Casa Verde e Amarela: descubra quem pode ser beneficiado pelo programa habitacional

O programa Casa Verde e Amarela desenvolvido durante o governo de Jair Bolsonaro, auxilia famílias de baixa renda a realizar o sonho da casa própria.

As famílias residentes nas regiões norte e nordeste do país poderão dispor do novo programa habitacional do governo federal, dado que serão as áreas que receberão as maiores assistências.

No dia 15 deste mês foi anunciado que o programa contaria com a assistência de estados e municípios, estes deverão desembolsar 20% do valor exigido em troca das moradias. No mesmo dia foi anunciada a ampliação dos beneficiários do programa habitacional. 

Transformações no programa habitacional 

O programa é o substituto do antigo Minha Casa Minha Vida, foi desenvolvido para auxiliar os indivíduos que procuram viver dignamente em suas casas próprias. Os benefícios habitacionais são agora coordenados pelo Casa Verde e Amarela. 

O Minha Casa Minha Vida havia sido instituído no ano de 2009 durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Quando ainda assumia a forma do Minha Casa Minha Vida separava os beneficiários em faixas. 

A faixa dos beneficiários com rendas mais baixas era isenta das taxas. Contudo, a faixa 1 do programa Casa Verde e Amarela é taxada em 4,25%. 

O fundo do Casa Verde Amarela é utilizado para subsidiar parte do valor do imóvel que será adquirido ou construído, o programa habitacional oferece a oportunidade de um financiamento mais compatível com a realidade das famílias de baixa renda brasileiras. 

Conheça as faixas reformuladas

A faixa 1, que compõe o programa habitacional, é formada por grupos familiares com receita mensal até R$2.000,00. Essas famílias podem ser contempladas com subsídios até R$47,5 mil. Os juros para a faixa 1 são reduzidos e ficam na média de 4,75%, já os beneficiários da região norte e nordeste podem dispor de uma taxa de 4,25% ao ano. 

Já a faixa 2 é composta por famílias com renda mensal até R$4.000,00. Por se tratar de uma faixa com mais recursos, os subsídios são reduzidos e chegam até R$29 mil. As taxas para esta faixa variam entre 5,5% a 7%, não cotistas podem ter o percentual de 5% a 6,5%. 

A faixa 3 é formada por grupos familiares com receita mensal até R$7.000,00. Os subsídios para esta faixa são menores e as taxas de juros um pouco maiores, 7,66% para não cotista e 8,16% para cotistas. 

Comentários estão fechados.