Conheça as doenças ocupacionais mais comuns e saiba como evitá-las

0

Algumas atividades exercidas pelos trabalhadores em empresas podem trazer riscos e ocasionar doenças ocupacionais.

Elas ocorrem principalmente após alguns anos de realização de movimentos contínuos, levantamento de cargas excessivas, exposição a substâncias tóxicas e outros fatores.

De qualquer forma, o que você precisa saber é que grande parte dessas doenças podem ser evitadas antes que os primeiros sintomas surjam, por meio da conscientização e de simples práticas de prevenção.

Mas, para isso, é importante conhecer mais sobre as doenças laborais.

Pensando nisso, neste post, você vai entender quais são as principais doenças ocupacionais que acometem os funcionários nas empresas e vai saber como evitá-las.

Boa leitura!

O que são as chamadas doenças ocupacionais?

As doenças ocupacionais são causadas por condições ou atividades realizadas no trabalho que têm relação direta ou indireta com o ofício que a pessoa desenvolve.

Elas podem ser silenciosas ou apresentar sintomas físicos ou psicológicos depois de alguns meses executando as mesmas tarefas.

As doenças laborais costumam ser divididas em duas modalidades: doenças profissionais ou tecnopatias e doenças do trabalho ou mesopatias.

As primeiras têm como causa o ofício direto que é executado pelo funcionário.

Por sua vez, as mesopatias são doenças causadas indiretamente pelo trabalho, ou seja, as atividades desenvolvidas pelo trabalhador intensificam os sintomas.

O fato é que essas doenças levam ao afastamento temporário e até mesmo definitivo do trabalho, dependendo do grau da lesão e caso o retorno às funções venha a agravar ainda mais o problema.

Por que as empresas deveriam se preocupar com isso?

As doenças ocupacionais são os principais fatores que acarretam ausências, licenças, afastamentos no trabalho e até mesmo a aposentadoria por invalidez.

No caso de faltas injustificadas, o trabalhador pode ter o seu contrato rescindido por justa causa.

Nesse sentido, é essencial que os gestores se preocupem em evitar o surgimento desse problema em seus funcionários, uma vez que ele pode levar à incapacitação dos colaboradores e reduzir a produtividade do negócio, causando prejuízos.

Quais são as doenças ocupacionais mais comuns?

Preparamos uma lista contendo as principais doenças ocupacionais que costumam acometer os trabalhadores.

Confira.

1. LER/DORT

A Lesão por Esforços Repetitivos (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) são doenças ocupacionais causadas pela repetição contínua e por tempo prolongado de movimentos ou pela má postura.

Elas podem ser diagnosticadas por alguns sintomas, como dores crônicas.

Esse é o caso das mialgias, tendinites e bursites.

Essas doenças vão diminuindo a capacidade do trabalhador de desenvolver as suas tarefas, podendo acarretar ausências, afastamento temporário ou aposentadoria por invalidez.

O recomendado é utilizar aparelhos ergonômicos para reduzir o desconforto, realizar alongamentos e ginástica e estipular pausas programadas para o descanso.

2. Doenças da visão

Os olhos podem ser afetados por esforço excessivo ou quando são expostos a agentes perigosos mecânicos, físicos, químicos e biológicos.

É o caso de pessoas que trabalham no computador por muitas horas, vigias, cientistas, químicos, farmacêuticos, mineiros e trabalhadores que atuam na área da siderurgia e metalurgia.

Os principais problemas de visão caracterizados como doenças ocupacionais são a conjuntivite, problemas para ler ou enxergar, visão turva, dor de cabeça e até mesmo a cegueira.

Para prevenir danos na córnea, o ideal é utilizar óculos de proteção.

3. Surdez temporária ou definitiva

A perda da sensibilidade de identificar os sons geralmente é causada pela exposição constante a ruídos de alta intensidade. 

Essa doença costuma atingir mais os trabalhadores que atuam no ramo da construção civil, aeroportuários e operadores de máquinas em fábricas e indústrias.

Além disso, os problemas auditivos também estão relacionados ao contato com produtos químicos, como os solventes.

4. Asma ocupacional

A asma é causada pelo estreitamento e bloqueio das vias respiratórias decorrentes da inalação de fragmentos irritantes e alergênicos, como poeira de couro, algodão, madeira e borracha. 

Os sintomas são falta de ar, dores no peito e respiração com ruídos.

A melhor forma de prevenir esse problema é por meio do uso de uma máscara ou qualquer outro EPI que seja capaz de proteger as narinas e evitar que partículas nocivas penetrem nas vias respiratórias.

5. Dermatose ocupacional

Essa doença causa mudanças na pele e nas mucosas do corpo, decorrentes da exposição excessiva a agentes tóxicos químicos, físicos ou biológicos, como óleo mecânico e graxa.

Os principais exemplos de Dermatose ocupacional são as dermatites de contato, câncer e úlceras na pele.

A melhor maneira de prevenir essa doença é utilizar o EPI adequadamente, principalmente luvas.

6. Doenças ocupacionais psicossociais

As doenças psicossociais são desordens de natureza física e mental que afetam a vida laboral e pessoal dos colaboradores, causando desmotivação, depressão, ansiedade, estresse pós-traumático, gastrite, descontrole emocional, dificuldade de concentração etc.

As principais causas são excesso de trabalho, insegurança, exigência excessiva de desempenho, assédio moral, físico, verbal ou sexual, jornada de trabalho por tempo excessivo, entre outros.

As melhores formas de evitar esses problemas são:

  • tentar implementar programas para manter a saúde mental dos trabalhadores;
  • estipular metas possíveis de serem concluídas;
  • valorizar o colaborador;
  • emitir feedbacks sobre o desempenho dos funcionários;
  • criar programas de premiação para os melhores funcionários.

O que fazer para evitar as doenças ocupacionais?

O recomendado é utilizar aparelhos ergonômicos e equipamentos de proteção individual, de acordo com as características e necessidades do trabalho.

A ginástica laboral também é uma forma de aliviar a tensão das articulações e músculos.

Além disso, as empresas têm a responsabilidade de implementar políticas preventivas de conscientização e de manter o ambiente de trabalho seguro, de modo a cuidar da saúde física, emocional e psicológica dos seus colaboradores.

Existem algumas ações que podem ser úteis, como o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

As doenças ocupacionais são problemas que podem causar transtornos graves na saúde dos trabalhadores.

Por isso, é essencial que os gestores das empresas se preocupem em realizar vistorias para avaliar o risco do ambiente de trabalho e efetivem ações para prevenir o surgimento dessa situação.

Dica Extra do Jornal Contábil: Você gostaria de trabalhar com Departamento Pessoal?

Já percebeu as oportunidades que essa área proporciona?

Conheça o programa completo que ensina todas as etapas do DP, desde entender os Conceitos, Regras, Normas e Leis que regem a área, até as rotinas e procedimentos como Admissão, Demissão, eSocial, FGTS, Férias, 13o Salário e tudo mais que você precisa dominar para atuar na área.

Se você pretende trabalhar com Departamento Pessoal, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um profissional qualificado.

Fonte: Marques Sousa e Amorim