Conceitos básicos de Custo

0

O conceito de custo é confundido com os conceitos de preço, despesas, desembolsos financeiros, gastos, perdas, desperdício, entre outros. Diante de diversas referências, vamos esclarecer o tratamento de custos na contabilidade:

Custos de produção do período: é a soma de todos os custos, diretos e indiretos (matérias-primas e mão-de-obra, custos indiretos de fabricação) no processo produtivo num determinado período de tempo.

Custo primário: é a soma de todos os custos diretos no processo produtivo (matérias-primas e mão-de-obra).

Custo de conversão ou transformação: é a soma de todos os custos de produção, exceto os materiais, representam o esforço da empresa no processo de fabricação.

Custo de produção acabada: são os custos da produção do período das unidades de produto que foram terminadas.

Custos de produtos vendidos: são os custos das unidades que foram produzidas e comercializadas. Na maioria dos casos contém custos de diversos períodos.

Não se deixe confundir com conceitos e funções próprias sobre custos.

Custo: são gastos com bens ou serviços utilizados para produção de outros bens ou serviços. Exemplo:  A matéria-prima consumida na produção de uma determinada quantidade de produtos ou serviços.

Gastos: é o sacrifício financeiro (desembolso) com que a entidade arca para a obtenção de um produto ou serviço qualquer, sacrifício esse representado por entrega ou promessa de entrega de ativos (normalmente dinheiro).

Só existe gasto no ato da passagem para a propriedade da empresa do bem ou serviço, ou seja, no momento em que existe o reconhecimento contábil da dívida assumida ou da redução do ativo dado em pagamento. Exemplo:  O valor das Matérias-primas compradas no último mês.

Despesas: É o valor dos bens e serviços, não relacionados diretamente com a produção de outros bens e serviços, consumidos num determinado período. Ou seja, o consumo de bens e serviços que não fazem parte ou estão ligados ao processo produtivo da empresa.

As despesas são itens que reduzem o patrimônio líquido e que têm essa característica de representar sacrifícios ao processo de obtenção de receitas. Exemplo:  Consumo de Material de expediente pelo escritório.

Desembolso: pagamento resultante da aquisição do bem ou serviço. Pode ocorrer antes, durante ou após a entrega da utilidade comprada. Exemplo:  Pagamento do salário dos funcionários.

Desperdício: Corresponde a valores consumidos em bens e/ou serviços que não podem ser acrescidos ao valor do produto. Exemplo:  Deixar uma máquina ligada sem ela estar produzindo, consumindo assim Energia Elétrica desnecessariamente.

Investimentosé o gasto ativado em função de sua vida útil ou de benefícios atribuíveis a futuros períodos. São os gastos efetuados na empresa com a intenção de se obter lucro com eles. Exemplo:  Pode ser a compra de uma máquina que auxiliará no processo produtivo.

Perda: Bem ou serviço consumido de forma anormal e involuntária. Quando o valor envolvido na perda for irrelevante, será permitido considerá-lo dentro dos custos ou das despesas, sem sua separação. Exemplo:  perda de parte da produção por falta de energia elétrica. 

Custos diretos: são os custos que podem ser apropriados diretamente aos produtos, bastando haver uma medida de consumo (quilogramas de materiais consumidos, horas de mão-de-obra apontada, etc.). São custos facilmente identificáveis com o produto.

Custos indiretos: são custos que não oferecem condições de uma medida objetiva e qualquer tentativa de alocação tem de ser feita de maneira estimada e muitas vezes arbitrária Exemplo:  aluguel, salário do contador de custos, etc. Não são facilmente identificáveis com o produto.

Métodos de custeios

Pode-se dizer que método de custeio é a forma que os custos serão levados aos produtos. É o método de custeio que determina quais custos serão considerados no inventário e no resultado. A escolha de um método ou outro de custeio vai depender muito do tipo de negócio de cada empresa, do seu perfil de administração e principalmente do seu plano estratégico.

Pata entender os métodos de custeio conceituamos algumas classificações de custos:

▶ Custos fixos – são aqueles que não são afetados pelo volume de produção.

▶ Custos variáveis – são aqueles que se alteram em função do volume de produção da empresa.

