Como funcionam os empréstimos para negativados? Entenda

0

Já muito se sabe que conseguir empréstimos com o nome sujo não é lá das tarefas mais fáceis. Isto porque, instituições financeiras verificam o risco existente na concessão de créditos para um determinado perfil junto aos órgãos do Serasa e SPC. Sendo assim, uma vez negativada, a pessoa é considerada um mal pagador, dificultando assim a liberação de empréstimo para esta.  

Contudo, ainda sim, é possível conseguir os empréstimos, o que pode ser uma solução para problemas que levaram a pessoa a estar com o nome sujo. No entanto, é necessário ter cautela, dado que estes créditos apresentam desvantagens, justamente em função do solicitante estar negativado. 

Em razão disso, é necessário previamente analisar as conjunturas do empréstimo, visando averiguar se de fato ele será a solução, evitando assim prejudicar ainda mais suas finanças pessoais. Alguns setores no país, já facilitam a concessão de créditos para quem está negativado, com prazos estendidos para quitação de dívidas, o que beneficiou muitos brasileiros, todavia, o cenário de empréstimos para negativados permanece muito complicado. 

Empréstimos com garantia 

Levando em consideração a situação da pessoa que não tem um score alto, as instituições financeiras a veem como alguém que não honra com o pagamento de suas dívidas. Sendo assim, é muito comum que para conceder créditos para pessoas com o nome sujo, os bancos procurem uma garantia, desta forma os tipos de empréstimos mais comuns para negativados são os seguintes.

Empréstimos consignados: esta modalidade, funciona de forma que o devido é descontado direto da folha de pagamento, do salário ou benefício do devedor, ou seja, é garantido que a dívida será debitada. Geralmente disponibilizado para servidores públicos ou aposentados e pensionistas do INSS. 

Empréstimos com garantia de bens: também é possível conseguir mais facilmente créditos quando está negativado, a medida que a pessoa coloca bens de valor como garantia de pagamento, como imóveis, carros e terrenos.

Penhor: neste caso, a garantia vem através de um objeto de alto valor, como joias, relógios, ouro, prata, entre outros. A instituição financeira fica assegurada, pois, caso a dívida não for paga o objeto vai a leilão.  

Photo by @sitthiphong / freepik
Photo by @sitthiphong / freepik

Outros tipos de empréstimos para negativados

Caso em sua situação, não seja possível realizar as categorias de empréstimos ditas acima, ainda há a possibilidade de conseguir os créditos. Contudo, nestes casos, como as empresas não têm a certeza de pagamento da dívida, maiores serão as taxas de juros cobradas, dado que isto será usado de certa forma como garantia. 

Empréstimo sem comprovação de renda: ao solicitar o crédito nesta modalidade, deve-se esta ciente do seguinte fato: a empresa que irá conceder o empréstimo não saberá ao certo quanto você ganha, e seu nome está negativado, ou seja, o risco pára instituição é alto, o que refletirá nos juros cobrados. 

Você pode pedir estes empréstimos, via ‘internet’, apresentando documentos como RG, CPF e comprovante de residência, porém, o pedido ainda passará por análise para ser liberado. 

Empréstimos para autônomos negativados: esse é o caso possível para aqueles que trabalham por conta própria e têm dificuldades de comprovar a renda. O empréstimo do Serasa para estes casos, possui um prazo que varia de 6 a 36 meses conforme a situação do solicitante, sendo ele um tipo de crédito oferecido para pessoas que possuem dívida em aberto, e trabalham sem carteira assinada. 

Nestas situações, em que o autônomo não tem a garantia do dinheiro ao final do mês para arcar com suas contas, contar com opções de crédito é importante. Contudo, as análises de crédito costumam ser mais criteriosas, todavia, não quer dizer que não seja possível conseguir. 

Conclusão  

Diante do exposto, uma oferta de empréstimo pode ser tentadora, no entanto, é necessário sempre ter cautela, e analisar devidamente, se este é o melhor caminho para limpar o seu nome. Isto porque, muitas vezes essa estratégia, pode te levar de uma dívida para outra, transformando sua situação em uma “bola de neve”.

Conteúdo por Lucas Machado