Bruno Gagliasso é processado por não pagar direitos trabalhistas de funcionário

Bruno Gagliasso
Foto Instagran

Bruno Gagliasso e dois sócios estão sendo processados por um ex-funcionário.Ricardo Pedrosa Cruado. O profissional quer o reconhecimento do vínculo empregatício e o pagamento de todas as verbas rescisórias que ele teria recebido caso tivesse sido contratado pelo regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), como FGTS, INSS, 13º salário e férias.

Ricardo trabalhava como pessoa jurídica no cargo de desenvolvedor, com salário de R$ 9 mil reais, e estava na empresa desde julho de 2015. Ele pediu demissão em fevereiro do ano passado (2018) e agora busca na Justiça seus direitos trabalhistas.

No último dia 12 de setembro, em uma audiência de conciliação na 48ª Vara do Trabalho, no Centro do Rio, Bruno não compareceu e enviou uma pessoa da empresa o representando. A audiência terminou sem acordo. Agora cabe ao juiz comunicar a decisão dele sobre o caso.