Bolsonaro assina portaria com as mudanças na prova de vida do INSS

Passaporte, CNH e comprovante de eleição serão aceitos. Entenda

Conforme foi divulgado pelo Jornal Contábil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou na manhã desta quarta-feira, dia 02, a portaria com novas regras para a realização de prova de vida para aposentados, pensionistas e demais beneficiários do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social). 

De agora em diante, a prova de vida passará a ser feita a partir do cruzamento de dados de todos os órgãos do governo federal, de estados e municípios. Registros de vacinação e consultas no SUS (Sistema Único de Saúde), por exemplo, serão aceitos como prova de vida.

Com a mudança, cerca de 36 milhões de brasileiros que são beneficiários não precisarão mais se deslocar anualmente a uma agência bancária para fazer a prova de vida. Deste total, mais de 5 milhões têm mais de 80 anos.  Caso não seja encontrada nenhuma movimentação do cidadão ao longo do ano, ainda assim ele não terá que se deslocar para fazer a prova de vida.

O que será aceito como prova de vida?

  • Registros de vacinação Consultas no SUS (Sistema Único de Saúde)
  • Comprovante de votação nas eleições
  • Emissão de passaporte 
  • Emissão de carteira de identidade ou CNH (Carteira Nacional de Habilitação)

O que é a prova de vida e para que serve?

 A prova de vida é prevista em lei e tem o objetivo de evitar fraudes, fazendo com que, uma vez por ano, aposentados, pensionistas e pessoas que recebem benefícios assistenciais tenham que atualizar a senha dos seus benefícios a fim de provar que estão vivos.

Essa prova de vida é exigida de todos os que recebem benefícios de seguro social por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético. 

Comentários estão fechados.