Os processos de apropriação de produtos e serviços acompanham a evolução das formas pelas quais as pessoas se relacionam com o meio em que estão inseridas. 

Nesse cenário, as empresas têm buscado caminhos para desenvolver ações que sejam coerentes com os valores dos seus clientes. Confira quais são os 7 setores que estão atentos às novas dinâmicas do mercado e quais são os diferenciais dos produtos por eles oferecidos.

1. Bem-estar corporativo

Um estudo realizado pela Universidade de Warwick, no Reino Unido, revelou que empresas que investem em atividades que proporcionam bem-estar aos funcionários garantem o aumento da produtividade de, aproximadamente, 12%.

Dados revelados pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, demonstram que é possível que ocorra um aumento de até 37% nas vendas se os funcionários estão satisfeitos com a dinâmica do local onde eles trabalham. 

Essas afirmações são extrema relevância para os setores que investem em treinamentos e outros tipos de atividades que têm como foco o bem-estar dos colaboradores.

Nesse cenário, não é de se estranhar o sucesso de empresas que investem nessa prática. Se você se interessa por esse setor, vale a pena oferecer às empresas  programas que ajudem os funcionários a lidar com a rotina e o estresse, por exemplo.

Exemplos de pacotes de serviços são atividades de yoga, exercícios de respiração, palestras motivacionais entre outros. 

2. Software as a Service 

A sigla SaaS tem sido bastante utilizada por profissionais do setor de tecnologia. O Software como Serviço, tradução do termo para o português, é uma tendência que tem gerado alto impacto positivo e que não para de crescer. 

Basicamente, o serviço diz respeito à comercialização de softwares acoplada aos serviços disponibilizados por uma empresa. Dessa forma, é possível otimizar a estrutura necessária para a realização de determinadas atividades de rotina.

O site de armazenamento de dados do Dropbox é um exemplo bem conhecido de mercado SaaS. Ele promove o armazenamento de arquivos, documentos, imagens entre outros em sistema de nuvem. 

3. Economia sustentável

Criar medidas que impeçam o desgaste ambiental deve ser um das pautas essenciais de empresas na atualidade. Consumidores de vários produtos ou serviços têm sido criteriosos quando o assunto é sustentabilidade.

Uso de plásticos, produção agrícola decorrente do uso de agrotóxicos, utilização de componentes químicos prejudiciais, teste em animais e uso inconsciente de matéria prima são exemplos de atitudes que prejudicam a imagem das empresas.

Se você pretende conquistar um público-alvo cada vez mais exigente em relação à sustentabilidade, vale a pena investir em setores, como venda de produtos orgânicos, construção civil sustentável ou fabricação de produtos que não usam plástico em sua composição.

4. Sharing economy

Esse termo está relacionado ao conceito de economia compartilhada. Trata-se de sistema socioeconômico que se desenvolve com base em estruturas e modelos de negócios em que empresas de vários setores se organizam de forma a estabelecer relações de trocas colaborativas de recursos físicos e humanos.

Com democratização dos processos comunicativos e o acesso à internet, é possível desenvolver uma ampla rede de fornecimento de produtos e serviços, colocando as relações de parceria como protagonista das ações.

O sharing economy causa impactos positivos em setores relacionados à tecnologia digital, como é o caso de empresas de streaming, por exemplo. Além disso, vem criando espaço de destaque em negócios que se baseiam em aplicativos de carona, espaços de coworking, por exemplo.

Se você se interessa por esse tipo de atividade, verifique o nicho em que pretende atuar e crie serviços atrativos. É possível explorar setores, como imobiliário, alimentício, saúde, lazer entre outros.

5. Gestão em trabalho remoto

Ter a oportunidade de trabalhar em casa é o sonho de muita gente. Diante as condições tecnológicas atuais, não é difícil alcançá-lo. Aliás, criar a própria rotina de trabalho, sem deixar de lado a preocupação com a produtividade já é uma realidade.

O chamado home office garante diversas vantagens, não só para os profissionais, mas também para as empresas. O ganho coletivo pode ser identificado na redução de custos e nas ferramentas que facilitam a tomada de decisões sem que seja necessária a presença física da equipe.

Exemplos desse nicho podem ser identificados nas funções realizadas por profissionais de departamentos de recursos humanos, gestão de mídias sociais, produção de conteúdo entre outros.

6. Cursos online 

Aprender coisas novas nunca é demais. Esse processo pode tem sido facilitado com a criação de canais de ensino voltados para pessoas que tem uma rotina muito corrida e não conseguem se deslocar para ter aulas em determinados lugares físicos.

Nesse cenário, o desenvolvimento de cursos online é outro setor que vem conquistando o mercado. Se você se interessa por esse ramo, é importante criar um planejamento que contemple cursos que devem ser transmitidos de forma prática.

Basta escolher uma área de interesse e produzir bons conteúdos. Não se esqueça de criar estratégias de marketing para que seu público seja alcançado com êxito. 

7. Locação de móveis para empresas

Dentro do modelo B2B, os serviços de locação de móveis para escritório é um segmento que vem sendo incorporado por diversos setores. O objetivo de quem atua no ramo é fornecer estruturas elaboradas que supram as necessidades dos seus clientes.

Para conquistar esse tipo de mercado, é preciso constituir uma equipe multidisciplinar que seja capaz de elaborar métodos eficazes para a disposição de móveis em áreas complexas e versáteis. 

Oferecer serviços que contemplem móveis para locação não é tarefa simples. Cada detalhe estrutural deve estar em consonância com as necessidades do locatário e das pessoas que utilizarão esses objetos. 

Como se apropriar das tendências do mercado

Quem lida com atividades empreendedoras sabe que é fundamental desenvolver medidas que garantam maior visibilidade para de destacar e estar sempre um passo à frente da concorrência.

Criar diferenciais competitivos em novos ou antigos negócios demanda um olhar para as características do tipo de produto ou serviço que está em alta. Além disso, é preciso levar em consideração as perspectivas de demandas futuras.

No caso de empresas que fornecem móveis para locação, por exemplo, o diferencial está justamente em fornecer soluções que garantam o maior custo-benefício em relação às sazonalidades e constantes mudanças no mercado.