadação de tributos. Isso é feito por meio do envio de informações, unificadas em uma única guia, a um sistema centralizado, capaz de cruzar dados em alta velocidade e verificar possíveis erros e inconsistências.

Segundo a legislação, empresas participantes do bloco K precisam enviar as seguintes informações:

  • matérias-primas adquiridas;
  • produtos elaborados com as matérias-primas;
  • perdas no processo de produção;
  • produtos finalizados;
  • cadastro de produtos e matérias em estoque.

Implementação do Bloco K

É importante ressaltar que o envio do Bloco K é obrigatório para indústrias, empresas que são equiparadas a indústrias e também para atacadistas. A única exceção são os microempreendedores individuais (MEI), as microempresas (ME) e as empresas de pequeno porte (EPP), desde que participem do Simples Nacional. A obrigatoriedade de participação segue um cronograma previamente definido.

Segundo o planejamento, as primeiras empresas a fazer parte do sistema, já em janeiro de 2017, foram aquelas com faturamento anual superior a R$300 milhões por ano. Em janeiro de 2018, a obrigatoriedade passou a se estender àquelas de faturamento superior a R$78 milhões anuais. Por fim, em janeiro de 2019, as demais indústrias devem começar a enviar as informações exigidas.

Caso a empresa se recuse a prestar as informações ou cometa erros em seu envio, pode receber multas de 1% sobre o valor de seu estoque no período apurado. Se a divergência de informações não for devidamente resolvida nos prazos estipulados, a multa pode subir para 150% sobre o valor devido do imposto.

Como o Bloco K e eSocial podem ser úteis para seu escritório contábil

Uma vez que ainda existem muitas dúvidas a respeito da implementação das exigências feitas pela Receita Federal, o profissional contábil, entendido no tema, tem a prerrogativa de orientar gestores e empresários e, assim, aumentar seu número de clientes.

Considerando que o Bloco K e eSocial são mudanças definitivas e que quaisquer erros referentes a eles podem acarretar pesadas multas, acabam funcionando como uma fonte permanente de demanda por escritórios contábeis e profissionais capacitados em orientar e cumprir suas exigências.

Ao prestar auxílio nos processos relacionados ao Bloco K e eSocial, o profissional contábil tem a oportunidade de conquistar um amplo mercado. Mas, para atingir esse objetivo, capacitação e atualização são indispensáveis.

É nítido que a melhor opção é se preparar para o eSocial. Então fique atento e cumpra com o que determina a legislação, pois o eSocial vai fiscalizar.

Se você quer evitar as multas e penalidades é bom se preparar para está obrigação! Se você procura um treinamento completo onde possa aprender de um jeito simples e descomplicado tudo que envolva o eSocial, desde eventos a serem enviados, leiaute, novas obrigações e até um plano de ação de como implantar o eSocial na empresa ou no escritório contábil, nós recomendamos um treinamento super completo para você. Clique aqui  e conheça!

Conteúdo original via RTAlmeida

Comente no Facebook

Comentários

Facebook Comments Plugin Powered byVivacity Infotech Pvt. Ltd.

Anúncios

DEIXE UMA RESPOSTA

Coloque seu comentpario
Coloque o seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.