Com seis meses de operação, PIX ultrapassa DOC, TED e boleto bancário

Novo meio de pagamento criado pelo Banco Central, em novembro de 2020, se consolidou no país e 45% de brasileiros fazem uso do serviço.

0

Em apenas seis meses de operação, a utilização do PIX – o serviço brasileiro de pagamentos instantâneos – já supera as ferramentas mais tradicionais de pagamentos, como DOC (Documento de Crédito), TED (Transferência Eletrônica Disponível) e boleto bancário.

Desde o seu lançamento em novembro de 2020, cerca de 75 milhões de pessoas já fizeram uso do serviço para pagar ou receber.

Ou seja, 45% da população brasileira adulta.

As transações realizadas pelo PIX (1,547 bilhões) já foram responsáveis pela movimentação de mais de R$ 1,109 trilhões.

De acordo com dados do BC (Banco Central), existem mais de 242 milhões de chaves PIX cadastradas, sendo 83 milhões de usuários pessoas físicas e mais de 5,5 milhões de empresas.

O diretor-presidente do Sicoob Cressem Tiago Teixeira afirma que o sucesso da ferramenta se dá principalmente por sua democratização.

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil
Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. O meio de pagamento criado pelo Banco Central (BC) em que os recursos são transferidos entre contas em poucos segundos, a qualquer hora ou dia. É prático, rápido e seguro. / Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

“É um instrumento ágil que pode ser usado nas mais diversas situações do dia a dia. Além disso, a sua praticidade ajuda a alavancar a competitividade do mercado”, pontuou Teixeira.

Sistema Financeiro

Segundo o BC, o pagamento para empresas está com uma taxa média de crescimento bastante acelerada, em 57,5% ao mês.

Em comparação a outros sistemas de pagamentos instantâneos no mundo, o PIX figura entre os que tiveram adoção mais rápida.