Uma das formas de manter uma boa gestão financeira é a conciliação bancária.

Um termo usado para conceituar a comparação dos dados que constam no extrato bancário de um negócio e as outras informações externas. De forma a identificar com precisão o que entra e sai do caixa da empresa.

O que garante um fluxo de caixa mais eficiente e menos surpresas financeiras desagradáveis no fim do mês.

Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe o artigo até o final!

O que significa fazer uma conciliação bancária?

Explicando em termos simples, a conciliação bancária consiste na comparação dos extratos bancários e os dados do controle financeiro da empresa.

A partir dessa comparação é possível identificar se há alguma falha no lançamento dos dados pelo setor financeiro e se não há nada ilegal acontecendo.

Também permite verificar se todas as transações foram registradas no seu sistema.

É a melhor forma de garantir que todas as suas contas serão pagas e, caso haja alguma conta pendente, se certificar que ela será cobrada.

Planilha de conciliação ou sistema de gestão: formas de colocar em prática e fazer uma conciliação bancária eficiente

Normalmente, as empresas utilizam duas formas para fazer a conciliação bancária: através de planilhas ou um sistema de gestão.

Através das planilhas é possível confrontar os dados obtidos pelo setor financeiro da empresa – contas a pagar e contas a receber – e extrato bancário.

Basta registrar, linha por linha, as diferenças de valores e possíveis ajustes necessários, fazendo a adição e subtração dos valores registrados até chegar no saldo do extrato.

Um sistema de gestão já facilita um pouco mais e automatiza os processos. Além de permitir menos trabalho e menos erros, sendo muito mais utilizado atualmente.

Como fazer o confronto de dados na conciliação bancária

Para verificar se há inconsistências ou falhas no fluxo de caixa da empresa, no processo de conciliação bancária é extremamente importante verificar com cautela os dados dos extratos bancários e os dados de contas a pagas e receber.

Sempre fazendo comparações entre os dados observando se os mesmos coincidem. Por exemplo:

  • Nos saldos bancários, observe os valores do saldo inicial e final.
  • Veja também se as datas de lançamento estão em concordância com as datas previstas para recebimento e pagamento.
  • Há multas, juros ou algum desconto entre os valores do banco e do seu controle interno? Esses dados estão registrados?
  • Não esqueça de observar também se há algum lançamento não identificado.

Erros podem ocorrer – O que deve ser feito?

É normal alguns dados não baterem na hora do confronto.

Para conseguir identificar as anormalidades é preciso analisar as ocorrências e problemas que possam ter acontecido durante a conciliação bancária.

Dentre eles:

  1. Transferências não processadas

É necessário verificar se todas as solicitações de transações foram efetuadas e se há alguma pendência.

  1. Cheques não compensados

Sabemos que os cheques podem demoras até 3 dias úteis para serem compensados.

É importante saber se durante o lançamento de dados na planilha, não foi feito pagamento por cheque e ele ainda não foi compensado.

Pode acontecer de você fechar os valores e o cheque ainda ser debitado.

  1. Impostos, taxas e aplicações que não estavam no controle

IOFs e taxas de transações bancárias ou sobre transações e aplicações financeiras automáticas podem não estar previstas.

Verifique atentamente cada uma das taxas. Às vezes pode ocorrer de virem taxas maiores do que as que foram acordadas com o banco ou você esquecer de registrar alguma taxa.

  1. Depósitos não identificados

Pode ser que algum cliente tenha feito um depósito antecipado, algum boleto que demorou para compensar ou algum erro de transferência.

Lembre que depósitos não identificados também contam como receita e precisam ser tratados como tal.

Tente se organizar e resolver o mais rápido possível esses problemas de identificação.

Dica final: Adote um sistema de gestão

Lembre-se que a conciliação bancária é um elemento importantíssimo para a saúde financeira da sua empresa.

Por isso, tente sempre manter o processo o mais ágil e assertivo possível.

Experimente adotar um sistema de gestão e veja como essa tarefa pode ser mais simples e sem maiores dores de cabeça.

Via Rtek Gestão Inteligente

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.