Bolsa Família pode subir para R$ 250

0

O governo tem planos para o Bolsa Família, tanto é, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou na quarta-feira (28), durante um encontro com apoiadores na saída do Palácio do Alvorada, que existe a pretensão de elevar a média do benefício que é pago pelo programa Bolsa Família de cerca de R$ 190 para R$ 250 a partir de agosto ou setembro. No entanto, o presidente não disse de onde virão os recursos.

Marcos Corrêa/PR – Agência Brasil

“O que podemos dizer é que o governo pretende que essa reestruturação e ampliação do Bolsa Família sirva como um anteparo para que não ocorra uma queda tão brusca ao final dos quatro meses de auxílio em 2021. Ou seja, quando chegar o mês de agosto, ampliando um pouco o Bolsa Família, isso possa servir para amortecer (o final), visto que o Bolsa Família também está vinculado aos mais vulneráveis”, disse.

O ministro da Cidadania, João Roma afirmou no mês de março, que o governo estava avaliando fazer mudanças no programa.

“Há um estudo no ministério buscando o fortalecimento do programa Bolsa Família. Tenho conversado com diversos colegas congressistas, de diversas correntes, sobre o tema e inclusive pré-agendamos uma reunião, no dia 29 de março, com a Frente Mista de Renda, onde vamos discutir um pouco para que a gente possa buscar agregar e construir uma proposta de ampliação do programa”.

Agora, no final de abril, chegou a vez do presidente confirmar uma mudança no valor do Bolsa Família.

Bolsa Família

O Bolsa Família é um programa da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania (Senarc), que contribui para o combate à pobreza e à desigualdade no Brasil. Ele foi criado em outubro de 2003 e possui três eixos principais: complemento da renda; acesso a direitos; e articulação com outras ações de modo a estimular o desenvolvimento das famílias.

Famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza podem receber um valor mensal do governo federal.

Quem tem direito ao Bolsa Família?

Famílias com renda mensal de até R$ 89 por pessoa; famílias com renda mensal entre R$ 89,01 e R$ 178 por pessoa desde que tenham gestantes e/ou crianças e adolescentes até 17 anos, vaõ ter direito ao benefício.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil