Como calcular o retorno de investimento em treinamentos e consultoria?

*Paulo Kretly

Investir em treinamentos é uma prática que proporciona à organização diversos benefícios porque melhora o desempenho dos colaboradores e, consequentemente, a lucratividade do negócio. Afinal, como pontuou Stephen R. Covey no best-seller Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes “todos temos a capacidade de evoluir e crescer, desenvolvendo um potencial cada vez maior, aprimorando nossos talentos”. 

Mas como saber se a iniciativa está alcançando os resultados desejados? Para isso, é importante fazer o cálculo de retorno de investimento. Além de avaliar o custo-benefício, a iniciativa ajuda a identificar a necessidade de novas estratégias para o aprimoramento dos colaboradores.

O retorno de investimento, em inglês, Return on Investment – ROI é uma métrica financeira que mensura a eficiência de um determinado investimento feito pela empresa. O ROI é um indicador que possibilita a análise cuidadosa dos custos e benefícios relacionados a cada investimento para verificar se eles são ou não viáveis e interessantes para a companhia naquele momento.

Como fazer o cálculo do ROI?
Para calcular o ROI deve-se dividir o lucro obtido por meio do investimento pelo valor que foi investido. Em seguida, multiplica-se o valor obtido por 100 para termos o valor em porcentagem.

Dessa forma, se uma empresa faz um investimento de R$ 10.000, que traz um retorno de R$ 30.000 para o negócio, por exemplo — ou seja, um lucro de R$ 20.000 —, o ROI calculado é de 200%.

O que considerar ao fazer o cálculo de retorno de investimento?
O cálculo de retorno de investimento para treinamentos e consultoria envolve diversas variáveis que vão além do cálculo matemático apresentado. Isso porque é preciso considerar determinados fatores, como a qualidade do serviço prestado e os impactos qualitativos que eles trouxeram à rotina da empresa. Por esse motivo, vale a pena contratar uma consultoria para ajudar a fazer um diagnóstico e definir as estratégias para obter os melhores resultados de ROI nessa área.

Veja, a seguir, os principais passos que devem ser seguidos para que o cálculo seja feito da maneira correta.

Crie objetivos e metas
Para que o retorno sobre o investimento seja bem calculado, é preciso ter objetivos e metas bem definidos, o que inclui, inclusive, estipular os prazos em que estes devem ser atingidos.

Se uma empresa deseja promover um treinamento para um time de vendas, pode definir seu objetivo como “aumentar as vendas em 20% em um ano”, por exemplo. Assim, fica claro em quanto tempo o ROI deverá ser medido e qual valor espera-se encontrar.

Levantamento dos custos do treinamento
Tenha em mente que os custos do treinamento não se limitam somente ao valor pago às empresas que prestam o serviço, mas incluem diversos outros fatores como materiais e equipamentos (computadores e projetores) e infraestrutura (internet, salas e auditórios). Também deve ser considerado o tempo em que os colaboradores estão no treinamento.

Identifique os elementos a mensurar
A identificação dos elementos a serem mensurados está relacionada aos benefícios obtidos com a consultoria ou treinamento como um todo, e não somente ao retorno financeiro direto. Isso acontece quando um treinamento promove um aumento na motivação e na produtividade dos colaboradores, por exemplo.

Essas melhorias podem gerar um aumento no faturamento da empresa após algum tempo da realização do treinamento. Porém, nem sempre a organização identifica que esse resultado foi impactado pela qualidade do treinamento realizado, atribuindo a outros fatores, como novos equipamentos adquiridos nesse espaço de tempo etc.

Abaixo, alguns aspectos que devem ser levados em conta no cálculo do ROI:

– A aquisição de novas habilidades ou conhecimento técnico pela equipe;
– O alcance dos objetivos e metas propostos ao investir no treinamento ou na consultoria;
– A satisfação dos colaboradores com o treinamento prestado;
– A melhoria de produtividade e a presença de colaboradores mais motivados e engajados com o trabalho;
– O maior conhecimento dos colaboradores em relação aos processos internos da empresa;
– a melhoria do clima organizacional.

É importante que todos os elementos sejam mensurados, não só após, mas também antes da aplicação dos treinamentos, para que seja possível compará-los e saber se o investimento valeu a pena. 

*Paulo Kretly é presidente da FranklinCovey Brasil – empresa líder mundial em eficácia corporativa e pessoal. Mestre em Administração de Empresas e graduado em Pedagogia, possui especialização em Administração e Marketing pela Fundação Getúlio Vargas e MBA com especialização em Marketing pela Hawthorne University, de Utah/USA.