Bolsonaro garante que não irá mudar o ministro da economia

O presidente provou estar apoiando Paulo Guedes ao ir pessoalmente no Ministério da Economia para uma conversa

Jair Bolsonaro (sem partido) declarou nesta sexta-feira (22) que tem “confiança absoluta” em Paulo Guedes, ministro da Economia. Ele também ressaltou que não pretende fazer “nenhuma aventura” na economia.

O presidente resolveu fazer uma visita ao Ministério da Economia, na tarde desta sexta-feira (22), que continuava turbulenta no mercado financeiro devido a proposta do governo de alterar a regra do teto de gastos públicos para bancar o programa social Auxílio Brasil. A visita se deu também um dia após o ministro da Economia ter recebido pedidos de demissão de quatro secretários, que disseram estarem saindo por motivos pessoais.

“Tenho confiança absoluta nele, ele entende as aflições que o governo passa. [Guedes] assumiu em 2019, fez um brilhante trabalho, quando começou 2020, a pandemia, uma incógnita para o mundo todo”, declarou Guedes.

O presidente também afirmou, segundo o G1 (portal de notícias da Rede Globo), que não fará nenhuma aventura.

“Deixo claro a todos os senhores: esse valor decidido por nós tem responsabilidade. Não faremos nenhuma aventura. Não queremos colocar em risco a nada no tocante à economia”, disse Bolsonaro sobre os R$ 400 que devem ser pagos no Auxílio Brasil em 2022.

Estava sendo ventilado em Brasília, que o ministro da Economia, Paulo Guedes já estava com sua carta de demissão pronta. No entanto, após se reunir com Bolsonaro, no próprio Ministério, Guedes recebeu o apoio do presidente que deixou claro que quer a sua permanência na pasta.

Bruno Funchal já tem substituto

Após a saída de Bruno Funchal, o Ministério da Economia já tem um nome para substituí-lo, segundo informações, o novo secretário especial de Tesouro e Orçamento será Esteves Colnago, atual chefe na Assessoria Especial de Relações Institucionais no Ministério da Economia. Colnago é Mestre em Economia pela Universidade de Brasília (UnB) e já foi ministro do Planejamento, no governo Michel Temer.

No entanto, Paulo Guedes ainda não definiu um nome para assumir o cargo de Secretário do Tesouro Nacional em substituição a Jefferson Bittencourt.

Comentários estão fechados.