As contas poupanças digitais utilizadas pela Caixa Econômica Federal para pagar o Auxílio Emergencial e o FGTS emergencial estão sendo bloqueadas por suspeita de fraude. Pedro Guimarães presidente da instituição informou que foram centenas de milhares de contas bloqueadas, correspondendo a um total de 5% do total.

“Com a implementação rápida que tivemos que fazer para distribuir o auxílio lá no começo, sobraram algumas brechas de segurança. Em maio, em uma janeka de dez dias, hackers acessaram milhares de contas. Identificamos todas e já corrigimos os problemas, mas pessoas honestas tiveram suas contas bloqueadas porque tivemos que salvar o dinheiro público”, afirmou Guimarães em live do portal InfoMoney.

É importante destacar que mesmo com o bloqueio não haverá prejuízos para quem teve a conta hackeada. Pedro Guimarães ainda relatou que para poder acessar a conta é necessário apenas que o beneficiário compareça a agência da Caixa mais próxima, tendo em mãos os documentos pessoais que comprovem o cadastro do auxílio emergencial.

Existe a outra opção de desbloqueio que é através da comprovação de identidade através do aplicativo Caixa Auxílio Emergencial, entretanto pode haver demora para que a conta seja desbloqueada. Pedro Guimarães ainda ressaltou que “Nosso sistema demora cerca de três minutos nesse processo de liberação, mas temos centenas de pessoas na fila. Pode demorar alguns dias, mas os trabalhadores receberão os valores” .

Verificação do benefício

O bloqueio também pode ocorrer caso a Dataprev, empresa de tecnologia responsável pela verificação do auxílio, faça a reanalise para constar se o beneficiário ainda precisa do recurso. Pedro Guimarães informou que uma reanalise é feita sempre que uma nova parcela é liberada . “Isso porque muitas pessoas não precisavam receber os valores, mas aconteceu devido à rapidez da Caixa em montar o processo e distribuir o dinheiro”, justificou.