Investimento inicial de uma empresa é todo o valor que um empreendedor precisa ter para tirar o seu negócio do papel e transformá-lo em realidade. Por isso, nesse cálculo devem ser incluídas as despesas com obtenção do CNPJ, infraestrutura, gastos mensais, entre outros.

Investimento inicial corresponde ao valor total necessário para abertura de um negócio.

Ou seja, quanto em recurso financeiro é preciso para que uma empresa comece efetivamente a operar.

Para chegar à quantia certa, diferentes gastos precisam entrar no cálculo, tais como os gastos com infraestrutura, com produção ou aquisição dos produtos e/ou serviços, custos necessários para abrir empresa etc.

Saber como fazer o cálculo de investimento inicial é fundamental para que o empreendedor consiga avaliar se têm recursos próprios suficientes para iniciar, ou se vai precisar de apoio de terceiros — por exemplo, solicitar empréstimos ou mesmo buscar sócios.

O cálculo do investimento inicial também ajuda a mensurar em quanto tempo a empresa consegue recuperar esse primeiro investimento e começar a gerar lucros com suas atividades.

Parte importante do plano de negócios, identificar corretamente quanto você precisa para começar o seu negócio evita surpresas desagradáveis no desenrolar do seu projeto, bem como ajuda a conquistar investidores (caso queira).

Por todos esses motivos, veja como fazer o cálculo de investimento inicial para a sua empresa.

O que é investimento inicial de uma empresa? 

O investimento inicial de uma empresa pode ser definido como o montante financeiro necessário para que um empreendedor tire o seu projeto do papel e o torne realidade.

Em outras palavras, representa quanto de dinheiro é preciso ter para que um negócio comece efetivamente a funcionar.

Dentro desse cálculo é preciso inserir todos os custos iniciais de uma empresa, indo desde o necessário para montagem da infraestrutura, treinamentos, marketing, bem como os gastos para abrir um CNPJ

Também por isso, é tão importante entender como abrir empresa, pois, dessa forma, você vai saber exatamente tudo o que precisa e quanto vai gastar para legalizar o seu negócio, incluindo impostos e outras despesas mensais.

Como calcular o investimento total da empresa?

Uma das maneiras mais eficazes de fazer o cálculo de investimento inicial de uma empresa é montando uma planilha, a qual deve contemplar todos os custos que mencionamos anteriormente.

Para que nada seja deixado de lado, o ideal é dividi-la em 3 partes:

  • Investimento fixo
  • Investimento pré-operacional
  • Capital de Giro

Investimento fixo

Em uma visão geral, o investimento fixo corresponde a toda parte de infraestrutura necessária para que o seu negócio funcione. 

Nele estão inclusos os itens básicos que serão comprados para início das suas atividades, de acordo com o seu segmento, por exemplo:

  • maquinários;
  • móveis;
  • equipamentos eletrônicos;
  • decoração;
  • estoque;
  • veículos etc 

Para chegar ao custo total do investimento fixo, liste tudo o que seja referente à infraestrutura, bem como o valor unitário e o valor total de cada item, de acordo com a quantidade necessária.

Por exemplo:

ItemQuantidadeValor UnitárioValor Total
Computadores5R$ 2.000R$ 10.000
Mesas5R$ 300R$ 1.500
Cadeiras10R$ 150R$ 1.500
Total geralR$ 13.000

Ter uma visão geral do que precisa para abrir a sua empresa também ajudam a avaliar se o mais indicado é adquirir itens novos, usados, ou mesmo alugar alguns equipamentos. 

Essa análise contribui para redução de despesas, especialmente se você está em busca de saber como abrir empresa com pouco dinheiro.

Investimento pré-operacional

Ao contrário do investimento fixo que visa calcular os custos com aquisição de bens, o investimento pré-operacional é o cálculo que vai mensurar quanto custa as ações para que a sua empresa comece a funcionar.

Ou seja, nele estão inseridos valores referentes à:

  • treinamento de funcionários;
  • marketing, incluindo criação da marca, do site, divulgação etc;
  • registro da marca;
  • aquisição de sistemas de gestão;
  • legalização da empresa.

Capital de Giro

O Capital de Giro corresponde ao valor estimado necessário para que a sua empresa funcione mensalmente.

Para chegar a esse custo é preciso considerar todas as despesas fixas e móveis mensais, tais como:

  • salário dos funcionários;
  • contas de água, luz e internet;
  • impostos;
  • despesas com fornecedores;
  • custos para produção ou aquisição de estoque mínimo etc.

O que é e como calcular o Capital de Giro inicial de uma empresa?

Como mencionado, o Capital de Giro é a quantia em dinheiro que a sua empresa precisa para operar, independentemente de ter lucros ou não.

Ele também pode ser definido como o valor que uma empresa precisa para custear suas despesas diárias, sendo esse o resultado da diferença entre o dinheiro disponível e o custo dessas contas.

Imagine o mês de inauguração ou um período que, por algum motivo, não houve vendas.

