Incertezas políticas, economia com total insegurança, pessoas com medo de perderem seus empregos têm sido a tônica do Brasil neste começo de 2019. E o que vemos com frequência é que, ano após ano, muito brasileiros buscam opções para renda extra e, muitas vezes, ainda vivem no aperto.

Um tema que ganhou o noticiário nos últimos meses foi a investimento no mercado financeiro que prometo altos lucros com poucas horas de trabalho. Porém, ainda há muito o que se falar para desmistificar este mercado assertivo que, com conhecimento e, até mesmo, com um pouco de sorte, pode ser vantajoso para qualquer pessoa, inclusive, mudar de profissão.

Este é o caso do engenheiro Marcelo Simões, que atualmente é trader autônomo, e desde 2006 investe no mercado financeiro. Segundo ele, que já operou em diversos tipos de ação, no início faltava conhecimento sobre o ramo, que conseguiu após ter contato com Rodrigo Cohen, especialista com mais de 20 anos de experiência no mercado financeiro, especialista em Day Trade, Swing Trade e operações automatizadas com robôs.

Simões, que chegou a faturar R$50 mil em um swing trade, módulo para traders que operam em curto, médio e longo prazo e com menor frequência, falou sobre a importância de ter conhecimento específico. “Me tornei trader há cerca de dois anos e já fique muito frustrado com algumas operações que derem errado, por não ter um bom gerenciamento de risco, por não conhecer muitas técnicas. Isso me atrapalhou bastante. Após fazer um curso do Cohen, comecei a ver o mercado de uma forma diferente e a encarar o trade como uma profissão. É muito diferente de ser empregado de uma empresa. Se eu acordo e não estou bem, não opero, não ligo o computador e posso tirar o dia para passear com a minha filha e com a minha esposa”, revela.

Já o advogado curitibano Nelson vem se dedicando há um tempo na carreira de trader e, assim como o Marcelo, chegou a perder o que ganhou por não saber como fazer e, mais ainda, por não estar preparado psicologicamente. “Começou do zero, não tinha a mínima ideia sore o mercado financeiro. Fiz um curso com o Rodrigo e ganhou uma base necessária. Eu já perdi em um dia o lucro que tive em três dias produtivos. Mas, além da questão técnica, um fator determinante foi o mindset que aprendi com ele. Uma semana após o curso eu comecei a operar e lucrei, em média, R$10 mil, em uma semana investindo apenas R$2 mil”, conta.

Para os dois, a motivação principal em seguir investindo no mercado financeiro é oferece um futuro melhor para e poder ter mais tempo com suas famílias.

Rodrigo Cohen, de qualquer forma, faz um alerta importante já que o trader é uma profissão como qualquer outra e também traz riscos. “Assim como você tem lucros maiores, você tem riscos maiores. Um amigo disse que queria deixar seu trabalho de engenheiro para viver como trader full-time, mas minha resposta foi taxativa: “eu não faria isso, a menos que seja um sonho que você esteja disposto a levar até às últimas consequências”. Quem tem vivência real com traders, e não apenas analisa números, sabe que o controle emocional é indispensável para o sucesso. É a falta dessa habilidade que faz com que o trader assuma riscos cada vez maiores e acaba indo para o tudo ou nada no fim do processo ao perceber que sua conta está diminuindo”, alerta.

*Rodrigo Cohen é ingressou no mercado financeiro em 2000, ano que comprou a primeira ação. É graduado em Engenharia Elétrica/Computação com pós-graduação pelo Instituto Coppead/UFRJ. Em 2013 se tornou trader, após ter o seu certificado de analista técnico de investimentos.