Investimentos: Dicas de considerações a se fazer antes de comprar uma empresa em funcionamento

0

Quando o assunto é investimento, tanto os empresários e executivos mais experientes quanto empreendedores no início de carreira podem enfrentar um dilema: “iniciar um novo negócio ou adquirir uma empresa pronta em pleno funcionamento?”

Afinal, começar uma operação do zero não é uma tarefa nada fácil. A depender do segmento, além de um planejamento detalhado, há uma série de exigências jurídicas e burocráticas que podem tomar muito tempo, honorários e uma boa fatia do capital.

Já a compra de uma empresa em funcionamento pode exigir investimentos maiores, ao mesmo passo que essa aquisição pode acelerar consideravelmente a velocidade da expansão dos negócios e trazer riscos muito menores.

Ainda na compra de uma empresa existente também traz aos negócios outras vantagens estratégicas além da lucratividade em si, como o acesso a novos clientes, distribuidores, tecnologias, capital humano, capilaridade de mercado, expansão geográfica entre outros pontos que dão sinergia a novos negócios.

E quando uma empresa está à venda e um investidor deseja adquiri-la, o que se espera é que a transação agregue valor para ambas as partes.

Mas, na prática, nem sempre isso acontece. De acordo com a Capital Invest, empresa especializada em Assessoria Financeira para compra, venda e avaliações de empresas, cerca de 50% das aquisições de empresas trazem perda de valor para seu adquirente.

Para evitar frustrações é importante fazer algumas reflexões. Veja a seguir três considerações essenciais para comprar empresa em funcionamento e realizar um investimento mais cauteloso e conciso.

 1. O objetivo da compra: está alinhada com o target dos seus negócios?

Por mais que a proposta para compra de uma empresa pareça imediatamente atrativa para a expansão dos negócios, é necessário avaliar com cautela se o empreendimento oferecido está, como um todo, realmente alinhado aos seus objetivos.

Perguntas realmente simples podem trazer respostas esclarecedoras, como a quantidade de empresas similares atuantes no mesmo segmento, se esta unidade em especial representa o melhor investimento no momento (e não outra empresa do mesmo nicho), se a cultura da empresa adquirida está alinhada com seus demais empreendimentos e o quanto de valor institucional esta empresa trará junto aos lucros e receitas.

 2. O valor de aquisição é justo?

Uma empresa lucrativa à venda, em que toda sua diretoria está disposta a negociação, vai atrair uma série de outros investidores para sua oferta.

Em muitos casos, um negócio tão visado pode acabar se tornando um verdadeiro leilão da empresa adquirida, aumentando significativamente seu valor final para aquisição, seja ela uma compra de empresa total, parcial ou até uma fusão.

Além de uma detalhada análise do fluxo de caixa operacional da empresa à venda, uma alternativa para evitar as frustrações de ambas as partes na negociação é propor uma aquisição conhecida como earn out.

Trata-se da compra de uma empresa por um valor acordado e posterior pagamento de prêmio ao vendedor quando as expectativas da aquisição forem alcançadas.

 3. Como será a fase de integração após a assinatura do contrato?

A aquisição de uma empresa está longe de terminar com a assinatura do contrato e apertos de mão. Este é apenas o início de uma fase de transição que levará ambas as partes rumo políticas e objetivos comuns.

Por isso, antes de considerar comprar empresas em andamento, é preciso projetar seu fluxo e a transição de uma corporação na outra, considerando as sinergias, a integração dos recursos humanos, dos processos, estratégias, etc. e ainda quanto tempo este processo tomará.

Não é à toa que especialistas recomendam a incorporação de empresas-alvo menores do que o investidor, para mitigar os riscos de integração durante esta complexa fase de adaptação.

O próximo passo

Se todas as respostas anteriores preenchem positivamente os questionamentos para fechar o negócio, ainda assim é importante contar com especialistas no procedimento de aquisição.

Caso seja a primeira vez em que o investidor se prepara para comprar uma empresa, ele deve considerar a contratação de uma consultoria especializada em fusões e aquisições, como a Capital Invest, que tem uma equipe de assessores financeiros para implementar a aquisição de uma forma profissional e minimizando riscos.

Se você nunca antes esteve envolvido em aquisições de empresas, o fato de contar com especialistas na área com reputação e experiência é fundamental para você não cair dentro do 50% das empresas que terminam perdendo valor após uma aquisição.

Por Capital Invest