Como não cair na malha fina?

Veja como evitar cair na malha fina na hora de declarar o seu Imposto de Renda e tenha acesso à sua restituição o mais rápido possível.

0

A melhor forma de não cair na malha fina é ser totalmente honesto com os dados que você declara no seu Imposto de Renda.

Afinal, a multa que você deve pagar, caso caia na malha fina, é de até 75% do IR devido.

A gente sabe que são muitas as dúvidas na hora de declarar o Imposto de Renda, mas não se preocupe, estamos aqui para tornar tudo mais fácil para você.

Desde a sua primeira declaração até como não cair na malha fina, você vai encontrar as respostas que precisa com a gente.

Mas, antes de tudo, você sabe o que é a malha fina? Muita gente tem medo de enviar o próprio Imposto de Renda e depois cair na temida malha fina.

Descubra o que é o maior terror dos declarantes de Imposto de Renda e como escapar dele.

O que é malha fina?

malha fina é o nome dado à situação quando a sua declaração de Imposto de Renda e a respectiva restituição dela ficam retidas pela Receita Federal por conter dados adulterados ou incompatíveis com as informações declaradas.

Você pode evitar cair na malha fina com alguns cuidados. O maior deles, por exemplo, é não sonegar os valores.

Isso porque, caso você caia na malha fina por alguma informação que foi preenchida errada ou comprovantes faltantes, é fácil de resolver, e você recebe sua restituição um tempo depois.

O problema está quando você não consegue resolver a inconsistência na sua declaração.

Por isso, confira os motivos para cair na malha fina e o que fazer com cada um desses problemas caso aconteça com você.

Motivos para cair na malha fina

A malha fina acontece por meio de um sistema integrado que utiliza o cruzamento de dados com outros sistemas para conferir se as informações dadas pelos declarantes são verdadeiras.

Portanto, nem pense em sonegar ou declarar valores inferiores aos recebidos, pois o Leão pode pegar você através da malha fina.

Isso acontece porque a Receita Federal utiliza bancos de dados que se comunicam com muitos empreendimentos no Brasil.

Portanto, seja sempre sincero e honesto na sua declaração, pois a multa da malha fina pode chegar até 225% do valor total do imposto devido.

O que mais cai na malha fina?

A malha fina acontece por meio de um sistema integrado que utiliza o cruzamento de dados com outros sistemas para conferir se as informações dadas pelos declarantes são verdadeiras.

Portanto, nem pense em sonegar ou declarar valores inferiores aos recebidos, pois o Leão pode identificar esses erros, sejam por engano ou propositais.

1.  Incompatibilidade nos informes de rendimento

informe de rendimentos é um documento emitido pelas instituições que informa o rendimento dos investimentos feitos pelo declarante no ano.

Essa é uma informação muito fácil de se conseguir através do banco de dados da Receita Federal, e muita gente acaba recebendo multa por fraude quando é comprovada a incompatibilidade.

Se esse problema foi encontrado na sua declaração, agende um horário com o Fisco para regularizar a sua situação, tendo em mãos o informe de rendimentos emitido pelo seu banco, corretora de valores ou outra empresa na qual você tenha investido algo.

2.  Dados incompletos ou erros de digitação

Esse erro pode parecer bobo, mas é por conta dos erros de digitação ou dados incompletos e até mesmo incorretos que muita gente fica empenhada no IR.

Por isso, preste sempre muita atenção e revise sua declaração antes de enviá-la ao Leão.

A correção desse problema é relativamente simples. Basta você enviar à receita documentos comprobatórios dos dados para regularizar.

Preste atenção à data limite para correção para não pagar multa à Receita Federal.

3.  Inclusão irregular de dependentes

Esse é um dos principais problemas para quem está divorciado e declara filhos como dependentes.

Nesse caso, apenas quem tem a guarda da criança é quem pode declará-la como dependente.

Caso você não tenha a guarda dos seus filhos, mas pague pensão alimentícia, é possível declarar a(s) criança(s) como alimentanda(s), e não dependente.

Nessa situação, a Receita descobre facilmente a irregularidade apenas cruzando os dados com a declaração do(a) ex-parceiro(a).

Caso esse seja o motivo pelo qual você caiu na malha fina, basta apresentar os documentos comprobatórios de pagamento de pensão ou guarda dos filhos à Receita Federal.

4.  Omissão de renda do declarante e/ou dos dependentes

Um dos principais motivos para cair na malha fina é omitir renda. Muitos brasileiros declaram menos do que recebem ou deixam, propositalmente, alguns rendimentos de lado na hora da declaração.

Se os seus dependentes possuem renda, ela deve ser declarada também no seu IR. Bolsas de estudo, remuneração por estágio, por menor que seja o benefício, ele deve ser declarado.

