Como resgatar valores esquecidos do Banco Central para sua conta

Confira o passo-a-passo para ter acesso ao dinheiro esquecido em contas antigas

A boa notícia dada pelo Banco Central no início deste mês foi a disponibilidade do cidadão ter acesso a valores esquecidos em contas antigas. Uma tremenda opção para estes tempos de crise econômica e inflação alta. Afinal, engordar o orçamento nunca é uma má ideia.

O cidadão ou a empresa que tiver valores a receber do Banco Central (BC) poderá pedir a transferência de qualquer quantia liberada, sem pagamento de tarifas para ter o dinheiro. Segundo a instituição, não há valor mínimo ou máximo de resgate. Na prática, mesmo aqueles que possuírem centavos a receber poderão ter acesso a todo o valor.

As consultas ao sistema de valores a receber foram abertas no dia 13 de fevereiro. Ao acessar o sistema, é possível saber se há valores esquecidos em bancos por pessoas físicas ou jurídicas. Para isso, é preciso informar CPF ou CNPJ e data de nascimento ou de abertura da empresa. Herdeiros também vão receber os valores.

Transferências podem ser feitas via Pix, TED e DOC

Nesta primeira fase, as transferências começarão no dia 7 de março, conforme consulta feita por cada cidadão no Sistema Valores a Receber. É preciso voltar ao site no dia e na hora agendados pelo Banco Central. O resgate do dinheiro poderá ser feito por Pix, DOC (Documento de Crédito) ou TED (Transferência Eletrônica Disponível). O montante cairá na conta em até 12 dias úteis após a solicitação.

De acordo com o Banco Central, o prazo de 12 dias úteis é para pagamentos por meio do Pix. Neste caso, o usuário deverá informar a chave Pix quando fizer a solicitação. Em caso de transferência por meio de DOC ou TED, o prazo deve ser ajustado entre o banco e o beneficiário, segundo a instituição, já que cada instituição tem prazo diferente para os serviços.

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) informou que não serão cobradas tarifas para que os beneficiários recebam os valores das instituições por meio de Pix, DOC ou TED. Transferências feitas por DOC são limitadas a R$ 4.999,99 e são creditadas em um dia útil. O horário-limite para a operação é determinado por cada banco.

Operações por meio de TED, por sua vez, não possuem limite de valor e caem na conta até o fim do dia, se for realizada até as 17h. Caso contrário, a transferência é agendada para o dia seguinte. O horário-limite pode variar, dependendo da instituição financeira.

Como será feito o pagamento?

O pagamento dos valores esquecidos nos bancos será feito por lotes. Quem não entrou nesta primeira fase poderá fazer nova consulta a partir do dia 2 de maio. No entanto, mesmo que já tenha sido contemplado, o trabalhador ou a empresa poderá ter direito de receber ainda mais, em outros lotes. Isso ocorre porque a liberação dos valores é por motivos diferentes.

No primeiro lote, que começará a ser pago em 7 de maio, serão liberados R$ 4 bilhões a 28 milhões de CPFs e CNPJs. Os valores devolvidos são de contas correntes ou poupanças que foram encerradas ainda com saldo disponível; tarifas e parcelas cobradas indevidamente cuja devolução já estava prevista em termo de compromisso assinado com o BC; cotas e sobras de quem participou de cooperativas de crédito; e dinheiro de consórcios encerrados.

A segunda fase de liberação dos valores terá dinheiro esquecido por outros motivos, segundo o Banco Central. Entre eles estão tarifas, parcelas ou obrigações em operações de crédito cuja devolução não estava prevista em termo assinado com o BC e contas de pagamento pré-pagas ou pós-pagas encerradas com saldo disponível.

Haverá também pagamentos em casos de contas mantidas em corretoras e distribuidoras de valores para registro de ativos financeiros dos clientes. Em muitos casos, há cobranças de tarifas duplicadas, que também serão devolvidas.

Onde consultar os valores esquecidos?

A consulta e a solicitação dos valores acontece exclusivamente através do endereço valoresareceber.bcb.gov.br. Não é possível fazer o procedimento através do site do Banco Central ou Registrato, como disponibilizado nos primeiros dias de divulgação do serviço, em janeiro. A mudança foi feita após queda do site do banco em 25 de janeiro em razão do alto volume de acessos.

A maior parte do dinheiro que começou a ser liberado pelo Banco Central foi esquecida por pessoas físicas, e não por empresas. Dos 27,9 milhões de beneficiários que poderão ter acesso aos valores na primeira etapa de pagamentos, 26 milhões são de CPFs e 1,9 milhão são titulares de CNPJs.

Qual o calendário para saque?

Nessas datas quem tem dinheiro a receber saberá quanto poderá sacar:

  • Antes de 1968 – 7 a 11/3 – 12/mar
  • Entre 1968 e 1983 – 14 a 18/3 – 19/mar
  • Após 1983 – 21 a 25/3 – 26/mar

Como resgatar o dinheiro?

Para ter acesso aos valores esquecidos, é preciso seguir o passo-a-passo abaixo:

1) Consulte se possui valores a receber

– Acesse o site valoresareceber.bcb.gov.br;

– Informe o CPF e a data de nascimento ou o CNPJ e a data de abertura da empresa;

– Se houver valores a receber, o sistema informará uma data para que retorne ao site e solicite o dinheiro disponível, a partir de 7 de março;

– Ainda não será possível saber o valor que poderá ser resgatado.

2) Se tiver dinheiro esquecido nos bancos, verifique seu cadastro Gov.br

– Será exigido um cadastro Gov.br nível prata ou ouro para consultar os valores e transferir o dinheiro;

– O cadastro gratuito é feito no site ou pelo app Gov.br (Google Play e App Store);

– Informe seu CPF, selecione as opções de Termo de Uso, Não sou robô e clique em Continuar.

 Como aumentar o nível de segurança da conta?

Após acessar a conta no gov.br, clique na opção “Privacidade” e, em seguida, em “Gerenciar lista de selos de confiabilidade” e autorize o uso de dados pessoais

A página mostrará o nível de segurança da conta e a lista de opções para “adquirir novas confiabilidades do gov.br”, ou seja, aumentar a segurança

Para obter nível prata

Para quem tem a biometria já cadastrada no Denatran, o sistema dá opção de validação com esses dados

Para conseguir o nível prata através da validação dos dados bancários, após logar no gov.br, ir em “Selos de Confiabilidade”, clicar em “Cadastro via Internet Banking do [nome do banco]” e seguir os passos do banco para acessar sua conta e aumentar o nível de segurança

Para obter nível ouro

Opção para quem tem biometria cadastrada nas bases do TSE (Tribunal Superior Eleitoral)

3) Descubra quanto você tem para resgatar e peça a transferência do dinheiro na data agendada

– No dia definido pelo sistema do Banco Central, volte ao site valoresareceber.bcb.gov.br;

– Será necessário logar no SVR com sua conta gov.br nível prata ou ouro;

– Acesse o sistema, descubra o valor disponível e solicite a transferência, informando uma chave Pix;

– Se solicitar o resgate sem informar uma chave Pix, o usuário deverá ser contatado pelo banco em que optou receber o dinheiro para informar os dados da transferência via TED ou DOC. Atenção: o banco não pedirá senhas;

– Se a data não for respeitada, será preciso voltar na data da repescagem definida pelo Banco Central.

O dinheiro deve ser depositado via Pix, TED ou DOC pelo banco em até 12 dias úteis

Comentários estão fechados.