Ainda assim, é preciso honrar com todos os compromissos mensais que citamos anteriormente, certo?

Desse modo, é necessário que você tenha recursos financeiros suficientes para quitar suas dívidas nessas ocasiões, ou mesmo quando o seu negócio estiver se sustentando com os próprios rendimentos.

Assim, o cálculo inicial de Capital de Giro deve contemplar todas as despesas mensais da sua empresa.

Veja este exemplo:

Descrição da despesaValor mensal
AluguelR$ 3.000
Salário dos funcionáriosR$ 10.000
ComissõesR$ 3.000
Conta de águaR$ 200
Conta de luzR$ 400
Conta de internetR$ 200
Renovação de estoqueR$ 2.000
Total geral mensalR$ 18.800

Além disso, é preciso considerar um valor extra, que servirá como uma reserva de recurso caso haja uma situação emergencial.

Para isso, o indicado é reservar 5% sobre o total do seu Capital de Giro. 

Usando o exemplo acima, se a sua empresa precisa de R$ 18.800 mil para operar todos os meses, você deve considerar um acréscimo de R$ 940 como fundo de reserva.

Assim, o valor final do seu Capital de Giro mensal será de R$ 19.740.

Calculando o Capital de Giro

Agora que o conceito de Capital de Giro ficou mais claro, é bem importante que você saiba como calculá-lo.

Há, basicamente, 3 maneira de fazer o cálculo de Capital de Giro de uma empresa, que são:

  • Capital de Giro por Necessidade
  • Capital de Giro Próprio
  • Capital de Giro Líquido
Cálculo do Capital de Giro

Capital de Giro por necessidade

Como o próprio nome sugere, o cálculo de Capital de Giro por necessidade (NCG) vai indicar quanto sua empresa necessita para funcionar.

Assim, seu resultado é obtido considerando o total de contas a pagar (CP), subtraindo as contas a receber (CR) somadas ao valor do estoque (VE). Veja a fórmula:

NCG = CP – (CR + VE)

Para ficar mais claro o entendimento, vamos usar um exemplo no qual a empresa tem R$ 5 mil de contas a pagar, R$ 2 mil de contas a receber e R$ 800.

Aplicando a fórmula:

NCG = 5.000 – (2.000 + 800)

NCG = 2.200

Aqui, é importante que você se lembre que esse cálculo indica a necessidade, ou não, de Capital de Giro.

Ou seja, se o resultado da conta for negativo, você não precisa ter giro no seu caixa, pois quer dizer que o próprio rendimento é suficiente.

No entanto, se for positivo, como no exemplo, é indicativo de que você precisa dispor de um valor extra para suprir as suas despesas.

Capital de Giro Próprio

O cálculo de Capital de Giro Próprio (CGP) vai indicar se há, ou não, necessidade de buscar recursos financeiros com terceiros.

Para chegar ao resultado, é preciso considerar:

  • Patrimônio Líquido da sua empresa (PL), que inclui o Capital Social, lucros acumulados etc;
  • Ativo Permanente (AP), que são os bens imobiliários;
  • Ativo Realizável em Longo Prazo (RLP), que é o financiamento de terceiros.

O valor do Capital de Giro Próprio é obtido aplicando a seguinte fórmula:

CGP = PL – (AP + RLP)

Se essa equação resultar em um valor negativo é sinal que, ainda que todos os recursos próprios da empresa sejam utilizados, será necessário recorrer a terceiros para custear as despesas do Capital de Giro.

Capital de Giro Líquido

Já o cálculo do Capital de Giro Líquido (CGL) deve ser utilizado para identificar as necessidades operacionais e financeiras de uma empresa.

Por isso, ele inclui o Ativo Circulante do seu negócio (contas a receber, aplicações, dinheiro em caixa etc) e o Passivo Circulante (todas as contas a pagar, tais como fornecedores, salários, impostos, entre outras).

Assim, a fórmula para chegar a esse resultado é: 

CGL = AC – PC

Resultado positivos indicam que a empresa tem Capital de Giro Líquido suficiente para se manter.

Em caso negativo, sugere a necessidade de obter recursos financeiros externos.

Como conseguir o Capital de Giro?

Como você pode ver, o Capital de Giro é essencial para manter a saúde financeira de uma empresa.

Sem ele fica praticamente impossível pagar todas as despesas de curto prazo necessárias para o negócio se mantenha funcionando.

Porém, como fazer esse cálculo quando a empresa está iniciando suas atividades e ainda não tem estimativa de gastos mensais?

Se esse for o seu caso, a sugestão é que você reserve entre 50% a 60% do valor investido inicialmente para ser usado como Capital de Giro.

Com o passar dos meses, e conforme sua empresa for se movimentando, terá parâmetros suficientes para aplicar uma das fórmulas sugeridas anteriormente.

