CMV: Como calcular o custo de mercadoria vendida?

0

O sucesso de um bom negócio depende de uma organização constante, cálculos diários e possíveis mudanças de estratégias e hábitos. Por isso, é importante saber o CMV de cada produto com que trabalha.

Descubra agora como fazer o cálculo e entenda como ele te ajuda a melhorar como gestor.

O que é o CMV?

O CMV (Custo de Mercadoria Vendida) é a soma de todas as despesas empregadas em um produto até sua venda, ou seja, todo o trabalho e recursos investidos nele desde sua chegada até sua saída.

Nesse cálculo entram os valores com o armazenamento, a produção ou a compra da mercadoria para que ocorra a revenda. Com o resultado, podem ser encontrados alguns exageros ou desperdícios, possibilitando reverter um cenário negativo. 

É interessante fazer o cálculo do CMV periodicamente para identificar quais os produtos mais rentáveis e quais geram mais despesas. Assim, fica mais fácil avaliar se o investimento na armazenagem de um produto, por exemplo, se paga no futuro ou se pode gerar prejuízos.

SAIBA+AZULIS: FIFO: o primeiro que chega é o primeiro que sai

Como calcular o CMV?

Para calcular o CMV de modo eficiente e correto, é necessário conhecer seu modelo de negócio, entendendo quais os valores que serão considerados para entrar no cálculo. Cada tipo de negócio leva em conta fatores próprios.

A fórmula para o cálculo torna-se mais simples ao conhecer bem aquilo que ocorre dentro da empresa, mas em termos gerais é a seguinte:

CMV = EI + C – EF

Considerando o valor das siglas:

EI = Estoque InicialC = Compras EF =  Estoque Final

O Custo de Mercadoria Vendida é, então, seu Estoque Inicial (os produtos que a empresa tem ao final do período anterior) somado às compras realizadas no período atual e, por fim, subtraímos o Estoque Final (os produtos que sobram na última contagem de estoque desse mesmo período).

Para ficar mais claro, vamos dar um exemplo.

Se um pequeno empresário tem um bazar e deseja saber qual o valor de CMV durante o período de janeiro a dezembro de 2019, ele deve levantar os seguintes valores:

  • EI: R$ 80.000,00 (iniciou o período com esse valor de estoque).
  • C: R$ 300.000,00 (durante o período apresentado, ele adquiriu esse valor ao estoque).
  • EF: R$ 50.000,00 (ao fim do período seu estoque apresentava esse valor).

Com esses valores em mãos, basta realizar a soma seguida da subtração:

Custo de Mercadorias Vendidas = 80.000 + 300.000 – 50.000.

Nesse caso, o CMV é de R$ 330.000,00.

Obtendo esse valor, o dono do bazar saberá, conforme a realidade do negócio, se seus produtos estavam com custo baixo ou não até se tornarem vendas.

O que não deve ser usado no cálculo do CMV?

Apesar de parecer que todo o custo entra no cálculo do CMV, não se deve considerar aquilo que é referente ao cotidiano do negócio, como valores administrativos, despesas com vendas, operacionais e impostos sobre o faturamento.

Alguns fatores que servem de exemplo sobre esse tipo de valor descartável para o cálculo são:

  • fretes
  • juros sobre empréstimos
  • comissões de venda
  • compromissos fixos (energia, aluguel, internet etc.)

SAIBA+AZULIS: Como montar uma mercearia? Descubra as melhores dicas agora!

Quais as vantagens de calcular o CMV?

Sabemos o que é o CMV e aprendemos a calculá-lo. Agora é preciso entender a importância de identificar esse valor e tê-lo em mente diariamente.

Listamos abaixo algumas vantagens:

  • Calcular o CMV permite conhecer o valor do seu lucro bruto. A utilização dessa ferramenta pode indicar um custo elevado em determinada mercadoria, o qual pode ser reduzido, visando o aumento da lucratividade.
  • Talvez uma mercadoria esteja há muito tempo em estoque e você queira fazer uma promoção atrativa para seus clientes. O cálculo de CMV vai te dizer quanto de desconto é possível oferecer nesse produto sem que haja prejuízo para a empresa.
  • Saber calcular o CMV é vantajoso para ter um controle mais assertivo sobre o lucro obtido pela empresa.
  • Entender se a empresa tem feito boas compras também pode ser analisado através desse processo. Assim é possível melhorar o planejamento de compras, buscar preços mais competitivos e adquirir uma quantidade de produtos de acordo com a demanda.
  • A organização do estoque também é impactada pelo CMV. Processos de organização, como o FIFO (First In, First Out), ajudam a ter menos problemas de estoque, evitando perdas e melhorando o lucro. Para alcançar bons valores de CMV é necessário manter um bom controle de armazenagem.

Realizar o cálculo do CMV é somente um dos muitos meios de manter um controle maior sobre seu negócio. Um conhecimento aprofundado dos valores que circulam permite tomadas de decisões mais estratégicas e que podem mudar completamente o rumo do seu negócio.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Fonte: Azulis