Empresas que trabalham com demonstração de produtos devem utilizar o código fiscal CFOP 5912, que faz parte da tabela do CFOP.

Este é um código que precisa ser informado nos documentos fiscais das empresas sempre que for o caso.

A tabela CFOP é utilizada para fins de fiscalização da circulação de mercadorias ou prestação de serviços.

Quando o código não é informado nos documentos fiscais da empresa pode haver retenção do produto ou atraso nas entregas.

Saiba agora mesmo tudo o que você precisa saber sobre o código fiscal CFOP 5912 e entenda como funciona a tabela.

Confira!

O que é a tabela CFOP?

Antes de entender para que serve o código fiscal CFOP 5912, é preciso saber que ele é gerado pela tabela CFOP.

A tabela CFOP é formada pelo Código Fiscal de Operações e Prestações.

Sua principal função é fiscalizar a circulação de entradas e saídas de mercadorias e serviços.

Estas operações ocorrem em nível intermunicipal, interestadual e até mesmo internacional.

Dessa forma, os códigos da tabela CFOP foram criados de modo que pudessem identificar cada uma dessas operações e o seu destino, além de indicarem quando haverá incidência de impostos.

Então, cada código é específico e determina um tipo de atividade diferente.

Empresas que trabalham com o sistema de transporte de produtos, por exemplo, devem utilizar os códigos CFOP sempre que houver circulação de bens, como entrada e saída de mercadorias.

“Mas, por que CFOP 5912?”, você deve estar se perguntando; saiba que existe toda uma lógica para isso.

Por atender a diversos tipos de atividade de entradas e saídas de produtos e serviços, a tabela CFOP é pensada para facilitar a identificação desses muitos códigos, que são mais de 500 combinações.

Entenda mais a seguir!

Como ela é formada?

A tabela é formada por  seis grupos de numeração base, em que três deles são destinados a entradas ou aquisições e outros três para saídas ou prestações de serviços.

Além disso, esses grupos numéricos também determinam o destino da operação.

Confira abaixo:

  • Grupo 1000 – Entrada e/ou aquisições de serviços dentro do estado;
  • Grupo 2000 – Entrada e/ou aquisições de serviços para outros estados;
  • Grupo 3000 – Entrada e/ou aquisições de serviços para o exterior;
  • Grupo 5000 – Saídas ou prestações de serviços dentro do estado;
  • Grupo 6000 – Saídas ou prestações de serviços para outros estados;
  • Grupo 7000 – Saídas ou prestações de serviços para o exterior.

Nesse sentido, é possível notar que o primeiro dígito do código diz muito sobre o tipo de operação, certo? Pois já podemos saber se é em nível intermunicipal, interestadual ou internacional, por exemplo.

Veja na tabela a seguir:

OperaçõesEntradaSaída
Intermunicipal15
Interestadual26
Internacional37

Diante disso, vamos considerar o código CFOP 5912.

Com as informações acima, já podemos entender que esta combinação se refere a saídas em nível intermunicipal, certo? Então agora você já pode descobrir para o que ele serve.

Acompanhe!

E para que serve o código CFOP 5912?

Como você acabou de observar, o primeiro dígito do CFOP 5912 é 5, que se refere justamente a “saídas ou prestações de serviços dentro do Estado”, de acordo com as definições da tabela.

Essa é a primeira informação importante sobre este código, mas a sua principal atribuição é sobre “Remessa de mercadoria ou bem para demonstração, mostruário ou treinamento”.

Um exemplo é quando um revendedor precisa testar o produto.

Código Fiscal CFOP 5912

Então, sempre que houver remessa de mercadoria para demonstração e a operação for entre um município e outro, haverá uma atividade de saída que deverá usar o código fiscal CFOP 5912.

Mas onde indicar essa atividade? O preenchimento dos códigos CFOP é obrigatório em todos os documentos fiscais da empresa, então o CFOP 5912 deverá constar nas notas fiscais, para fins de transporte e também no livro fiscal sempre que for o caso.

Qual a diferença entre CFOP 5912 e CFOP 6912?

Se você já entendeu a definição de CFOP 5912, mas está se perguntando qual a diferença entre ele e o CFOP 6912, saiba que é comum essa confusão.

Isso porque os códigos, além de serem parecidos, possuem definições semelhantes, mas são diferentes.

Desse modo, enquanto o CFOP 5912 diz respeito à remessa de produtos para demonstração em nível intermunicipal, o CFOP 6912 também determina a remessa de produtos para demonstração, só que em nível interestadual, ou seja, fora do estado.

Perceba que o primeiro dígito é 6 e não 5, o que diferencia o destino da atividade, pois ambas tratam de saídas de mercadoria para avaliação.

Dessa forma, é compreensível a importância de conhecer os grupos da tabela, pois eles podem determinar essas distinções.

Qual a diferença entre CFOP 5912 e CFOP 5913?

Mas e quanto ao código CFOP 5913?

Nesse caso, o primeiro dígito de ambos os códigos é o mesmo, 5, portanto já sabemos que se trata de saída de mercadoria em nível intermunicipal.

A diferença entre CFOP 5912 e CFOP 5913 está na definição do segundo código, mas eles também estão relacionados.

Isso porque enquanto o código CFOP 5912 remete o produto para demonstração, o CFOP 5913 retorna, isto é, ele diz respeito ao “Retorno de mercadoria ou bem recebido para demonstração”, sempre considerando a atividade de saída de um município para outro.

Ou seja, sempre que houver a remessa de devolução do produto recebido para demonstração em nível intermunicipal, o código CFOP 5913 deverá ser usado.

Como funciona a remessa para demonstração?

Falamos até agora sobre remessa de demonstração, mas você sabe o que é?

De acordo com o Ajuste SINIEF 08, de 4 de julho de 2008, esse tipo de operação diz respeito ao contribuinte que envia mercadorias a terceiros em determinada quantidade para avaliação do produto, desde que o retorno ao estabelecimento de origem seja feito dentro do prazo de 60 dias.

Dessa forma, a mercadoria é transportada por meio de nota fiscal, na qual os códigos, como CFOP 5912 e CFOP 5913, devem ser devidamente informados sempre que for o caso.

No entanto, há diferença entre a demonstração e o mostruário, pois este deve ser enviado como amostra de mercadoria sob um valor comercial e é destinado ao empregado ou representante.

Nesse caso, o prazo de retorno ao estabelecimento é de 90 dias.

Vale ressaltar, porém, que essas operações de mostruário não consideram o envio de mais de uma peça do mesmo produto, enquanto as de demonstração devem ser feitas em quantidade necessária para fins de conhecimento do mesmo.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

O nosso parceiro Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Azulis