Como reduzir a burocracia fiscal pode auxiliar importadoras?

Especialista da Dootax aponta soluções para otimizar liberação de produtos.

0

Reduzir a burocracia fiscal de produtos importados é um dos principais desafios que empresas que operam com Comércio Exterior enfrentam.

Segundo o estudo time release study feito pela Receita Federal do Brasil, seguindo a metodologia da Organização Mundial das Aduanas, para a liberação e licenciamento de mercadorias, são gastos até 64% de tempo somente para o pagamento de tributos, pois no Brasil há um série de impostos e taxas atreladas às operações de importação e Comex, conforme aponta Yvon Gaillard, diretor Comercial e de Parceiros da Dootax , startup que simplifica as rotinas fiscais, otimizando o pagamento de tributos por meio de um software que utiliza RPA (Robotic Process Automation).

“A Receita Federal desde a última década vem fazendo um trabalho que melhora o processo, criando ferramentas mais fáceis e rápidas para recolhimento do contribuinte, mas ainda existem algumas etapas, entes federativos e alguns órgãos que precisam trazer mais agilidade. As licenciadoras como ANVISA e INMETRO precisam melhorar na burocracia de geração das taxas. Além disso, nos estados, o ICMS acaba sendo um vilão que despende prazo na liberação de cargas, dificultando ainda mais esse processo”, explica Gaillard.

Diante desse cenário, o especialista aponta que a Dootax oferece uma solução que otimiza todo esse processo, recolhendo diversos impostos e taxas, no qual a maioria das empresas enfrentam uma complexidade muito grande para se gerar e pagar.

exportaçao

“Se a gente pegar esses dados do estudo, 64% é gasto para pagamento de impostos e ainda há um tempo de compensação do pagamento pelo governo, que hoje é de 48 horas, mas ainda sobram 90 horas no colo do contribuinte/importadores para fazerem todo esse trâmite, que hoje em regra nas empresas, é totalmente manual”, ressalta.

Ele explica ainda, que esses processos de licenciamento e ICMS, são morosos, uma vez que o contribuinte tem que entrar no site do estado, pegar os dados, guias, inserir no sistema de gestão da empresa e depois seguir o tempo de pagamento necessário pelo compliance da empresa.

A Dootax entra exatamente nessa etapa, automatizando e reduzindo essas 90 horas para poucos segundos, o que dá um ganho de até 42% nesse tempo de importação sobre essas mercadorias que caíram no canal de licenciamento.

Isso porque atua 24 horas e 7 dias por semana, por meio do uso de RPA.

“O estudo mostra que esse processo é o que leva mais tempo e despende mais prazo para se cumprir. Embora hoje já existam ações que o governo federal esteja fazendo para diminuir esse tempo de compensação, a otimização ainda é um processo muito eficiente que pode auxiliar muito as empresas para agilizar e eliminar essas 90 horas”, finaliza o especialista.