Como criar um programa de sustentabilidade dentro da sua empresa

0

Nos últimos dias se falou muito sobre questões sustentáveis e projetos que atendam as demandas dos pilares ambiental, social e econômico.

Com maior frequência, percebemos empresas e pessoas preocupadas com o consumo consciente, com o uso de materiais que reduzem o impacto ambiental ou social e ainda vemos uma divulgação ampla de atividades que visam compensar impactos ambientais causados em algum momento.

De fato, todos já sabemos disso, porém, como podemos aplicar essas medidas dentro da nossa empresa? Como podemos estruturar um programa sólido que de fato gere protagonismo?

Em resposta a essas perguntas, o gestor Luiz Otávio Goi Jr. listou abaixo sete tópicos de como criar um processo de sustentabilidade para sua empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte.

Passo 1 – Implantar a política dos 5R´s: 

Muito tem se falado sobre a política dos 3R´s e sobre a gestão consciente dos resíduos, porém, a política dos 5R´s trata de uma visão muito mais abrangente e com isso em um pensamento mais sustentável em si para sua empresa.

 Repensar: O primeiro R vem do conceito de repensar os consumos e produtos. Trata de estudar o impacto gerado por algo antes mesmo da sua existência ou compra.

 Recusar: O segundo R trata de evitar consumir aquilo que sabemos que nos impactará negativamente. Recusar produtos, materiais e serviços que não estão ligados ao seu pensamento sustentável.

 Reduzir: O terceiro R fala sobre economia e uso consciente dos recursos. Consumir produtos se trata de uma necessidade, mas é sempre possível minimizar seu impacto com um projeto de redução e economia.

 Reutilizar: Criar planos que possam evitar o desperdício de materiais é o primeiro passo do plano pós-consumo, mas aquilo que realmente precisou ser consumido, não pode ser reutilizado?

 Reciclar: O quinto e último R trata dos casos em que realmente não foi possível realizar nenhum outro projeto e com isso o produto de fato chegou ao fim de sua vida útil. Nesse caso, pensar em materiais que sejam recicláveis, ajuda a fazer com que ele retorne a um novo ciclo de vida, sem que precise ser destinado como resíduo e gerando outro impacto ambiental.

Passo 2 – Pense em sua pegada de carbono: 

A emissão de CO2 continua sendo amplamente discutida, e muitas empresas buscam neutralizar sua emissão.

Na última reunião da Cúpula do Clima, o Brasil se comprometeu a neutralizar suas emissões até o ano de 2050, o que é um plano um tanto quanto apertado.

Claro que para um país inteiro realizar essa atividade, será necessário que políticas de clima sejam criadas e com isso, as empresas precisarão tomar suas medidas. Para equilibrar a pegada de carbono é importante que a empresa antes de tudo levante uma descrição detalhada de suas emissões para entender quais os impactos principais causados por ela e para que se criem planos de ação para minimizar esse impacto.

Além disso, no caso dos impactos que não sejam possíveis eliminar ou reduzir de imediato, existem métodos de compensação, através do sequestro de CO2 na atmosfera por intermédio de plantação de árvores e outros.

Passo 3 – Crie indicadores para o consumo de energia e água:

Controlar o consumo de energia elétrica e água além de ser ambientalmente positivo, também é economicamente inteligente.

Os recursos finitos, têm sofrido reajustes severos nos últimos anos e com isso, as perdas energéticas têm gerado prejuízos de alta escala, portanto, controlar seu consumo nesses fatores, ajuda a equilibrar o consumo e impactam positivamente o meio ambiente.

Busque fontes alternativas: Uma dica importante quanto a água e efluente, está no uso de fontes alternativas.

Utilizar-se de energia limpa e renovável, gera impactos importantes nas emissões de CO2, reduz impactos sociais causados por usinas e ainda apoia questões ambientais por se tratarem de fontes que se renovam.

Com a água devem ser estudadas estratégias semelhantes como o reuso dos efluentes gerados e captação de água da chuva, por exemplo.

Passo 4 – Fomente a economia circular: 

Uma das formas de lidar positivamente com os rejeitos gerados pela sua empresa é fazer com que eles sirvam de matéria prima para outros.

A metodologia de trabalho da economia circular é basicamente realizar parceria entre empresas para que os resíduos de uma se transformem em produto para outras e com isso o ciclo de vida dos produtos seja estendido, reduzindo os resíduos sólidos destinados ao descarte.

Passo 5 – A educação ambiental deve ser prática diária e estratégica: 

Existem muitas empresas que realizam várias atividades interessantes no âmbito de projetos sustentáveis, porém, perdem seus programas pelo descumprimento por parte dos envolvidos.

Para mudar isso, a educação ambiental deve ser estratégica dentro da empresa, visando criar o entendimento dos 5R´s como cultura para todos e com isso, garantir o funcionamento da coleta seletiva, uso consciente e rotinas de sustentabilidade.

Passo 6 – Envolva e escute seus Stakeholders: 

Os stakeholders (como são conhecidos os players das empresas, que são: fornecedores, clientes, funcionários, acionistas, comunidades impactadas e afins) são as maiores fontes de informação e principalmente os mais impactados positiva ou negativamente pelas empresas.

Tudo o que uma empresa realiza de forma sustentável, mexe diretamente com esses stakeholders, bem como as ações negativas têm um impacto diretamente proporcional.

Ter os stakeholders envolvidos em seus projetos, fará com que você tenha feedbacks contínuos de seus impactos e ainda obtenha retornos ainda maiores quando engaja-los a realizar os mesmos programas que sua empresa.

Passo 7 – Seja transparente: 

Uma das questões principais da era da comunicação é ter informações claras e reais sobre as empresas e essa deve ser uma das grandes frentes que sua empresa deve atuar, se ela deseja de fato ser sustentável.

Manter todos os interessados em sua empresa informados dos seus projetos e impactos lhe ajudará na criação de um relacionamento positivo e de confiança.

Para fortificar essa transparência a empresa deve priorizar relatar suas emissões de CO2, divulgar periodicamente seus relatórios de sustentabilidade e ainda assumir publicamente seus compromissos com o trabalho justo, diversidade, igualdade de oportunidades, redução dos impactos ambientais e apoio a sociedade como um todo.

Criar um projeto de sustentabilidade requer empenho, compromisso, paciência e principalmente propósito.

No início, o trabalho será intenso e com poucos frutos visíveis, mas trabalhar com sustentabilidade é assim: você faz agora para garantir o futuro.  Luiz Otávio Goi Jr.