O Caixa Tem da Caixa Econômica Federal (CEF) passará por uma transformação, o aplicativo poderá ser usado como “banco digital da menor renda”. Tendo novas funcionalidades, o app deve oferecer opções de microcrédito, seguros e cartões.

No momento, o Caixa Tem está sendo usado para realizar o pagamento do auxílio emergencial, do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda (BEm).

Segundo o banco, 91,7 milhões de poupanças sociais digitais foram gratuitamente abertas em 2020 para os brasileiros que estão recebendo benefícios sociais em virtude da chegada do novo coronavírus.

A CEF manterá algumas contas digitais gratuitamente mesmo depois do término da Covid-19. Pedro Guimarães, presidente da Caixa ressaltou:

“Todos os produtos serão mantidos. Todos os produtos gratuitos continuarão gratuitos. E faremos mais.”

Guimarães também afirmou que o aplicativo Caixa Tem é o banco digital para a menor renda, que é 80% da base dos clientes do banco. Sendo assim, A Caixa deverá continuar oferecendo o pagamento digital de benefícios, inclusive do Bolsa Família, que por enquanto é pago somente de forma presencial.

Microcrédito pelo Caixa Tem

Pedro Guimarães deixou bem claro, que a entrada do microcrédito na plataforma do Caixa Tem está em fase de finalização. A pessoa de baixa renda poderá contar com empréstimos, seguros e de cartões.

Guimarães disse que, a ferramenta irá liberar empréstimos de R$ 100, R$ 200 e R$ 300 de uma maneira rápida, simples e digital. Sendo beneficiados os brasileiros de baixa renda e trabalhadores informais que recebem o auxílio emergencial.

Entretanto, Pedro Guimarães não detalhou como vai funcionar a oferta de seguros e cartões. No momento, o Caixa Tem somente oferece o cartão de débito que pode ser usado tanto em compras online como para compras em lojas físicas, bastando aproximar o celular das maquininhas de cartão.

A Caixa pretende manter os beneficiários do auxílio emergencial na sua base de clientes com a ampliação dos serviços do Caixa Tem. Por outro lado, 40 milhões de pessoas que não tinham acesso a conta bancária viraram clientes da Caixa Econômica Federal para poder receber os benefícios emergenciais oferecidos pelo Governo Federal.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil