É muito comum, na vida profissional de uma pessoal, existirem períodos de trabalho que não são contabilizados como tempo de contribuição perante o . Nestes casos, há possibilidade de serem incluídos no tempo para concessão de benefício de .

Isso acontece com vínculos de emprego registrados em Carteira de Trabalho, mas que a empresa não repassou as contribuições retidas da folha de pagamento do empregado. Há a possibilidade, assim, de ser discutida a tese judicial da responsabilidade tributária do e considerar a Carteira de Trabalho como prova plena do período que pretende reconhecer.

Ainda, é habitual que contribuintes individuais, como autônomos ou empresários, mesmo que trabalharam, não contribuíram para a Previdência Social. É possível o recolhimento em atraso, desde haja comprovação da atividade e o cumprimento das normas da Lei nº. 8.213/1991, para que este período seja efetivamente reconhecido.

Há outras situações que podem adicionar tempos de serviço, como tempo de trabalho rural, ainda que há muito tempo, e desde que possa comprovar. Assim, é possível recuperar tempos de serviços, sendo necessária a análise de cada caso específico, visando antecipar a concessão de benefícios, seja por Tempo de Contribuição ou por Idade perante a Previdência Social.

Dica extra: Compreenda e realize os procedimentos do para usufruir dos benefícios da previdência social.

Já pensou você saber tudo sobre o desde os afastamentos até a solicitação da , e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana?

Uma alternativa rápida e eficaz é o curso  na prática: Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do , procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o



Conteúdo por Bruno Ferreira Silva, Advogado, especialista em Direito Previdenciário e Acidentário – [email protected]