Comprar um imóvel ou alugar? Um olhar além da cartilha é essencial

Para quem escolhe a compra hoje, as linhas de crédito e os programas sociais como o Casa Verde e Amarela reduzem as taxas de juros e facilitam a entrada

Seguir a cartilha é algo que eu costumo fugir. E hoje, a cartilha do mercado imobiliário e dos investimentos diz para os consumidores que alugar é melhor que comprar um imóvel. É claro que não podemos desconsiderar os pontos apresentados como a possibilidade de conseguir um desconto à vista ou o fato de que os juros do financiamento aumentam o valor pago no fim das contas, mas para mim, é essencial analisar as coisas além da ótica comum.

Para tomar essa importante decisão, é importante considerar os cálculos na ponta do papel, mas sabendo que outros fatores podem pesar tanto quanto o financeiro. Segurança, construção de patrimônio e até mesmo realização pessoal podem e devem ser postos na balança.

Personificando para entender, a casa própria para um jovem que vem de uma família financeiramente estruturada, que já possui imóveis e certa estabilidade profissional tem um valor diferente da casa própria para um jovem de origem mais humilde, sem patrimônio imobiliário. Para o primeiro jovem, a compra de um imóvel é um investimento, mas para o segundo, é a construção do presente e do futuro dele e das próximas gerações da família.

A apresentação do aluguel como melhor alternativa também considera que a pessoa utilize a diferença entre o aluguel e a possível parcela do financiamento para, no futuro, adquirir a casa à vista. Esse cálculo desconsidera que, em algumas cidades, o valor do aluguel é semelhante ao valor da parcela, o que torna mais vantajoso investir esses valores pagando o que daqui a alguns anos será uma propriedade

Para quem escolhe a compra hoje, as linhas de crédito e os programas sociais como o Casa Verde e Amarela reduzem as taxas de juros e facilitam a entrada, por exemplo, além da possibilidade de usar o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS) para abater o montante do financiamento.

Atualmente, até projetos tecnológicos e com qualidade de infraestrutura, como as cidades inteligentes inclusivas da Planet Smart City, admitem essa forma de pagamento, facilitando a conquista da casa própria por famílias que nunca imaginaram poder comprar um imóvel.

Analisando fatores além do financeiro, para algumas pessoas, a liberdade está na mobilidade, em poder se mudar sempre que mudar de trabalho ou em morar em locais diferentes a depender do momento da vida. Para outros, liberdade está em poder construir ou reformar a casa que mora da forma que sempre sonhou e, no fim do financiamento, estar livre do custo fixo que, no caso do aluguel, não tem fim.

E no fim das contas, qual é a melhor escolha? Saber que não existe a melhor escolha. Conhecer a sua realidade, avaliar cada ponto, olhar além do financeiro e dos cálculos prontos que os gurus da internet apresentam. O que é ideal para você?

Por Susanna Marchionni, CEO da Planet Smart City no Brasil e co-fundou a empresa em 2015, ao lado de Giovanni Savio, CEO Global.

Comentários estão fechados.