Confira dicas para contratar um empréstimo consignado de forma segura

0

Empréstimo bancário é um contrato entre um cliente e uma instituição financeira, no qual o segundo empresta certa quantia em dinheiro ao contratante.

À primeira vista, parece uma transação simples, contudo, existem diversos pontos a serem considerados antes de se assinar um contrato; o primeiro deles é saber diferenciá-lo de um golpe.

Dados divulgados pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) em 2020 mostraram que, em seis meses, houve 40.663 reclamações relacionadas ao empréstimo consignado.

Esse número é 127% maior do que o registrado em todo no ano anterior.

De acordo com o diretor da Neoconsig, Fernando Weigert, existem muitas ofertas de empréstimo, mas nem todas são confiáveis.

“Muitos golpistas tentam tirar proveito dessa nova tendência de instituições financeiras, de oferecerem empréstimo via web, e enviam mensagens falsas se passando pelos bancos”, afirma.  

“Sempre desconfie de ofertas de empréstimos que chegam ‘no seu colo’; sabe aquela mensagem que chega no seu e-mail, no WhatsApp ou até aquela ligação que você recebe com ofertas de empréstimos muito fáceis de fazer? Desconfie! São poucas as empresas confiáveis que fazem ofertas desse tipo, a maior parte é realmente uma fraude, alguém usando de má-fé para ganhar dinheiro”, explica Weigert.

Conhecer a empresa

Uma das formas de garantir a credibilidade do empréstimo oferecido é através de pesquisa.

De acordo com a superintendente do Núcleo Operacional da Neoconsig, Juliana Selenko, o cliente precisa buscar conhecer a empresa.

“Não informe seus dados pessoais e documentos para desconhecidos ou para empresas das quais não saiba da procedência; consulte sites, como o Reclame Aqui, e veja quais são as pontuações contra a empresa em questão; não faça nenhum pagamento antecipado ao recebimento do crédito; busque conhecer a instituição – agência ou loja – presencialmente e não aceite que o crédito seja realizado em qualquer outra conta que não seja a sua”, explica Selenko.

Ainda, segundo a superintendente, a forma mais eficiente de confirmar se a instituição financeira é confiável é através do Banco Central, pelo site oficial ou pelo telefone 145.

“Verifique as condições que são oferecidas, se são compatíveis com o mercado, e verifique as informações inseridas no contrato, taxa de juros, impostos, entre outras”, diz Juliana.

Outra forma de buscar informações, segundo Fernando Weigert, é através de uma pesquisa nas redes sociais da instituição financeira em questão.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Real, dinheiro, moeda / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

“Lá, os clientes tendem a comentar suas experiências com a instituição e relatar possíveis golpes, caso existam”, relata.  

De acordo com Fernando Weigert, um dos golpes mais comum é o da empresa de fachada: sites e aplicativos de empréstimo on-line por meio dos quais pessoas mal-intencionadas criam empresas fantasmas para receber dinheiro de terceiros sem oferecer o serviço contratado.

“Pesquise sobre a instituição financeira com a qual tem interesse de fazer um empréstimo pessoal e desconfie de qualquer empresa que pedir adiantamento em dinheiro para cobrir taxas ou outro tipo de cobrança – pois essa prática não é usual”, aconselha o diretor. 

Adiantamento, não

Fernando Weigert explica que bancos e instituições de empréstimos não têm o costume de pedir adiantamento sobre o valor do empréstimo.

Trata-se de empresas falsas que oferecem diversos motivos para o adiantamento do pagamento, como comissão do corretor, cobrir custos do cartório e dos advogados, para o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), ou para emolumentos e despesas jurídicas, para pagar o fiador, etc.

“Nada disso é verdade. Não é necessário o adiantamento por parte de quem faz o empréstimo consignado porque essa responsabilidade é da empresa que efetua o empréstimo, afinal, se você tivesse o dinheiro por que precisaria fazer o empréstimo?”, questiona.

Antes de contratar um empréstimo, o cliente costuma pesquisar e avaliar as ofertas disponíveis no mercado.

Contudo, observa o diretor, além de considerar apenas opções mais baratas – com menores juros – é importante ter acesso às informações contidas no contrato e lê-las com muita atenção antes de fazer um empréstimo pessoal, para que não haja surpresas no meio do caminho.

Weigert também orienta o contratante a buscar todas as informações relacionadas ao empréstimo, reajustes, cancelamentos, entre outros.

“Essa atitude reduz as chances de ser pego de surpresa no futuro com alguma alteração prevista no contrato o empréstimo”, conclui ele.