Conheça formas para obter crédito e abrir sua própria empresa

0

A falta de recursos para abrir uma empresa é uma das maiores dificuldades para as empresas, em sua maioria as PMEs e por isso obter um empréstimo para abrir empresa pode ser a solução para tirar os planos do papel.

Hoje vamos falar algumas dicas para você saber como funciona as linhas e como obter crédito, o que precisa levar em consideração e como avaliar qual opção é mais favorável para o seu negócio.

O que é um empréstimo?

Primeiro, entenda o que é um empréstimo.

Ele se trata de um crédito concedido aos empreendedores pelas instituições financeiras e também por organizações que atuam no mercado neste segmento.

Pode ser de diversas formas e as principais são: empréstimo para abrir empresa ou empréstimo para pagar contas no vermelho. 

Valor do financiamento

É importante estabelecer o valor pretendido na sua necessidade.

Essa informação deve ser devidamente apurada e condizente com a realidade do seu negócio.

Para que um empréstimo seja uma boa opção, o valor da prestação tem que ser no máximo 25% do lucro líquido que espera da empresa, por isso é preciso avaliar o percentual de ganho para os primeiros 6 a 8 meses para não levar o negócio a falência.

Para isso, leve em conta as despesas de abertura da empresa, eventual compra de equipamentos e até mesmo (se for o caso) de um ponto comercial, entre outros gastos.

Qual instituição financeira?

É preciso pesquisar os bancos e empresas que realizam o empréstimo para abrir empresa para entender as condições e avaliar os custos com os prazos concedidos.

Considere dois pontos importantes: taxa de juros e garantias.

Uma dica é sempre manter contato inicial com o banco em que o empreendedor já tenha um relacionamento.

Isso pode facilitar a negociação, mas não deve ser fator limitador para mais pesquisas no mercado.

Formas para obter empréstimo para abrir empresa

1. Linhas de crédito

São várias as Linhas de Crédito disponíveis no mercado, provenientes de diversas instituições financeiras.

Elas se diferem por aspectos como, por exemplo, forma de pagamento e taxas de juros.

Uma dica dos especialistas, independente da escolha do crédito mais atraente, é estar atento ao valor de cada parcela mensal.

BNDES Automático

Aqui o financiamento é feito por meio de instituições financeiras que são credenciadas ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Ele conta com várias linhas de financiamento com condições diversas e que devem ser conferidas.

Afinal, como a gente sabe, cada negócio tem uma necessidade diferente.

Cartão BNDES

Esse cartão permite ao empreendedor adquirir bens móveis para o negócio, com pagamento em até 48 vezes e taxa de juros baixa.

É válido dizer que o capital só pode ser usado para esse fim.

Mas, sem dúvida, é uma alternativa que pode facilitar a vida de muitos empreendedores.

Microcrédito – Caixa

A Caixa Econômica Federal oferece uma linha de crédito que libera determinado valor após a análise do crédito e da capacidade de pagamento da empresa em questão.

O microcrédito é uma modalidade de empréstimo para pessoa física ou microempreendedor que pretende abrir ou ampliar um negócio.

A modalidade é destinada a empreendedores formais – como MEIs (microempreendedores individuais) e pessoas jurídicas – e informais, que não têm fácil acesso a empréstimos ou créditos convencionais.

Por meio do microcrédito, cada empreendedor pode captar até 20.000 reais.

Entre as vantagens da operação estão as taxas de juros reduzidas, isenção de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e a facilidade de aprovação. 

2. Empréstimo Pessoal

Um empréstimo pessoal é o ato de pegar dinheiro emprestado de uma instituição financeira.

Também conhecido como Crédito Pessoal, funciona assim: você pega emprestado com um banco ou financeira uma quantia de dinheiro que deve ser devolvida em um prazo determinado, com juros acrescidos.

Essas condições são determinadas antes do empréstimo ser realizado pelo banco ou instituições financeiras.

Essa é uma modalidade de crédito indicada para quem precisa de dinheiro sem precisar comprovar para o que ele vai ser usado.

3. Investidores-anjo

Em julho de 2017, a Lei Complementar 155/2016 regulamentou a ação dos investidores-anjos, que podem investir entre R$ 50 mil a R$ 600 mil em microempresas e empresas de pequeno porte.

