Confira cidades onde o Carnaval de 2022 está cancelado por causa da Covid-19

Atualizado em 29/12 - Várias cidades, a maioria delas em SP, já anunciaram que não haverá Carnaval de rua em 2022 para evitar uma nova onda de contaminações pelo coronavíus. Recife, Olinda e Salvador ainda discutem se vão faze

Ainda que a imunização completa de brasileiros e brasileiras tenha chegado a cerca de 61% da população e os números da Covid-19 tenham caído, algumas cidades, a maioria em São Paulo, já cancelaram o Carnaval de 2022. Veja onde o Carnaval de 2022 já está cancelado e onde ainda está sendo discutida a realização no fim do texto.

Mesmo em cidades com forte tradição carnavalesca, como Salvador, Recife e Olinda, prefeitos e governadores de direita, que querem realizar a festa de qualquer jeito, enfrentam resistência dos de esquerda, que querem proteger a saúde das pessoas.

O temor das autoridades da área da saúde, inclusive da Organização Mundial da Sáude (OMS), é de que o surto de contaminações que tomou conta da Europa atinja o Brasil, após as aglomerações típicas da ‘maior festa brasileira’. E a experiência recente vivida pelo Brasil e outros países, justifica a preocupação. No começo de 2021, o Brasil enfrentou uma segunda e mais agressiva onda de contaminações pelo coronavírus que, segundo especialistas, ocorreu por causa da flexibilização de regras de distanciamento social e pelo relaxamento nos cuidados para evitar a transmissão do vírus.

As festas de fim de ano e viagens de férias foram decisivas para que novas cepas se propagassem mantando mais milhares de brasileiros.

Em entrevista ao Jornal Brasil Atual, o médico sanitarista Gonzalo Vecina, um dos fundadores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), alertou que a pandemia no Brasil só vai acabar quando não houver mais casos em outros países.

“Há possiblidade de novas variantes e de tudo começar de novo”, disse o médico. Ele explicou que apesar de a vacinação no Brasil ter diminuído o número de casos, após seis meses da imunização os anticorpos tendem a baixar o que torna as pessoas mais suscetíveis à contaminação.

“Diferente de ambientes fechados, não há como controlar as pessoas que se encontram nas ruas. Quando há controle, tem risco baixo”, ele diz, reforçando que aglomerações de Carnaval o risco aumenta também porque haverá pessoas que não foram vacinadas. Para o médico, realizar atividades no Carnaval 2022 é uma ‘ideia doida’.

Ele alerta ainda que o país recebe muitos turistas europeus para o Carnaval e isso pode causar um aumento de casos por aqui. A Fundação Osvaldo Cruz (FioCruz) também alertou para os riscos ressaltando, em nota técnica, a necessidade de se debater a manutenção de medidas de distanciamento físico e de proteção individual no Brasil.

A entidade também cita a desaceleração do ritmo de vacinação da primeira dose contra a Covid-19 no país. De acordo com especialistas, a pandemia só pode ser considerada controlada quando mais de 75% da população está com o esquema vacinal completo, ou seja, as duas doses ou dose única a depender do imunizante.

Confira as cidades onde o Carnaval de 2022 já foi cancelado:

Em Belo Horizonte, a prefeitura já definiou que não patrocinará o Carnaval 2022. No entanto, grupos e blocos estão organizando suas atividades de forma independente.

No Espírito Santo, por enquanto a única decisão por cancelar o carnaval foi tomada na cidade de Guarapari, após reunião realizada entre a Secretaria de Turismo da cidade e representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos, no dia 3 de novembro. O motivo é que a cidade ainda não tem 90% da população vacinada.

No Paraná, o vice-líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Cobra Repórter (PSD),entrou com um requerimento de cancelamento da festa alegando a necessidade de manter baixa a taxa de contaminação no estado.

Águas de Lindóia

• Altinópolis

• Américo Brasiliense

• Amparo

• Barrinha

• Borborema

• Botucatu

• Cabreúva

• Caconde

• Caçapava

• Campo Limpo Paulista

• Cássia dos Coqueiros

• Cunha

• Descalvado

• Dobrada

• Dumont

• Franca

• Gavião Peixoto

• Guariba

• Guatapará

• Holambra

• Iacanga

• Ibitinga

• Itápolis

• Itatiba

• Itupeva

• Jaboticabal

• Jacareí

• Jaguariúna

• Jarinu

• Jundiaí

• Lagoinha

• Lindóia

• Lins

• Louveira

• Migelópolis

• Motuca

• Mogi das Cruzes

• Monte Alegre do Sul

• Monte Alto

• Monteiro

• Natividade da Serra

• Nova Europa

• Paraibuna

• Pedreira

• Pitangueiras

• Poá

• Potirendaba

• Pradópolis

• Redenção da Serra

• Rifania

• Rincão

• Roseira

• Salesópolis

• Santa Ernestina

• Santa Isabel

• Santo Antônio do Pinhal

• Santa Lúcia

• Santa Cruz da Esperança

• Santa Rosa do Viterbo

• Santo Antônio da Alegria

• São Bento do Sapucaí

• São Luiz do Paraitinga

• São Simão

• Serra Negra

• Socorro

• Suzano

• Taquaritinga

• Taubaté

• Ubatuba

• Valinhos

• Várzea Paulista

• Vinhedo

Em Bauru, também no interior de São Paulo, a prefeita bolsonarista Suellen Rosim (Patriota), afirmou que a prefeitura não organizará, mas liberou festas de rua para quem quiser fazer.

