Como comprovar direito a aposentadoria especial?

0

Inicialmente, vale reprisar os requisitos gerais necessários à concessão da aposentadoria especial, uma vez que antes da entrada em vigor da reforma da previdência o Segurado possui Direito Adquirido.

Até a Reforma da Previdência o principal requisito para concessão da aposentadoria especial era o exercício de 15, 20 OU 25 anos de trabalho com exposição a agentes nocivos, apenas!

Ou seja, não exigia idade mínima, exemplo: o Segurado que trabalhou 25 anos exposto a agentes nocivos e tivesse 44 anos de idade conseguia aposentar pela Especial, e mais, com renda 100%. Pois a aposentadoria especial não incide o fator previdenciário no cálculo.

Portanto, se o segurado completou estes 25 anos de trabalho exposto a agentes agressivos até 12 de novembro de 2019 (data anterior ao início da vigência da Reforma) tem direito à aposentadoria pelas regras antigas.

Com a vinda da reforma da previdência passou-se a exigir na aposentadoria Especial a idade mínima trazida pela Regra Permanente (segurados filiados após o início da vigência da Reforma): Implemento da idade mínima de 60 anos e 25 anos de exercício na atividade especial.

Contudo, como ficou a APOSENTADORIA ESPECIAL pós-reforma para quem estava prestes a se aposentar. Exemplo: Segurado possuía 24 anos e 9 meses na data da entrada em vigor da reforma, ele terá que esperar atingir a idade mínima de 60 anos?

A resposta é não, uma vez que a PEC da reforma da previdência trouxe uma regra de transição para quem já era filiado a previdência:

Regra de transição: Exigência de 25 anos de exercício na atividade especial e implemento de 86 pontos ao se somar tempo de contribuição e idade.

Portanto, aquele segurado que possuía 24 anos e 9 meses de tempo de exposição a agentes nocivos, o qual pelas regras antigas conseguiria aposentar com 25 anos de exposição, terá que atingir 86 pontos ao se somar tempo de contribuição e idade, ou seja, não precisará esperar os 60 anos.

A comprovação da atividade especial se dar por meio do formulário Perfil Profissiográfico Previdenciário-PPP, que é o documento hábil à comprovação da atividade especial. Este documento deve ser solicitado pelo segurado ao empregador, que tem a obrigação de fornecê-lo.

Dica! Com a reforma da previdência houve redução no valor da aposentadoria especial, sendo assim é importante sempre verificar a possibilidade de implementação dos requisitos antes do início da sua vigência através das funções na Carteira de Trabalho.

Dica extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social.

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática: Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise.

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Conteúdo original Ana Almeida advogada Atuante na área de DIREITO PREVIDENCIÁRIO judicial e administrativamente em revisões de aposentadoria, concessão de benefícios previdenciários e diversas demandas contra o INSS; DIREITO DE FAMÍLIA: divórcio, alimentos, pensão, inventário, guarda, interdição; DIREITO DO CONSUMIDOR: ações contra empresa de telefonia, plano de saúde, revisão de contratos, empresas em geral; DIREITO TRABALHISTA e demais ramos do direito.