Mas aqui surge outra dúvida: como conseguir Capital de Giro, especialmente no início das atividades? Existem algumas opções válidas tanto para a fase inicial de uma empresa quanto para o decorrer de sua existência, que podem ser:

  • recurso próprio do empreendedor;
  • aporte de sócios;
  • antecipação de recebíveis;
  • renegociação de dívidas;
  • empréstimos.

O que mais você precisa saber sobre investimento inicial de uma empresa?

Ainda que investimento inicial de uma empresa possa ser definido como a soma de todos os custos necessários para que um negócio comece a funcionar, incluindo gastos com legalização, infraestrutura e despesas mensais, é comum que o tema gere diversas dúvidas.

Pensando nisso, trouxemos alguns dos principais questionamentos dos empreendedores, especialmente os que estão iniciando nessa jornada. 

Se essa for a sua realidade no momento, muitas das respostas a seguir podem lhe ajudar a tornar a sua empresa um verdadeiro sucesso.

O que é o investimento de uma empresa?

Investimento de uma empresa é todo o valor que o empreendedor (e/ou seus sócios) vão disponibilizar para sua abertura.

Nesse montante devem ser incluídas despesas relacionadas a:

  • infraestrutura, tais como aluguel de imóvel, maquinário, equipamentos etc;
  • custos operacionais, que podem ser treinamentos, ações de marketing, custos com contador, entre outros;
  • capital de giro, ou seja, valor necessário para pagamento de todas as contas fixas e móveis mensais.

Como definir o investimento inicial da sua empresa?

A definição do valor do investimento inicial da sua empresa vai depender do porte do seu negócio, bem como do segmento.

Por exemplo, se for montar uma loja de roupas física, os custos tendem a ser diferentes de uma loja virtual.

Por isso, para saber exatamente quanto precisa para começar o seu negócio, o ideal é criar uma planilha com os custos estimados de investimento fixo, investimento pré-operacional e Capital de Giro, considerando as características da sua empresa.

Como fazer o investimento inicial de uma empresa?

O investimento inicial de uma empresa será feito com a “injeção” de recursos financeiros do empreendedor e dos seus sócios.

Para saber quanto é necessário para iniciar as atividades, é preciso considerar todos os pontos que citamos anteriormente.

Qual o melhor tipo de investimento para iniciantes?

A resposta para essa pergunta também depende do porte da sua empresa.

Afinal, quanto maior for o seu negócio, mais recursos financeiros vai precisar.

De modo geral, o investimento inicial costuma vir de capital do próprio empreendedor e dos sócios, caso tenha, ou mesmo da ajuda de amigos e familiares que acreditam no projeto.

Porém, muitos buscam linhas de crédito e empréstimos, que são utilizados principalmente para os primeiros meses de vida da empresa.

Nesse caso, o mais importante é considerar questões como juros e tempo de quitação. 

Assim, para saber se essa forma de levantar fundos para o investimento inicial é a mais indicada para você, coloque as parcelas do empréstimo no seu cálculo de Capital de Giro e certifique-se se essa é mesmo a solução mais viável (e rentável) para a sua realidade.

Quanto precisa de capital para abrir uma empresa?

O capital necessário para abrir uma empresa varia muito e vai de acordo com o segmento e o porte.

Para você ter uma ideia, um restaurante por quilo com capacidade para 150 clientes por dia, tem custo estimado de R$ 120 mil de investimento inicial.

Já montar um bar simples por ser possível com R$ 20 mil. 

Se mudarmos de segmento, montar um salão de beleza por variar entre R$ 10 mil a R$ 50 mil, dependendo da localização, do número de funcionários e dos serviços oferecidos.

No entanto, negócios on-line tendem a ter custos menores, pois não precisam de infraestrutura que inclui aluguel de espaço, grandes maquinários, entre outros. 

Um exemplo é montar uma loja virtual, que pode precisar de um investimento inicial entre R$ 1 mil e R$ 5 mil para quem é MEI (Microempreendedor Individual), ou entre R$ 5 mil e R$ 50 mil para quem é ME (Microempresa).

Ou seja, é totalmente possível empreender gastando pouco, tudo depende do ramo no qual pretende atuar, se o seu negócio será físico ou on-line, entre outros fatores.

Somado a tudo isso, não podemos deixar de lado os custos para abrir uma empresa, que variam de acordo com a modalidade do negócio, regime tributário escolhido, região etc.

A média de abertura de uma empresa é de R$ R$ 1.518,16. Porém, é preciso que você considere que diversos pontos influenciam nesse valor.

Para entender melhor, leia o artigo “Quanto custa abrir empresa no Brasil? Descubra tudo!

Como conseguir o capital inicial para um negócio?

Sabendo de tudo isso, talvez você queira saber como conseguir capital inicial para o seu negócio, certo?

Com mencionamos anteriormente, você pode utilizar recursos próprios, ou buscar apoio de terceiros.

Em ambos os casos é fundamental que o cálculo de investimento inicial seja feito da maneira certa.

Dessa forma, você terá o valor exato que vai precisar para iniciar as suas atividades, sem surpresas durante a execução do projeto.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Contabilizei