▶ Custos indiretos – são aqueles para ser alocado aos produtos dependem de estimativas.

▶ Custos diretos – são aqueles que podem ser identificados com os produtos no processo produtivo.

Os métodos de custeio se subdividem em variáveis e por absorção.

Métodos de custeio variável

O método de custeio variável é necessário para o cálculo dos custos que alimentarão o sistema com o objetivo de auxiliar a gestão na tomada de decisões.

No método de custeio variável, somente considera-se custos dos produtos os classificados como custos variáveis e os custos fixos tem o mesmo tratamento de despesas, sendo levado diretamente ao resultado no período incorrido.

No custeio variável, apenas uma parte do custo é do produto, as variáveis, enquanto os fixos são tratados como despesas.

Métodos de custeio por absorção

O método de custeio por absorção é a forma de ser levar aos custos dos produtos todos os custos incorridos no processo produtivo, fixos ou variáveis, diretos ou indiretos.

No custeio por absorção todos os custos, são considerados custos do produto.

Esquema básico do custeio por absorção:

  • Separação dos gastos em custos e despesas
  • Apropriação dos custos diretos e indiretos à produção realizada no período
  • Apuração dos custos dos produtos vendidos
  • Apuração dos custos da produção acabada
  • Apuração do resultado

CMV – Custo da mercadoria vendida

A apuração do custo das mercadorias vendidas está diretamente relacionada aos estoques da empresa, pois representa a baixa efetuada nas contas dos estoques por vendas realizadas no período. O custo das mercadorias vendidas pode ser apurado através da equação:

  • CMV = EI + C – EF

No qual:

CMV = Custo das Mercadorias Vendidas

EI = Estoque Inicial

C = Compras

EF = Estoque Final (inventário final)

CPV – Custos dos produtos vendidos

No caso de empresas industriais a complexidade na apuração do custo é maior pois há um processo de produção.

Conceito: o custo de aquisição de mercadorias destinadas à revenda incluirá os de transporte e seguro até o estabelecimento do contribuinte e os tributos não recuperáveis devidos na aquisição ou importação (RIR/1999, art. 289 e seus parágrafos).

O custo da produção dos bens ou serviços compreenderá, obrigatoriamente ( em conformidade com o RIR/1999):

▶ O custo de aquisição de matérias-primas e quaisquer outros bens ou serviços aplicados ou consumidos na produção, inclusive os de transporte e seguro até o estabelecimento do contribuinte e os tributos não recuperáveis devidos na aquisição ou importação.

▶  O custo do pessoal aplicado na produção, inclusive na supervisão direta, manutenção e guarda das instalações de produção.

▶ Os custos de locação, manutenção e reparo e os encargos de depreciação dos bens aplicados na produção.

▶ Os encargos de amortização, diretamente relacionados com a produção;

▶ Os encargos de exaustão dos recursos naturais utilizados na produção.

Formação do Custo

No caso de produtos (bens produzidos por uma indústria), os custos são apurados mediante a fórmula:

  • CPV = EI + (In + MO + GGF) – EF

Onde:

CPV = Custo dos Produtos Vendidos

EI = Estoque Inicial

In = Insumos (matérias primas, materiais de embalagem e outros materiais) aplicados nos produtos vendidos

MO = Mão de Obra Direta aplicada nos produtos vendidos

GGF = Gastos Gerais de Fabricação (aluguéis, energia, depreciações, mão de obra indireta, etc.) aplicada nos produtos vendidos

EF = Estoque Final (inventário final)

CSV – Custo do serviço vendido

Na prestação de serviços, o custo poderá ser obtido por meio da fórmula:

  • CSV = Sin + (MO + GDS + GIS) – Sfi

Onde:

CSV = Custo dos Serviços Vendidos

Sin = Saldo Inicial dos Serviços em Andamento

MO = Mão de Obra Direta aplicada nos serviços vendidos

GDS = Gastos Diretos (locação de equipamentos, subcontratações, etc.) aplicados nos serviços vendidos

GIS = Gastos Indiretos (luz, mão de obra indireta, depreciações de equipamentos, etc.) aplicados nos serviços vendidos

Sfi = Saldo Final dos Serviços em Andamento

Por: LBRK

LBRK Consultoria | Auditoria | Assessoria