Cesta Básica: novo aumento de preços é registrado pelo Dieese

Os preços dos alimentos que compõem a cesta básica continuam subindo, a informação foi divulgada pelo Dieese, que identificou nova alta no mês de setembro deste ano.

A notícia é desanimadora para aqueles que recebem de um a dois salários mínimos, aquilo que já estava caro passou por novo aumento. A informação foi obtida através da comparação de preços referente ao mês de agosto de 2021. 

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos avaliou os produtos encontrados em 17 capitais do Brasil, os dados apontam alta de preços em ao menos 11 dessas capitais. 

Quais são os preços por estado?

São Paulo foi classificada com a cesta básica mais cara do país, custando R$673,45. Seguida por Porto Alegre com R$673,39 já Florianópolis ocupa o terceiro lugar com a cesta básica custando R$662,85. 

A capital do estado de Sergipe, Aracaju registrou o preço mais baixo do país R$454,03. João Pessoa é a capital com a segunda cesta básica mais barata do Brasil, custando R$476,63 enquanto Salvador ocupa o terceiro lugar com os produtos básicos da cesta básica somando R$478,86.

Produtos que passaram pela alta de preços 

O açúcar teve seu preço elevado em todas as capitais, as cidades que registraram as maiores altas de preço da mercadoria foram: Belo Horizonte (11,96%), Vitória (11%), Brasília (9,58%) e Goiânia (9,15%). 

A chuva impactou a produção da matéria-prima do açúcar (cana-de-açúcar), em decorrência desse efeito ocorre o aumento de preço graças a baixa oferta do produto. 

O café também teve alta de preço registrada, isso ocorreu em: Goiânia (15,69%), Brasília (10,03%), Natal (9%) e Campo Grande (4,79%). O aumento de valor desse produto se deu em virtude das geadas que ocorreram durante o mês de julho e a alta da cotação do dólar. 

Dessa vez o óleo de soja também passou por altas de preços, o aumento foi registrado em pelo menos 15 capitais. Campo Grande foi a capital com o maior percentual de aumento, 3,45%. 

A mercadoria vêm sendo exportada para a China em decorrência de escoamentos da produção norte-americana. Esse processo vêm estimulando o aumento de preço do produto no Brasil. 

Todos os produtos básicos passaram pela elevação de preço em comparação a setembro de 2020. Vale relembrar que em setembro de 2020 todos os produtos básicos já passavam pelo aumento de preços em todas as cidades do país. 

Comentários estão fechados.