Ícone do site Jornal Contábil – Contabilidade, MEI , crédito, INSS, Receita Federal

CadÚnico: Conheça 5 benefícios para quem está cadastrado

Imagem: Ministério do Desenvolvimento Social / editado por Jornal Contábil

Imagem: Ministério do Desenvolvimento Social / editado por Jornal Contábil

De acordo com o Decreto Federal nº 6.135, de 26 de junho de 2007, o Cadastro Único para Programas Sociais – CadÚnico é instrumento de identificação e caracterização socioeconômica das famílias brasileiras de baixa renda, a ser obrigatoriamente utilizado para seleção de beneficiários e integração de programas sociais do Governo Federal voltados ao atendimento desse público.

O instrumento é aplicado de forma obrigatória para a seleção de pessoas em todos os programas sociais do governo federal – a exceção são os programas administrados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). E pode ser utilizado para a seleção de beneficiários em programas estaduais e municipais.

Conheça 5 benefícios para quem tem o Cadastro Único.

1- Tarifa Social de Energia Elétrica

A Tarifa Social de Energia Elétrica criada pela Lei n° 10.438, de 26 de abril de 2002 é um desconto na conta de luz, fornecido pelo Governo Federal às famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único.

Para ter direito ao benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), deve seguir os seguintes requisitos: Estar inscrito no Cadastro Único, ter renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional, ou Idosos com 65 (sessenta e cinco) anos ou mais ou pessoas com deficiência, que recebem o BPC; ou  família inscrita no Cadastro Único com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos, que tenha portador de doença ou deficiência cujo tratamento, procedimento médico ou terapêutico requeira o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para o seu funcionamento, demandem consumo de energia elétrica.  

2- Programa Casa Verde e Amarela 

É o novo programa de habitação popular do Governo Federal, que está substituindo o Minha Casa, Minha Vida. O programa reúne iniciativas habitacionais do governo para ampliar o estoque de moradias e atender as necessidades habitacionais da população.

Hoje, a Caixa recebe os recursos para financiar as moradias e a remuneração pela prestação de serviço do FGTS de uma única vez.

Com financiamento facilitado e redução de juros, o Casa Verde e Amarela ajuda milhões de brasileiros a conquistar o sonho da moradia própria.

O novo programa divide as rendas em 3 grupos, que vão até R$ 7 mil e oferece diferentes taxas de juros para cada um. São eles:

3- Isenção de taxas de inscrição em concursos públicos

Pessoas de baixa renda, inscritos no CadÚnico, desempregados e doadores de sangue ou medula óssea podem ser isentos de pagar a taxa de concurso público. Essa regra pode variar de edital para edital, porém, então é importante ficar atento às regras do seu concurso específico.

4- Carteira do Idoso

De acordo com o site do Governo Federal a Carteira da Pessoa Idosa é uma das formas de comprovação de renda para acessar o direito do acesso a transporte interestadual gratuito (duas vagas por veículo) ou desconto de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, no valor das passagens para pessoas idosas com renda individual igual ou inferior a dois salários mínimos.

A Carteira da Pessoa Idosa tem as informações de identificação da pessoa e QR Code ou código alfanumérico para verificação da validade da carteira.

Pessoas idosas (acima de 60 anos) cadastradas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal com renda individual de até 2 (dois) salários mínimos.

Caso a pessoa idosa não tenha sido inscrita no Cadastro Único, deverá entrar em contato com o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) mais próximo do seu local de moradia para ser orientada e encaminhada para inscrição no Cadastro Único.

5- Auxilio Brasil

É um programa de transferência direta e indireta de renda, destinado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país, de modo que consigam superar a situação de vulnerabilidade social.

Para se candidatar ao Programa é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e tenha atualizado seus dados cadastrais nos últimos 2 anos.

Podem participar do Programa as famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que tenham, em sua composição, gestantes, nutrizes (mães que amamentam), crianças, adolescentes e jovens entre 0 e 21 anos incompletos.

As famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda familiar per capita de zero a R$ 100,00 (cem reais). As famílias pobres são aquelas que têm renda familiar per capita de R$ 100,01 (cem reais e um centavo) a R$ 200,00 (duzentos reais).

Quem pode se inscrever no Cadastro Único?

Como se inscrever

Para se cadastrar é preciso ir até o setor responsável pelo Cadastro Único em sua cidade para se inscrever. Então se dirija até o CRAS – Centro de Referência em Assistência Social do seu município e solicite o cadastramento.

E para se cadastrar é preciso:

Documentos:

O cadastramento não é feito pela internet!