Bolsa Família será bancado por `Super-ricos´, diz ministro

0

O Bolsa Família passará por mudanças no valor e no número de famílias que serão atendidas, para isso acontecer, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quarta-feira (14), que o aumento na arrecadação de impostos dos Super-rricos vai bancar o programa.

Designed by @rafapress / shutterstock
Designed by @rafapress / shutterstock

Novo Bolsa Família deverá ter um valor médio de R$ 280, que passará a valer a partir de novembro. Atualmente o benefício paga R$ 190,00. O Governo Federal pretende lançar o novo Bolsa Família depois que terminar o pagamento da prorrogação do auxílio emergencial.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ministro explicou “Vamos taxar os super-ricos para financiar a redução de imposto aos assalariados e fortalecer o Bolsa Família”.

A reforma tributária deve “abocanhar” um valor de R$ 100 bilhões, segundo cálculos do Ministério da Economia. Sendo que R$ 50 bilhões serão destinados ao programa.

“Você vai ter que pegar esses R$ 100 bilhões de aumento de arrecadação e dizer que eles financiaram a redução das alíquotas do Imposto de Renda e vai ter que carimbar o dividendo dizendo que ele irá financiar o Bolsa Família”, disse Guedes.

Reforma Tributária

Segundo o Governo Federal, a Reforma Tributária vai simplificar e modernizar o sistema tributário brasileiro, gerando impactos positivos na produtividade e no crescimento econômico do país.

Foi só a proposta do governo chegar à Câmara dos Deputados para Reforma Tributária, receber críticas de entidades empresariais e de especialistas. A polêmica está na tributação de 20% sobre lucros e dividendos, conforme o Projeto de Lei 2.237/2021.

Os especialistas argumentam que a medida vai promover o aumento de impostos sobre as empresas.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha — jornalista do Jornal Contábil