Pela Instrução Normativa, os anjos não são considerados sócios e obtêm o retorno financeiro de até 50% dos lucros da sociedade, por um período de cinco anos.

Para solicitar, é preciso submeter a sua ideia de negócio no site Anjos do Brasil.

No entanto, vale destacar que apenas uma ideia inovadora não é suficiente para obter o apoio financeiro.

Para o investidor se interessar por uma iniciativa é preciso ter um plano de negócio, uma boa apresentação, previsão de lucros, estudo de mercado e, se possível, um protótipo do produto.

4. Sócios

Ter sócios pode ser uma solução para iniciar e obter empréstimo para abrir a empresa.

É importante lembrar que o sócio precisa estar ciente de suas obrigações e responsabilidades desde o começo, na assinatura do contrato social.

Mesmo entrando apenas com os recursos, o sócio tem o direito de deliberar sobre as ações sociais da empresa por meio de assembleia.

Por isso, o contrato social deve ser feito por um profissional que leve em conta os pontos da sociedade, incluindo condições de expulsão e transparência financeira.

5. Financiamento coletivo

A famosa “vaquinha” tem como contrapartida a retribuição em brindes e bônus aos doadores de recursos, que podem se interessar pelos serviços ou acreditar na sua ideia.

No Brasil, há plataformas próprias de financiamento coletivo online, onde basta cadastrar a sua ideia e estipular um valor a ser arrecadado por determinado período de tempo.

Para conseguir o valor, é importante ter uma boa apresentação da ideia da empresa, criar videos, pensar em recompensas e divulgar nas redes sociais o projeto para que o mesmo tenha visibilidade e para atrair pessoas para colaborar financeiramente.

6. Empréstimo Bancário

Os empréstimos bancários só podem ser realizados por correspondentes bancários autorizados pelo Banco Central a atuar como prestadores de serviço no atendimento de clientes de instituições financeiras, conectando bancos e financeiras que buscam serviços financeiros, normalmente empréstimos, para oferecê-los ao mercado. 

7. Crédito para capital de giro

Esta é uma opção interessante de financiamento para pequenas e médias empresas que precisam de recursos para pagar as despesas do dia a dia do negócio – o chamado capital de giro. 

Nesta modalidade, o empreendedor não precisa apresentar a finalidade do empréstimo no momento da solicitação.

Além disso, é possível optar pelo pagamento bimestral, semestral ou integral após o fim do contrato. 

Vale lembrar que esse tipo de crédito é interessante para demandas de curto prazo, considerando que o prazo médio de parcelamento costuma ser de 12 meses.

8. Empréstimo com garantia

Como o próprio nome sugere, no empréstimo com garantia o cliente apresenta um bem à instituição financeira para assegurar o pagamento das parcelas.

Entre as modalidades mais comuns estão o empréstimo com garantia de veículo e o empréstimo com garantia de imóvel, mais conhecido como home equity. 

As taxas praticadas no empréstimo com garantia de automóvel começam em 1,49% ao mês.

Para o home equity, os juros são a partir de 0,89% no mesmo período.

emprestimo consignado

Para efeitos de comparação, é possível avaliar as taxas médias praticadas em outras modalidades de crédito mais populares, mas não saudáveis.

No cheque especial, por exemplo, os juros giram em torno de 11,3% ao mês.

Para empréstimo pessoal, a taxa média é de 6,3% ao mês, de acordo com o Banco Central. 

9. Cheque especial

O cheque especial é uma modalidade que deve ser usada com cautela e de forma excepcional, tudo porque seu percentual de juros é o mais alto de todos.

Ele deve ser utilizado apenas para algo momentâneo ou para comprar algo de urgência sabendo que em poucos dias terá o dinheiro para cobrir o cheque.

10. Cooperativas de crédito

As cooperativas de crédito oferecem produtos de crédito semelhantes a um agente financeiro comum, como cartões de crédito, financiamentos e empréstimos para capital de giro, com o objetivo de promover o desenvolvimento regional por meio do próprio interesse da comunidade. 

