Bolsa Família pode mudar? Entenda

0

O programa Bolsa Família bateu novo recorde histórico. Segundo o governo federal, nesta semana o número de famílias contempladas com o benefício chegou a 14,69 milhões.

Com o retorno da nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial, os participantes do programa também puderam ver um aumento no valor recebido, visto que é pago aquele benefício que possui valor maior. 

Vale lembrar que o benefício médio é de R$ 176 mensal através do Bolsa Família, em contrapartida, é possível receber até R$375 por meio do auxílio.

Diante disso, o presidente Jair Bolsonaro não esconde sua intenção de fazer mudanças neste programa.

Assim, possíveis reajustes estão previstos para serem feitos ainda este ano, ou seja, após término do auxílio emergencial. Veja a seguir as principais propostas.

Bolsa Família

O programa de transferência de renda é direcionado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país. Assim, a iniciativa tem como objetivo garantir a essas famílias o direito à alimentação e o acesso à educação e à saúde.

A Caixa Econômica Federal atua como gestora dos pagamentos do Bolsa Família, e a origem dos recursos para pagamento é da União, por intermédio do Ministério da Cidadania. 

Foto: Rafael Zart/ASCOM/MDSA
Agência Brasil Foto: Rafael Zart/ASCOM/MDSA

Mensalmente as famílias beneficiárias recebem uma quantia em dinheiro e acompanhamento e, por isso, a principal regra de participação no programa é a renda mensal por pessoa. Veja como fica:

  • até R$ 89,00: situação de extrema pobreza;
  • R$ 89,01 até R$ 178,00: situação de pobreza, considerada quando a família tiver crianças ou adolescentes;

Quais são essas mudanças? 

O governo pretende unificar os benefícios que já existem no programa, além de reajustar os valores e criar novas bolsas.

Assim, podemos destacar como principal mudança, a intenção de ampliar o acesso ao programa através de um aplicativo específico para o cadastramento de novos beneficiários no Cadastro Único (CadÚnico), que se trata de um dos principais requisitos para o recebimento do benefício

Atualmente, o cadastro é feito pelas prefeituras e, só depois, o interessado faz o pedido de adesão ao programa.

Além disso, o presidente Jair Bolsonaro também destaca que a reformulação pretende garantir mais recursos para a população em situação de vulnerabilidade social. 

Diante disso, uma das promessas é aumentar o valor do benefício. O programa também poderá ganhar o auxílio-creche, cujo valor será de R$250 destinados para as mães que possuem filhos pequenos.

Como participar?

Como falamos acima, o CadÚnico é a porta de entrada para o programa Bolsa Família. Diante disso, se você atende aos critérios de renda, faça seu cadastro.

Para isso, se informe na prefeitura de sua cidade, onde você deve fazer o CadÚnico e apresente os documentos pessoais de todos os integrantes da família e comprovante de residência.

Depois, a seleção das famílias fica por conta do Ministério da Cidadania com base nos dados inseridos pelas prefeituras. Esse procedimento é mensal e os critérios usados são a composição familiar e a renda de cada integrante. 

Se a sua família estiver entre as selecionadas você passa a contar com a ajuda do programa, cujo valor será de acordo com o tipo de benefício para o perfil da sua família.

Atualmente, o valor é recebido através da poupança social digital criada pela Caixa Econômica, assim, o recurso é movimentado através do Caixa Tem. 

Por Samara Arruda