O mundo globalizado se apresenta com diversas variáveis intrínsecas e extrínsecas, e seus habitantes ficam atormentados diante de tantas adversidades, pois os fatos legitimam essa transformação, mas não sabemos se para o bem ou não, mas seguimos nosso caminho, com nossas crenças ou não.

A limitação de nossa educação nos faz sentirmos como vitimas, mas devemos seguir um caminho, pois sabemos que a VIDA é um curto hiato temporal que buscamos aproveita-la, qualquer que seja sua profissão, ou mesmo a sua posição social, econômica e religiosa.

A cada dia ratificamos a Teoria da EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES, e após 519 anos, descobertos e ainda não colonizados, mesmo com riquezas naturais, terras férteis, uma população adestrada e domesticada, com sérias limitações que inibe a nossa evolução, continuamos em nossa sobrevivência.

Lembramos que essa DIFERENÇA SOCIAL ficará mais acentuada com a Tecnologia da Informação através da INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL convencional e a quântica.

Quando analisamos a CRISE econômica, social, política, de desemprego, de educação e saúde sem qualidade, de infraestrutura, e apelamos para o nosso senso de equilíbrio emocional conseguimos visualizar o tamanho do problema em que nos encontramos.

A EDUCAÇÃO deve ser adaptada urgentemente para que tenhamos:

  1. Habilidade, Competência, Eixo Prático;
  2. Criatividade, Relações Humanas;
  3. Idiomas;
  4. Tecnologia da Informação, Inteligência Artificial;
  5. Planejamento Estratégico, Empreendedorismo;
  6. PDCA, análise SWOT, Melhorias;
  7. Facilitação do Capital de RISCO.

Segundo a SaaS do Mercado Eletrônico, devemos conhecer essencialmente os recursos que criam um leque de oportunidades para empresas e profissionais e processa maior número de dados no menor tempo possível:

– Big data, analitics, Artificial Intelligence;

– Machine Leaning, Deep Learning;

– Business intelligence, Cloud computing.

A Revista FORBES acrescenta que a Inteligência Artificial tem a capacidade do trabalho físico como ocorre desde a Revolução Industrial, mas também o trabalho intelectual, planejamento, estratégia e tomada de decisão.

A HYPESCIENCE nos informa que diante da evolução essas máquinas tem a capacidade de:

  1. Aprender a enganas e trapacear;
  2. Assumem nossos trabalhos;
  3. São mais inteligentes que hacker humano;
  4. Entende o nosso comportamento;
  5. Age semelhante aos humanos;
  6. Sentem emoções;
  7. Invadem nossos cérebros;
  8. Usam utensílios, ferramentas e armas;
  9. Aprendem o que é certo e o que é errado.

Segunda a pesquisa MCKINSEY as empresas devem utilizar a I A para:

  1. Reduzir erro de previsão;
  2. Reduzir vendas perdidas;
  3. Melhorara a disponibilidade do produto e sua qualidade;
  4. Reduzir Custos e Despesas;
  5. Reduzir custos no transporte e armazenagem;
  6. Abrir caminhos para a interação de Profissionais e a Máquina;
  7. Eleva a produtividade;
  8. Captação de dados p0ara a produção com análise mais assertivas;
  9. Identifica oportunidades;
  10. Gera benefícios para os envolvidos.

“A Inteligência Artificial deixa claro que o HOMEM é um PRODUTO DO MEIO.” Ou seja, ou ele se capacita e se qualifica ou sai do meio.

No ensino superior o site da PORVIR nos brinda que a Inteligência Artificial exige:

  1. Sistema computacional que imita o comportamento humano;
  2. Aprendizagem personalizada e adaptativa;
  3. Sistema de aconselhamento;
  4. Avaliação individual do aluno;
  5. Melhor experiência e deficiência;
  6. Sistema de análise de aprendizagem;
  7. Preocupação com Ética, Mora e privacidade;
  8. É desafiadora para ser implementada;
  9. Transforma vida acadêmica;
  10. Afeta o futuro do ensino superior.

Na educação básica o sitie EDUCAÇÃO, relaciona dez fatores importantes que a Inteligência Artificial proporciona, senão vejamos:

  1. Diferença entre realizada virtual e realidade aumentada;
  2. BYOD em sala de aula (Bring your on device), traga sem próprio dispositivo;
  3. Uso de um Ecossistema próprio de APPS;
  4. Pratica de gameficação;(Jogos em forma lúdica)
  5. Ensino de CODING (habilidade lógica de algoritmos e mundo digital).
  6. Criação de um diretório além da biblioteca (diversas mídias);
  7. Aplicação de empreendedorismo (visão empreendedora);
  8. Inteligência Artificial e a Educação (dados coletados, padrão de erro, estatística, pontos de dificuldades);
  9. Criação de uma cultura que favorece a fluência digital (recursos digitais);
  10. Aprendizagem colaborativa (talento e capacidade).

Podemos então entender que as mudanças necessárias hão de impactar o sistema, podendo acontecer variabilidades na sua aplicabilidade, mas sabemos que é necessário.

O Profissional que está no mercado deve fazer um UP GRADE qualitativo para se inteiras dessas mudanças, e os Gestores Empresariais, devem ter procedimentos análogos para enfrentar a concorrência global.

As Empresas e seus respectivos Gestores Empresariais devem INVESTIR na aquisição de máquinas que representem a Inteligência Artificial, pelas razões descritas anteriormente para que possam manter a sua continuidade e sustentabilidade necessária.

Aqueles Profissionais e as Empresas que não aproveitarem esse hiato temporal param de adequar e se adaptar a essas novas tendências, têm só lamentar, e sugerir uma estratégia celestial e falimentar, respectivamente, que hão de acontecer.

Desculpem-nos o que pode parecer indelicado em nossa transcrição, mas como profissionais, temos o dever de alerta-los, mesmo sabendo que o presente mereça adendos, críticas e demais, caso desejem.

AUTORES:

ELENITO ELIAS DA COSTA, contador, auditor, analista, assessor, professor universitário, pesquisador, escritor e palestrante, só um ser humano diferenciado.

LEVY DA COSTA SALES, meu Neto, estudante, pesquisador, curioso, só um ser humano diferenciado com dois anos de idade.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.