Cânions de Capitólio são reabertos para os turistas sob novas regras

Número de embarcações será limitado e uma distância mínima dos cânions deve ser respeitada

A localidade de Capitólio (MG) ficou abalada com o acidente ocorrido há três meses. Na ocasião, um paredão rochoso se rompeu e atingiu quatro lanchas causando a morte de dez pessoas e ferindo outras. O fato comoveu todo o Brasil e a imagem do cânion se rompendo e caindo sobre as lanchas foi repetido várias vezes em cadeia nacional.

Passado este período, o local situado no Lago de Furnas foi reaberto para a  visitação de turistas. A liberação parcial das visitas náuticas aconteceu no último dia 30, com o aval da prefeitura. Além de estabelecer novas regras, como a obrigação dos condutores manterem as embarcações a uma distância mínima dos paredões e respeitarem os limites estabelecidos para cada trecho do percurso, o município – distante cerca de 282 quilômetros de Belo Horizonte – contratou uma equipe de geólogos para avaliar, diariamente, a estabilidade dos blocos de pedra.

No último fim de semana a procura do local pelos turistas foi pequena, com uma média de cerca de 80 grupos de visitantes/dia. A expectativa, no entanto, é que o fluxo de pessoas aumente gradualmente nas próximas semanas, principalmente em função dos feriados prolongados de Páscoa e de Tiradentes.

Quais são as novas regras?

O Decreto Municipal que liberou os passeios náuticos em parte do Lago de Furnas estabelece que o retorno das embarcações deve ocorrer de forma controlada. Todos os limites e faixas de segurança devem estar sinalizados. 

No percurso delimitado identificado como Trecho 1, será permitida a entrada de, no máximo, quatro embarcações por vez. Já o chamado Trecho 2 só poderá ser acessado por uma embarcação por vez – e não será permitida nenhuma parada neste percurso.

Conforme estipulado pelas autoridades locais, os barcos deverão respeitar uma distância mínima dos paredões. Todos os passageiros deverão assinar um termo de consentimento contendo orientações sobre as novas regras de visitação, como o uso obrigatório de coletes salva vidas e de capacetes.  Embarcações de mais de 32 pés não podem acessar os cânions. As demais, não podem exceder 3 nós de velocidade.

Segundo a prefeitura, as novas regras seguem as recomendações apresentadas pelos estudos geológicos realizados após a tragédia do dia 8 de janeiro e pela Polícia Civil de Minas Gerais. 

Portanto, se você estava querendo visitar o local e tinha dúvidas sobre a liberação do mesmo, saiba que já pode fazer as malas e se programar. Sempre seguindo as normas de segurança. Mas aqui vai uma informação a mais. O Lago de Furnas é formado por vários locais belíssimos e não somente aquele onde ocorreu o acidente. Então, não é preciso ir especificamente lá. Aproveite toda a exuberância e espetáculo que a natureza proporciona. Boa viagem!

Comentários estão fechados.