Organizado pela Brazilian Student Association (BRASA) – a maior associação de brasileiros que estudam no exterior – em correalização com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e o canal UM BRASIL, “BRASA em Casa: o Brasil no Divã” recebeu mais de 500 estudantes no último sábado (13/7), na sede da Federação, em São Paulo. O objetivo do encontro foi refletir o momento atual do País, conectar pessoas, favorecer a troca de ideias e debater propostas para melhorar o Brasil, preparando futuras lideranças para uma agenda de reformas.

O seminário teve 11 painéis sobre diversos temas políticos, econômicos e educacionais, como: desaprender para reaprender; diálogo entre gerações; Brasil na arena internacional; empreendedorismo; Brasis no divã, GPS político, entre outros. Ponto comum nas conversas, independentemente das inclinações ideológicas, é de que o País precisa aderir a uma agenda que foque nos principais problemas estruturais e conjunturais, sem se perder nas polarizações política e de ideias, sempre tendo a educação como base de tudo.

Estiveram presentes lideranças e referências nacionais como o ex-presidente do Banco Central e atual secretário da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles; o ex-governador do Ceará Ciro Gomes; a diretora de investimentos do BNDES, Eliane Lustosa; o presidente do Insper, Marcos Lisboa; o diretor-executivo da Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), Gabriel Petrus; o fundador da Hand Talk (melhor aplicativo social do mundo, eleito em concurso pela Organização das Nações Unidas – ONU), Ronaldo Tenório; a líder indígena Alessandra Korap Munduruku; o autor do livro O que é o racismo estrutural?, Silvio de Almeida; o doutor em Ciência Política e membro da diretoria do Conselho Empresarial da América Latina (Ceal) Christian Lohbauer; entre outros.

No início do evento, o presidente do Conselho de Serviços da FecomercioSP, Artur de Almeida, avaliou que os últimos anos têm representado uma jornada desafiadora para os brasileiros. “Somos um país complexo, com acentuados contrastes econômicos, culturais e históricos. Precisamos ter consciência do que realmente queremos como nação. Há razão para acreditar que já dispomos dos instrumentos que precisamos: temos os jovens e, principalmente, as instituições acima de tudo.”

O economista e presidente do Insper, Marcos Lisboa, explicou que o País deve dar prioridade a transformações que reduzam o peso dos gastos do setor público e os problemas estruturais da economia brasileira. “Há uma agenda imensa de pequenas transformações contínuas que precisam ser feitas. O Brasil criou um mar de distorções na sociedade que geram os problemas de crescimento, pois está tudo amarrado em lei. Nosso dever de casa é limpar o sistema tributário; ninguém vai querer investir em infraestrutura ou energia com a confusão regulatória e insegurança jurídica que temos. Não conseguimos sequer fazer o básico, que é uma boa gestão da política pública – o caso mais clássico é o da educação”, apontou o economista.

Já o secretário de Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo e ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, avaliou que a produtividade nacional, fundamental para a perspectiva de desenvolvimento no futuro, voltou a cair nas últimas décadas em relação à dos Estados Unidos. “O Brasil precisa aprofundar a abertura comercial e o ajuste fiscal para a entrada em organizações internacionais, de modo a assegurar a estabilidade econômica e o crescimento da produtividade.” Ele enfatizou que a Reforma Tributária é muito importante no processo de abertura de economia.

O encontro ainda contou com um debate acalorado entre Ciro Gomes (PDT) e Christian Lohbauer (Novo). Ambos apontaram que a desburocratização do sistema passa por intervenções políticas. Contudo, Lohbauer defende uma economia neoliberal, enquanto o ex-governador do Ceará acredita que ainda é preciso um pouco de intervenção do Estado para ajudar a equiparar as diferenças socioeconômicas.

Por fim, o médico Drauzio Varella contou aos jovens as dificuldades que permeiam o sistema de saúde no Brasil, o que também passa por políticas públicas. “A gente tem a educação falha, não formamos as pessoas adequadamente, e com uma massa sem educação, fica difícil tomar decisões de fundo político que venham de acordo com as necessidades do País”, explicou.

Feira de Carreiras
Além da conferência, a BRASA – entidade atuante como um hub educacional que viabiliza interação entre estudantes que fizeram (e fazem) cursos no exterior, com grandes corporações – promoveu a feira de carreiras. Na ocasião, os jovens tiveram a oportunidade de realizar networking e conferir as vagas disponíveis em grandes empresas, como Brasil Plural, BTG Pactual, Ambev, McKinsey, Cosan, Nubank, BCG, Bradesco, Fundação Lemann, Garagem, Lojas Americanas, B2W, Vetor Brasil, VTEX e Quinto Andar. Além disso, foram realizados workshops com o objetivo de fornecer um contato mais direto e aprofundado entre os participantes e empresas.

Sobre a Brasa
A BRASA é a maior associação de estudantes brasileiros no exterior do País, cujo objetivo é empoderar a próxima geração de líderes nacionais. A “BRASA em Casa” nasceu em 2017, quando a associação decidiu tomar uma iniciativa focada cem por cento no Brasil. Com o propósito de conectar diferentes gerações de brasileiros, alunos e ex-alunos, jovens que já moraram no exterior e também aqueles que ainda têm esse sonho, abrem todos os anos espaço networking e palestras sobre temas em alta no nosso país.

Sobre o UM BRASIL
É uma plataforma multimídia mantida pela FecomercioSP e composta por entrevistas, debates e documentários com grandes nomes dos meios acadêmico, intelectual e empresarial. O conteúdo UM BRASIL aborda questões importantes sobre os quadros econômico, político e social do País e tem como objetivo estimular a participação e o conhecimento político do cidadão; envolver o jovem brasileiro nas discussões; auxiliar no desenvolvimento do senso crítico da sociedade; e promover o questionamento e a elaboração de ideias e ações. O material está disponível no site www.umbrasil.com.

Sobre a FecomercioSP 
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 136 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista – e quase 10% do PIB brasileiro – gerando em torno de 10 milhões de empregos.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.