No caso de comprovação de omissão de renda dos dependentes, a Receita notifica o declarante, que deve agendar um horário para prestar esclarecimentos ao Leão em uma sede, presencialmente.

5.  Declaração incompatível de gastos médicos

Declarar gastos médicos ou odontológicos falsificados também é motivo para cair na malha fina.

Designed by @tascha1 / freepik
Designed by @tascha1 / freepik

Pelo cruzamento de dados, o governo pode conferir via sistema ou por meio dos planos de saúde se os gastos declarados estão corretos ou adulterados para receber mais na restituição.

Nesse caso, a Receita Federal intima o declarante a comparecer em uma sede física para prestar esclarecimentos sobre os gastos médicos irregulares.

6.  Cruzamento de dados

Como falamos anteriormente, a malha fina funciona através de um banco de dados integrado com instituições de todo o País.

Além disso, as empresas também declaram pagamentos, e o governo pode cruzar os dados para conferir inconsistências.

Um dos fatores que podem fazer você cair na malha fina é o choque de dados com a declaração de ex-cônjuge.

Caso você tenha declarado despesas com seus filhos e seu/sua ex-cônjuge também, a Receita pode cruzar os dados e constatar incompatibilidade caso os dois declarem a mesma despesa.

Caso o declarante tente omitir, adulterar ou duplicar despesas e caia na malha fina, ele pode ser chamado para prestar esclarecimentos em uma sede física da Receita Federal.

7.  Não declarar ações, recebimento de aluguéis ou pensões

Um dos principais motivos para cair na malha fina é esquecer de declarar ações ou outras fontes de renda, como recebimentos de aluguel ou pensões.

Para ações, quem recebe mais de R$ 20 mil com a venda de ações mensalmente, é necessário declarar o valor.

Quanto aos aluguéis, se o pagamento do valor é feito diretamente à pessoa física, é preciso que o declarante que recebe o valor informe à Receita Federal o valor recebido mensalmente e preencha o carnê-leão por meio do e-CAC.

Se houver intermédio de uma imobiliária, é necessário pedir que a empresa envie o informe de rendimentos sobre os aluguéis recebidos.

As regras de declaração para pensão variam de acordo com o tipo de pensão: alimentícia, por aposentadoria ou por morte, mas todas elas devem ser declaradas, mesmo que tenham direito à isenção.

Não declarar a pensão pode te trazer problemas com a malha fina.

Esquecer de declarar ações, aluguéis ou pensões é, sim, motivo para cair na malha fina e você pode ser convocado para prestar esclarecimentos.

O que faz a pessoa cair na malha fina?

De modo geral, as pessoas caem na malha fina por incompatibilidade dos dados informados à Receita Federal, como acabamos de elencar.

Isso porque o governo cruza os dados com informes de empresas e instituições bancárias ou até mesmo de familiares e pode encontrar dados duplicados ou adulterados.

Um caso muito comum é de pais separados, em que ambos declaram a criança como dependente.

Nesse caso, quem não possui a guarda legal é intimado a prestar esclarecimentos à Receita Federal e regularizar a situação.

Vale lembrar que quem paga pensão alimentícia pode declarar esse valor para restituição, mas o filho não pode estar cadastrado como dependente e sim como “alimentando”.

Outro caso comum é o de filhos que declaram os pais como dependentes quando a renda anual dos pais ainda ultrapassa o valor que obriga a declaração do Imposto de Renda como pessoa física.

Mas não se preocupe, caso você fique retido pela malha fina, saiba que é possível sair dela, retificando os dados inconsistentes encontrados pelo sistema.

Você pode, ainda, se antecipar e corrigir essas informações antes mesmo de ser notificado, já que é possível descobrir se você caiu na malha fina antes da notificação oficial da Receita Federal.

E, para não errar de novo, você pode contar com a ajuda de um especialista na hora de retificar o Imposto de Renda para sair da malha fina.

Aqui na Leoa, resolvemos o problema para você em 30 dias ou você tem o seu dinheiro de volta. É uma preocupação a menos para tirar da cabeça!

Ainda assim, o ideal é não arriscar e informar todos os seus rendimentos de forma clara e aberta.

E lembre-se: a Leoa está aqui para ajudar no que for preciso e está pronta para sanar as suas dúvidas na hora de declarar o seu Imposto de Renda.

Fonte: Leoa

Dica Extra do Jornal Contábil : Aprenda a fazer Declaração de Imposto de Renda. Aprenda tudo de IR em apenas um final de semana

Conheça nosso treinamento rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber sobre IR. No curso você encontra:

Conteúdo detalhado, organizado e sem complexidade, videoaulas simples e didáticas,passo a passo de cada procedimento na prática. 

Tudo a sua disposição, quando e onde precisar. Não perca tempo, clique aqui e aprenda a fazer a declaração do Imposto de Renda.