Elas possuem isenção de  tributação como CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), PIS (Programa de Integração Social) e Cofins, visto que são uma organização sem fins lucrativos, o que garante melhores condições de crédito.

Empréstimos em bancos e instituições financeiras

1. Bancos

Os bancos são os mais procurados para obter empréstimo para abrir empresa.

Em sua maioria, eles possuem uma série de linhas, possibilitando a organização de encontrar uma que se encaixe no seu negócio. 

Oferecem financiamento de bens de consumo duráveis, capital de giro com a opção de crédito especial no qual a empresa não precisa especificar para qual fim será destinado o dinheiro, microcrédito para pequenas e médias empresas etc.

2. Quais são as vantagens de solicitar um empréstimo para bancos?

  • acesso a uma carteira de crédito diversificada, com várias opções de crédito como já mencionamos;
  • condições mais favoráveis dependendo do relacionamento que a empresa possui com o banco.

3. Quais são as desvantagens de solicitar um empréstimo em bancos?

  • alta taxa de juros para pequenos negócios;
  • cláusulas nem tão atrativas (abusivas), com muitas multas de quebra de contrato;
  • limitação para as empresas que estão iniciando o seu relacionamento com o banco, — na maioria das vezes elas não conseguem os valores pedidos;
  • muita burocracia.

4. Instituições financeiras

Apesar de menor burocracia, se comparada aos bancos, as instituições financeiras nem sempre têm boa reputação, pois, competem entre si para atrair clientes.

O fato que é muitas obtêm atrativos por oferecerem prazos a perder de vista para empresas.

Para muitos isso é algo essencial, visto que o negócio ainda precisa crescer e pagar por um financiamento seria inviável.

5. Quais são as vantagens de solicitar um empréstimo para instituições financeiras?

  • menor burocracia;
  • prazos mais extensos;
  • critério de análises de riscos menos burocráticos, diferentemente dos bancos. 

6. Quais são as desvantagens de solicitar um empréstimo para instituições financeiras?

  • custo bem mais alto, já que as tarifas praticadas visam suprir a inadimplência;
  • risco alto — existem estelionatários por trás de algumas financeiras, oferecendo risco à empresa que decide fazer negócio com eles.

Como conseguir créditos para o seu negócio?

Se já sabe qual a melhor opção e quer saber as próximas etapas, veja como é simples:

1. Identifique a necessidade da sua empresa

O primeiro passo para saber se é necessário contratar o empréstimo é identificar a necessidade (seja abrir empresa ou pagar contas que estão no vermelho).

Por isso, você deve verificar qual será a finalidade do valor contratado e qual montante será emprestado.

2. Pesquise a melhor instituição financeira

É normal que a primeira ideia seja contratar o empréstimo no banco com o qual a sua empresa negocia.

Mas olhe as dicas que demos acima e analise prazos, limites, taxas de juros aplicadas, entre outros elementos importantes e que impactam o valor final do empréstimo.

3. Analise os fatores de restrição

Os fatores de restrição são possíveis impeditivos para a contratação do empréstimo.

Podem ser, por exemplo, valor mínimo de capital próprio, situação legal, oferecimento de garantias, entre outros.

4. Elabore o plano de negócios

O ideal é que a sua empresa já tenha um plano de negócios, mas, se não tiver, chegou a hora de elaborar esse documento.

Isso porque o plano de negócios servirá para mostrar ao banco ou outra empresa selecionada que a sua empresa é capaz de arcar com a dívida e fará os pagamentos em dia.

5. Efetue o pedido de empréstimo

Depois de escolher a linha de crédito e a instituição e analisar os fatores elencados anteriormente, você deve ir até o gerente de pessoa jurídica fazer o pedido de empréstimo.

É preciso entregar toda a documentação exigida, as possíveis garantias e o plano de negócios.

Depois é só aguardar a análise do banco e esperar a resposta positiva ou negativa.

Pronto para obter crédito para abrir sua empresa?

Você já sabe, agora, sobre como obter empréstimo para abrir empresa e conhece as linhas de créditos existentes, para que servem, como funcionam para escolher a ideal para que você tenha crédito para o seu negócio, ou seja, o valor que a sua empresa precisa para sair do papel.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Contabilizei