Bolsa Família como sacar durante a pandemia

0

Diversas lotéricas estão fechadas por causa da pandemia do coronavírus, impedindo que as pessoa possam usar o serviço presencial.
Com as lotéricas fechadas ficou mais difícil para quem não possui conta em banco, sacar o Bolsa Família.

Geralmente nas pequenas cidades onde não existe nenhuma agência de banco, o modo mais fácil seria se deslocar para uma outra cidade e sacar num caixa eletrônico. Mas, por conta da covid-19, onde todos estão de quarentena, sendo importante ficar em casa. Sendo assim, a Caixa recomenda usar o aplicativo Bolsa Família, quando e se possível. No aplicativo, os beneficiários do programa vão poder acompanhar o calendário de pagamento, os saques realizados e o extrato do benefício, além de orientações do Ministério da Cidadania.

As informações disponíveis no aplicativo da Bolsa Família são as mesmas informações presentes no extrato de pagamento, o que também evita que quem recebe o benefício precise ir até uma agência da Caixa em busca de informações.

Bolsa Família para quem recebe R$ 450

Haverá um reajuste de até 29% no critério de acesso e nos valores pagos pelo Bolsa Família, o que vai representar um aumento no seu benefício, de forma extraordinária, no valor de 450,00 reais (durante seis meses) para toda a família com renda de até meio salário mínimo por pessoa.

O IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) fez uma projeção em diversos cenários a fim de potencializar o uso do Programa Bolsa Família (PBF) e do Cadastro Único para reduzir os prejuízos causados pela Covid-19 à população de baixa renda.

As medidas recomendadas pelo IPEA, que é ligado ao governo federal, estão o fim da fila de espera do Bolsa Família (com inclusão de 1,7 milhão de famílias habilitadas a receber os repasses, o reajuste permanente dos pagamentos e das linhas de elegibilidade do programa em aproximadamente 29% e a criação de um benefício extraordinário temporário para todas as famílias que estejam com os dados atualizados no Cadastro Único que tenham renda familiar per capita inferior a meio salário mínimo (R$ 522,50).

bolsa familia

O PBF atende hoje, famílias em situação de extrema pobreza (renda per capita de até R$ 89 por mês) e de pobreza (renda per capita de até R$ 178 mensais). O IPEA propõe que as linhas de elegibilidade sejam reajustadas para pelo menos R$ 115 e R$ 230, respectivamente.
Será pago um benefício extraordinário de pelo menos R$ 450 por família, por um período de 6 meses, prorrogáveis. Sendo, 30% da população, concentrados entre os mais pobres, para terem algum nível de proteção contra a crise associada ao coronavírus.

Lembrando: Sendo adotada na folha de pagamentos do mês de abril e estendida até o final do ano, a decisão de zerar a fila do Bolsa Família teria um impacto de R$ 2,24 bilhões no orçamento, ou menos de 10% de aumento frente à situação atual.