Coisas que o INSS não te conta antes da solicitação dos benefícios

Na hora fazer uma solicitação é muito importante ter atenção para evitar perder tempo e dinheiro. Listamos 7 coisas que o INSS não te conta.

0
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Na hora fazer uma solicitação no INSS é muito importante ter atenção para evitar perder tempo e dinheiro. Para isso, listamos 7 coisas que o INSS não te conta.

Assim, você se sentirá mais preparado para realizar qualquer solicitação. Confira!

Saiba 7 coisas que o INSS não te conta para facilitar a sua solicitação

A gente sabe que solicitações que envolvem documentos e dinheiro precisam ser realizadas com atenção. Dessa forma, você evita dores de cabeça e garante que tudo seja feito da forma correta.

Para te ajudar, vamos mostrar 7 coisas que o INSS não te conta. Com isso, você evitará complicações, gastos desnecessários e poderá até adiantar a sua aposentadoria. Olha só!

Conferir o CNIS

O CNIS é o seu histórico no INSS, por isso devem conter todas as informações necessárias para a sua aposentadoria. Ou seja, o nome de todas as empresas em que você trabalhou, datas de entrada e saída, remuneração recebida, entre outros.

Se houver algum erro, será preciso incluir documentos extras para solicitar a correção antes de solicitar o benefício. Por essa razão, conferir o CNIS deve ser o primeiro passo antes de qualquer requerimento.

Avaliar o melhor momento parra pedir a aposentadoria

Antes de solicitar a sua aposentaria, faça uma simulação para analisar qual momento será mais vantajoso para você. 

Nessa etapa, leve em consideração o cenário e escolha qual oferece o melhor custo-benefício.

Comparar os tipos de aposentadorias possíveis

Uma das 7 coisas que o INSS não te conta é que é possível comparar os tipos de aposentadorias. Com isso, você pode avaliar o melhor cenário antes de solicitar o seu benefício.

Por exemplo, pode ser que hoje você tenha direito a uma aposentadoria. Mas se aguardar 4 ou 5 meses, poderá ter direito a uma aposentadoria melhor.

Com as novas regras impostas pela reforma, serão reduzidos os tipos de aposentadorias possíveis e os valores de renda serão calculados de forma semelhantes em todas elas.

Períodos trabalhados com exposição a agentes nocivos

Quem trabalhou nessas situações pode ter direito a um adicional no tempo de contribuição. Também pode conseguir se aposentar sem o fator previdenciário.

O acréscimo pode ser, no mínimo, 40% no tempo de contribuição do homem e 20% no tempo de contribuição da mulher.

No entanto, a Reforma da Previdência excluiu esse direito da conversão de tempo. Então, só será possível solicitar o acréscimo aqueles que trabalharam nessas condições antes da reforma entrar em vigor. Ou seja, até 12/11/2019.

Períodos sem registro na carteira

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil
Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Existem muitos casos de empresas que não registram corretamente seus funcionários na tentativa de pagar menos impostos. Em alguns casos, o empregador promete um salário maior, mas que, muitas vezes, não é registrado no INSS.

A boa notícia é que o segurado pode solicitar o reconhecimento desse período. Mas, para isso, é preciso apresentar documentos que comprovem o trabalho na empresa. Por exemplo: contracheques, ficha ou cartão de ponto, anotações na carteira de trabalho, entre outros.

Período de trabalho como autônomo para pessoas jurídicas

O trabalhador autônomo tem a obrigação de recolher as contribuições ao INSS. Caso isso não seja realizado, o período não será contado.

No entanto, umas das 7 coisas que o INSS não te conta é que trabalhadores autônomos podem fazer essa solicitação.

Essa regra vale para profissionais que prestaram serviços para pessoas jurídicas a partir do ano de 2003. Isso porque a obrigação é da pessoa jurídica para quem ele prestou serviço.

Nesses casos, é preciso apresentar documentos que comprovem a prestação de serviço, como: recibo de pagamento, contratos, e-mails e declaração do Imposto de Renda. 

Período de trabalho rural anterior a 1991

Trabalhadores do meio rural antes de 1991 podem ter o período considerado para a aposentadoria. Aliás, não há necessidade de ter contribuído para o INSS.

Isso vale para quem trabalhou sob o regime de economia familiar. Ou seja, a família produzia no ambiente rural somente o suficiente para o próprio sustento.

Quem trabalhou nesse período pode contar o tempo a partir dos 14 anos de idade.

Você conhecia alguma dessas condições? Então, informe-se antes de realizar a solicitação do seu benefício. Assim, as chances de perder dinheiro e ter complicações serão ainda menores.

Fonte: Aposentadoria Club

Imagem: Aposentadoria Club

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.