A pandemia de coronavírus está atingindo todo mundo, e a crise financeira tende a prejudicar principalmente os mais pobres. Por esse motivo, várias medidas estão sendo tomadas para aliviar esses problemas. O Bolsa Família promete crescer com a inclusão de 1,2 milhão de famílias no programa e a fila será praticamente zerada.

A medida também excluí por 120 dias as atividades de bloqueios, suspensões ou cancelamentos de benefícios, bem como a investigação e revisão cadastral.

Onyx Lorenzoni, Ministro da Cidadania, falou sobre o assunto, dizendo que “o Bolsa Família é muito importante para as famílias mais vulneráveis ​​do país. Com a inserção de mais 1,2 milhão de famílias, teremos aproximadamente 14 milhões de famílias beneficiadas, o maior número da história do programa ”. Na última quinta-feira (19), os pagamentos começaram em março. A promessa de expansão até então não havia sido confirmada e houve um corte de 158.452 bolsas.

bolsa familia

A região Nordeste foi novamente a região mais afetada. Dos 158.400 benefícios a menos em março, 96.861, o que corresponde a 61,1% do total, foram cortados exatamente na região que mais depende do programa. Indignados, nove governadores da região Nordeste aprovaram um documento que exige que o governo de Jair Bolsonaro suspenda imediatamente o corte dos 96 mil benefícios do Bolsa Família.

O mês de março representou um grande bloco no programa, que atingiu 158.452 bolsas em todo o Brasil. Baiano Rui, presidente do Consórcio Interestadual para o Desenvolvimento Sustentável do Nordeste, disse que “o governo federal, somente no Nordeste, não justifica cortar 96 mil benefícios apenas neste mês. É preciso ter alguma sensibilidade social e proteger as pessoas mais pobres ”.

O Bolsa Família é o programa de assistência governamental mais importante e essencial para um grande número de famílias que vivem em extrema pobreza em todo o Brasil. A pedido dos governadores do nordeste, a decisão foi aceita e o bloqueio ou demissão de mais pessoas foi cancelado, pelo menos por enquanto.