Contador perde 40kg e vai correr ultramaratona

0
49

Depois de ver a balança disparar, o contador brasiliense Luiz Ernani Figueiredo decidiu, há quatro anos, que não queria mais ser obeso. Ele resolveu dar um novo rumo à sua vida quando chegou aos 27 anos sofrendo de hipertensão e com 102 quilos. Começou a fazer exercícios físicos e iniciou uma dieta. Hoje, aos 31 anos e 40 quilos mais magro, se prepara para um desafio bem diferente: correr, pela primeira vez, uma ultramaratona. Uma história que serve de exemplo para quem busca superar obstáculos.

O novo desafio tem data marcada: 30 de abril. Ele quer não apenas participar, mas concluir a ultramaratona de Videiras, em Petrópolis (RJ). O objetivo é completar o circuito de 55 quilômetros na serra carioca, em dez horas. Apesar de já ter corrido a Maratona Internacional do Rio de Janeiro, no ano passado, esta é a primeira vez que Luiz participa de uma prova com mais de 42,1 quilômetros.

Para chegar até aqui, entretanto, a trajetória de Luiz não foi fácil. Pensou em desistir algumas vezes. As primeiras tentativas de perda de peso foram feitas por conta própria. Mas, para quem tinha um estilo de vida completamente sedentário e hábitos de alimentação ruins, os resultados não apareceram. Após perder apenas seis quilos em seis meses e conseguir uma lesão no joelho pela prática de atividades sem acompanhamento, Luiz decidiu procurar orientação.

“Antes eu não tinha disposição para nada, me sentia em estado vegetativo. Hoje em dia, sou outra pessoa. Me sinto mais ágil, física e psicologicamente, e sinto muito mais vontade de sair e trabalhar.”
Luiz Ernani

Por completo
O contador optou pela medicina integrativa, que acredita ter ajudado muito no emagrecimento. A modalidade funciona para diversas doenças e “atua sobre a origem do problema, não só para remediá-lo”, explica médica Priscila Dutra. O método estimula o tratamento do paciente por completo – mente, corpo e espírito – em vez de focar só nas doenças.

Com o ajuste de taxas hormonais e a reposição de vitaminas e minerais, Luiz Ernani chegou ao peso desejado em julho do ano passado, três anos e meio após o início do tratamento. O amor pela corrida, no entanto, já tinha começado há mais tempo.

Em 2012, o atleta entrou em um grupo de corridas comunitário com o objetivo de emagrecer e exercitar o corpo. “Comecei correndo cinco quilômetros e tomei gosto pela coisa. Seis meses depois, o atletismo já tinha virado vício e eu já corria mais de 40 quilômetros por dia”, afirma.

A preparação para a grande prova já é uma maratona em si. Três vezes por semana, Luiz Ernani corre entre 13 e 21 quilômetros. Em outros dois dias, ele vai à academia para fortalecer os músculos, que também são muito exigidos durante as provas. “Participo das provas porque amo e para me manter saudável. Mas como profissional, continuo apenas como contador”, brinca.

Princípios da Medicina integrativa:

Uma parceria entre o paciente e o médico no processo de cura.
Uso apropriado de métodos e terapias oriundos da Medicina Convencional e de Sistemas Médicos Tradicionais para facilitar o processo inato de cura.
Consideração de todos os fatores que influenciam a manutenção da saúde e o aparecimento das doenças, incluindo-se o corpo, a mente e o espírito, bem como a comunidade (suporte social).
Uso de métodos e terapêuticas naturais, efetivas e não invasivas sempre que possível.
Utilização de conceitos cientificamente atestados na promoção da saúde e na prevenção e tratamento das doenças.O estabelecimento de uma abordagem interdisplinar e transcultural comprometida com o processo de autoconhecimento e desenvolvimento.
Reconhecimento que a boa medicina deve ser baseada em boa ciência, devendo ser investigativa e aberta a novos paradigmas. (Jornal Metrópoles)