Veja onde o Carnaval 2022 ainda está sendo discutido ou confirmado

Em Florianópolis, a prefeitura já confirmação a realização do Carnaval de rua e blocos no ano que vem. 

Em Manaus, o carnaval também está confirmado com apoio financeiro, inclusive, da prefeitura.

Em Salvador o carnaval ainda está indefinido. Os trios elétricos com animação de artistas famosos são tradição na cidade e leva milhares – até milhões – de pessoas às ruas da capital baiana. O prefeito da cidade, Bruno Reis (DEM), já se manifestou a favor da realização. O governador do estado, Rui Costa (PT), por sua vez, é contra e já anunciou que se houver Carnaval a Polícia Militar não fará a segurança. Ainda assim, nesta semana deve haver uma reunião entre os dois para definir se o carnaval será ou não realizado.

“O vírus está ensinando que a humanidade precisa ter humildade e ouvir a ciência. Precisamos ter mais amor pelo próximo e atitudes solidárias. Algumas pessoas, mesmo com um ano e meio de pandemia não conseguiram ser tocadas por essa mensagem de respeito. No anseio de realizar um sonho festivo ou empresarial esquecem do drama que vivemos. Não vou colocar a população em risco, colocar a cabeça no travesseiro e ter em mente que seria responsavel por centenas de mortes”, disse Rui Costa em entrevista à imprensa do estado. 

Ainda na Bahia, em Porto Seguro, a prefeitura tem dito que é prematuro anunciar a festa, mas ao mesmo tempo vem estimulando o comércio de turismo com a divulgação da alteração do percurso do Carnaval 2022.  As vendas de ‘passaportes’ para festas particulares como o Carnaporto Axé Moi Folia, que tem como um dos organizadores o ex vice-prefeito da cidade e empresário Humberto Adolfo Gattas Nascif Fonseca Nascimento, conhecido como Beto do Axé Moi, estão à venda.

Em Recife, onde a tradição são os blocos de rua, também há um impasse e pressão sobre setores empresariais para que a prefeitura realize a festa. Mas, por enquanto, a administração da capital pernambucana informou que seguirá as orientações de autoridades sanitárias, governo do estado e do Ministério da Saúde, assim como a vizinha Olinda.

“Recife entende que apenas com a superação da pandemia será possivel assegurar o evento, com as caracterítisicas deste ciclo cultural da capital pernanbucana”, diz nota da prefeitura. 

Há ainda incerteza sobre a realização em outras cidades de Pernambuco em que o Carnaval também é tradicional. A Capital do Forró, CaruaruPesqueira e Bezerros são exemplos de cidades que ainda aguardam as diretrizes do governo do estado para uma decisão. Em entrevista à imprensa local, o secretário de Saúde do Estado de Pernambuco, André Longo, afirmou que ainda é cedo para qualquer decisão mas cenários estão sendo discutidos para os eventos.

Em João Pessoa, na Paraíba, a festa de reveillón na praia está confirmada, mas como na capital paraibana, tradicionalmente, não há festividades no período de Carnaval, apenas algumas atividades como o Projeto Folia de Rua, as autoridades ainda estão discutindo se liberam. O prefeito Luciano Cartaxo (PP) quer liberar as aglomerações, mas o governo do estado, liderado por João Azevedo (PSB) quer restringir acesso de pessoas a 50%. Várias prefeituras do estado aguardam a decisão tanto do governo do estado sobre medidas de prevenção à contaminação para se posicionarem.

No Ceará, o governador Camilo Santana (PT) já posicionou contra a realização de grandes eventos como o reveillón e o carnaval. Ele afirma que “seria uma tragédia par ao estado enfrentar nova onda de casos de Covid-19 após as aglomerações”.

Já na capital paulista, ainda falta a aprovação de órgãos de saúde, mas já está prevista a realização do Carnaval de rua com os tradicionais blocos. Até agora já são cerca de 870 blocos inscritos para desfilarem entre 19 de fevereiro e 6 de março.

No Rio de Janeiro a Secretaria Municipal de Sáude considera que há segurança sanitária, portanto desfiles das escolas de samba e blocos carnavalescos serão realizados. 

Comentários estão fechados.