Confraternização empresarial de fim de ano: Como organizar o evento?

Dicas de organização de eventos para quem ainda não pensou em nada para o fim de ano da empresa

Os eventos de fim de ano são um momento importante para consolidar o lado humano e emocional das empresas e, por isso, deve ser pensado estrategicamente para gerar uma festa agradável e inesquecível para todos os funcionários. “Uma festa de final de ano é a chave para fortalecer a cultura da empresa, aproximar equipes de áreas diferentes e deixar os colaboradores mais animados e pertencentes a empresa”, opina o consultor empresarial e especialista em marketing de experiência, Marvin Akbari.

Para ele, este tipo de evento não deve ser apenas para apresentar resultados e celebrar as vitórias do ano que passou. “Às vezes, o dia a dia de trabalho não deixa muito espaço para as pessoas se conectarem fora do ambiente profissional, que é algo cada vez mais relevante para que os times se tornem mais coesos”, afirma.

O especialista acredita que para realizar um bom evento deve-se começar considerando o objetivo e o perfil dos convidados. “Temos que organizar uma experiência que coloque todos de acordo, trazendo a cultura da empresa no DNA de tudo. Uma solução para facilitar esta execução pode ser fazer uma festa temática, tirando todos da rotina e tornando cada convidado um personagem”, sugere. Por isso, é importante contar com atrações e atividades que engajem o público e gerem interação.

O material de divulgação da confraternização e o material pós evento também não podem ser deixados de lado. “É de fundamental importância que o evento seja feito com a máxima atenção aos detalhes que sua empresa merece depois de um ano de muito trabalho. Por isso, invista nos melhores profissionais para garantir a qualidade na entrega”, aconselha.

A definição do conceito e a escolha do local são as principais ferramentas que levarão o evento a tomar forma. “Para tomar as melhores decisões no design dessas experiências, considere que para avaliar uma experiência, as pessoas tendem a esquecer a sua duração, elas parecem lembrar de dois momentos: o melhor e o pior. A tendência é lembrarmos das partes emblemáticas. Os momentos marcantes moldam nossas vidas, porém não precisamos esperar que eles aconteçam, nós somos capazes de criá-los”, pontua.

Marvin Akbari, mais conhecido como Marvin Wanderlust, é italiano, engenheiro civil formado na Politécnica de Milão, já empreendeu em vários países como Chile, Itália e Estados Unidos.

Comentários estão fechados.