Caixa libera crédito de até R$ 1.000 em 2021

0

A Caixa Econômica Federal confirmou que será liberado um microcrédito para os brasileiros que desejam abrir ou investir em seus negócios. O investimento será de R$ 10 bilhões. A ideia é oferecer microcréditos para apoiar os brasileiros após o fim do pagamento do auxílio emergencial, que teve os depósitos encerrados no fim de dezembro.

Na verdade, esse microcrédito seria um suporte pós-auxílio, servindo como estratégia de crescimento do banco para os próximos anos. De acordo com a Caixa, aproximadamente 10 milhões de empreendedores serão beneficiados com pequenos empréstimos de até R$ 1.000.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Caixa também inclui abertura de capital na bolsa americana Nasdaq e criação de banco digital, criando uma opção para os brasileiros desbancarizados. Essa linha de microcrédito para empreendedores ficará disponível no novo banco digital.

O banco está esperando o fim do auxílio emergencial, que ainda está liberando saques que irão até 27 de janeiro, para liberar o microcrédito.

Condições para conseguir o microcrédito

  • O valor máximo a ser liberado será de até R$ 1 mil
    Pagamento de três a cinco anos
  • Taxa de juros não foi informada pela Caixa


Embora a Caixa não tenha divulgado a taxa de juros, afirma que ela será mais acessível do que as praticadas pelo mercado.

Fique ligado: Apesar das facilidades, o valor continua sendo um empréstimo, e não um benefício pago aos empreendedores.

“O microcrédito não é auxílio. O auxílio é transferência. O microcrédito é um crédito, para aqueles que têm condição de pagar a Caixa de volta”, reforçou Pedro Guimarães, presidente do banco.

Quem recebia o auxílio poderá ter acesso ao empréstimo fácil da Caixa

A Caixa Econômica Federal (CEF) deve disponibilizar empréstimo para os beneficiários do auxílio emergencial. Isso porque, quando o auxílio começou a ser pago, milhões de contas poupanças sociais digitais foram abertas pelo banco. Ou seja, elas estão em nome dos brasileiros considerados até então “invisíveis” pelo governo.

Foi justamente por esse motivo, que o banco vislumbrou abrir microcrédito para o grupo.
Foram abertas cerca de 33 milhões de contas digitais durante a pandemia do novo coronavírus. Muitas dessas pessoas não tinham acesso a uma conta digital até então.

“O microcrédito era um projeto sobre o qual estávamos debruçados já antes da pandemia. Mas a discussão que tínhamos internamente era de que não seria economicamente possível e rentável realizar operações de empréstimo de R$ 100 ou R$ 200 utilizando nossa base de agências, nem os lotéricos”, explicou Pedro Guimarães, presidente da Caixa.

“A única maneira era via um aplicativo, o que acabamos desenvolvendo agora. Então a questão da solução via contas digitais acelerou em anos o projeto principal que tínhamos na Caixa”, continuou Guimarães.

Está previsto para ser lançado agora em 2021, o microcrédito. As contas digitais que foram abertas para o auxílio emergencial serão mantidas. A opção deve ficar disponível ainda no primeiro trimestre deste ano.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil