Conta de luz volta a ter cobrança de taxa extra a partir de hoje

0

Hoje (1°), começou a ser cobrada novamente nas contas de luz, a taxa extra, classificada por Bandeiras Tarifárias. Ficou estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a bandeira vermelha Patamar 2 no mês de dezembro de 2020, tendo um custo de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts-hora que forem consumidos.

empresas

Esse tipo de cobrança havia sido suspenso por causa da pandemia do novo coronavírus. Por isso ficou valendo a bandeira verde, que não cobra nenhum tipo de gastos, até o final de 2020.

Entretanto, a ANEEL informou que as condições atuais não permitem mais manter a bandeira verde acionada. Sendo reativada hoje (1°), a bandeira vermelha em seu patamar 2, com uma taxa extra de R$ 6,243 a cada 100 kWh.

O sistema de bandeiras tarifárias funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no país.
As bandeiras são acionadas da seguinte forma, quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na tarifa.

Mas, as condições estando ruins, serão acionadas as bandeiras amarela, vermelha 1 ou vermelha 2.

“Com o anúncio da bandeira vermelha patamar 2 é importante que os consumidores busquem evitar o desperdício de água e energia”, disse o diretor-geral da ANEEL, André Pepitone.

Cobrança antecipada

Ainda segundo o diretor, o consumo de energia retomou o patamar de pré-pandemia em setembro, e o setor enfrenta novamente uma seca que há muito não se via.

Sendo assim, a ANEEL resolveu avaliar a retomada do sistema de bandeiras no início de dezembro. Na verdade, a retomada aconteceria em janeiro de 2021, o que aconteceu foi uma antecipação.

“São indícios concretos de que o mecanismo das bandeiras já merece ser restabelecido e a curto prazo, tendo em vista sua eficiência na sinalização de preços aos consumidores”, disse o diretor.

O conselho dado pela ANEEL é que “os consumidores busquem evitar o desperdício de água e energia”.

Então fique ligado, a partir de hoje (1°) será cobrado na sua conta de luz a tarifa de R$ 6,243 a cada 100 kWh. (quilowatt-hora) consumidos.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil